Entenda sobre emoções a partir da filosofia, psicanálise e comunicação, no podcast “Na Ordem do Dia”
22 de dezembro de 2021
  • English

< Voltar

Em seis episódios especiais, podcast da Aberje analisa sentimentos como medo, ódio e ansiedade na sociedade e no ambiente corporativo 

Lançado em outubro, o projeto Na Ordem do Dia estreou neste ano em formato podcast, disponível nos principais tocadores, para abordar o tema das paixões e emoções, a partir da lente da filosofia, da psicanálise e da comunicação.

Na Ordem do Dia é um projeto multimídia, que surgiu em 2019 para tratar de questões complexas que afetam o ambiente das organizações e para dar repertório aos profissionais de comunicação. O programa já tratou sobre liberalismo, e, no contexto da pandemia, discutiu direitos individuais e instituições científicas, e contou com a participação dos professores Renato Janine Ribeiro e Pedro Paulo Pimenta.

Ao todo, foram seis episódios, conduzidos pela jornalista Natália Sousa. As entrevistas foram feitas com as especialistas Cynthia Provedel, comunicadora e professora da Escola Aberje de Comunicação, estudiosa das emoções desde o seu mestrado e com formação em andamento em Gestão das Emoções nas Organizações pela Faculdade Albert Einstein; Janaína Namba, professora na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com pós-doutorado pela UFSCar na área de Filosofia da Psicanálise e Antropologia; e Maria Isabel Limongi, professora de filosofia da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Episódio 1: Como entender o que sentimos?

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: Como entender o que sentimos? (Episódio 1)

 

Como os comunicadores podem tratar as paixões que os movem, processo que se inicia no íntimo do ser humano que depois se estende para o coletivo. No primeiro episódio, a filósofa Maria Isabel Limongi explica que as paixões são sentidas como o principal impulso das ações. Ela salienta que para a filosofia é complexa a correlação entre aquilo que se sente e aquilo que opera em modo racional.

“A paixão é uma mecânica do corpo alheia ao pensamento que não está no domínio da racionalidade. Aristóteles pensava as paixões como uma forma de juízo sobre as coisas. Por isso que ela pode ser retrabalhada quando se mudo a minha visão de ver as coisas. Uma maneira de pensar é que  paixão não é o oposto da razão; ela é uma forma de pensamento. E outra forma de pensar é que a paixão é o oposto da razão, é aquilo que me toma e eu não sou mais dono do meu pensamento”, analisa. “Eu acho interessante pensar a paixão como um elemento da razão, uma maneira de julgar sobre as coisas”, complementa.

Episódio 2: O que é o medo?

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: O que é o medo? (Episódio 2)

“Se a empresa é um agrupamento de pessoas, o ambiente organizacional é sempre uma reunião de muitos sentimentos. Por que será, então, que temos tanto medo de mostrar aos colegas que também sentimos?” Este é um assunto para o segundo episódio do NOD.

Quem nunca sentiu uma sensação de perigo, de algo que está prestes a acontecer? É preciso saber como agir antes que o medo tome conta dos pensamentos e atitudes. “Ainda que não sejamos capazes de controlar nossas emoções, é importante entender de onde elas vêm para que elas possam fluir melhor sem trazer danos para nós e para aqueles com quem interagimos, inclusive no ambiente organizacional”, inicia Natália Sousa.

Afinal, o que é o medo? “O medo é um conflito interno que pode ser expresso por um agente que vêm de fora”, explica a psicanalista Janaína Namba. “Para que o medo surja é preciso ter esse elemento externo, ter uma representação desde fora que faça com que isso aconteça, ter algo específico que provoque o medo”

Episódio 3: É preciso falar sobre o ódio

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: É preciso falar sobre o ódio (Episódio 3)

Ele, às vezes, se manifesta de forma explosiva e toma o corpo inteiro como uma rajada de raiva. Em outros momentos, ele é sutil e age pelas sombras, onde nem sempre se consegue enxergar e pode ter consequências ainda mais destrutivas. É preciso falar sobre o ódio, tema do terceiro episódio do NOD.

“O ódio está ligado ao medo. São paixões vizinhas. Eu odeio aquele que me amedronta”, explica Maria Isabel. “O ódio é uma paixão política por excelência pois ele tem uma relação com o medo, eu odeio aquele que me causa medo, que me provoca insegurança, que me coloca diante do desconhecido. É projetar em alguém algo ruim que ele pode produzir em mim, é o que ele simboliza de ruim para mim. O ódio mobiliza energias muito fortes, é algo que coloca em risco tudo aquilo sobre o qual eu organizei a minha vida”, completa.

No episódio, fica claro que a mediação é um caminho de solução. “É nesse sentido, que os comunicadores e as lideranças podem atuar na criação de espaços onde aquilo que os colaboradores sentem, mesmo o ódio, é tratado com respeito e honestidade. Para isso acontecer, é importante os profissionais estarem atentos aos fenômenos sociais que estão acontecendo e que afetam diretamente o nosso estado emocional”, comenta a jornalista Natália Sousa.

Episódio 4: O que influencia nossos sentimentos hoje?

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: O que influencia nossos sentimentos hoje? (episódio 4)

 

Muitas vezes o que se sente intimamente aparece também em tantas outras pessoas. “Se compartilhamos as paixões e uma mesma época; deve ser porque aquilo que nos move a sentir vem de fatores externos, capazes de nos afetar coletivamente”. As causas de emoções compartilhadas é o tema do quarto episódio do Na Ordem do Dia. O episódio trata dos fenômenos deste início do século 21, que tem capacidade de impactar as maneiras como se sente e age, enquanto indivíduo, como sociedade e como colaboradores das organizações.

Os temas deste episódio são desdobramentos naturais das paixões explicadas nos episódios anteriores: o medo e o ódio. “Eles afetam de indivíduo para indivíduo, como um vírus em transmissão e geram uma verdadeira epidemia de emoções. A principal consequência que o medo pode trazer é a geração de sintomas em função de um medo externo. E é isso que estamos vendo atualmente em meio a essa pandemia”, comenta Janaína Namba. “É uma enorme geração de sintomas, que vai desde o pânico de sair às ruas, o medo de tocar nas coisas, tocar nos outros, de uma aproximação que possa contaminar um ao outro”, completa.

Episódio 5: A ansiedade que paralisa

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: A Ansiedade que Paralisa (Episódio 05)

Diante de tantas mudanças no dia a dia, é comum que o indivíduo se perceba afetado no próprio corpo e há uma grande dificuldade de assimilação dos fatos e uma verdadeira impotência nas ações. O quinto episódio do NOD trata de um fenômeno emocional com ares de epidemia, nos dias de hoje: a ansiedade.

Eventos e fenômenos como a pandemia do Covid 19, a polarização na sociedade e as redes sociais podem causar uma grande ansiedade. “Quando a gente pensa na linha das emoções, na qualidade das emoções, a ansiedade acaba sendo o medo de uma ameaça antecipada e a incerteza que eu tenho sobre a capacidade de lidar com isso”, acentua a especialista Cynthia Provedel. “Penso que na medida em que a gente, enquanto profissional de comunicação dentro das organizações, buscamos um espaço onde a gente possa exercer influência, onde a gente possa suportar o processo de tomada de decisão, é levar um pouco de clareza, de serenidade, principalmente na gestão de crise, é algo super importante”, enfatiza.

Episódio 6: Sentimentos no ambiente organizacional

Na Ordem do Dia | Paixões e Emoções: Sentimentos no Ambiente Organizacional (Episódio 06)

Aquilo que cada um sente não fica do lado de fora do escritório quando alguém chega pra trabalhar. E, mesmo se isso fosse possível, as emoções apareceriam em meio às demandas, urgências e interações com outras pessoas, que também carregam os seus muitos sentimentos. Então, como lidar com as paixões no ambiente organizacional?

“A emoção vai vir; o ponto é o que eu vou fazer com aquele gatilho emocional? Como eu vou me comportar? Como eu vou reagir em relação ao outro em relação a mim mesma?”, resume a professora Cynthia Provedel no sexto episódio da série Na Ordem do Dia.

O podcast Na Ordem do Dia foi produzido por André Felipe de Medeiros. A idealização é do diretor-geral da Aberje, Hamilton dos Santos, e do pesquisador Leonardo Paes Müller, com curadoria do professor Pedro Paulo Pimenta, professor livre-docente do Departamento de Filosofia da USP. A produção executiva é da equipe Aberje, formada por Andre Nakasone, Emiliana Pomarico e Victor Pereira. A locução é de Natália Sousa, a edição é de Nik Silva e a trilha sonora é do Cientista Perdido.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.