EDP conscientizará público sobre preservação dos oceanos na Bienal do Livro de São Paulo
30 de junho de 2022
  • English

Estande da companhia terá experiências de realidade virtual e aumentada, exibição de curta-metragem e games

A EDP, empresa que atua em toda a cadeia de valor do setor elétrico, estará presente na 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Pavilhão Portugal — país convidado de honra da atual edição. A companhia realizará atividades destinadas ao público infanto-juvenil com programação que trabalhará a campanha institucional “Changing Tomorrow Now” (ou Mudando Hoje o Amanhã, em português) por meio de ações voltadas à temática “Oceano”. Ao longo dos nove dias de evento, o estande da EDP contará com diversas atrações, como experiências de realidade virtual e aumentada, exibição de curta-metragem e games.

Os visitantes poderão se conscientizar a respeito da acidificação dos oceanos por meio da realidade virtual durante todos os dias do evento. A iniciativa é desenvolvida em colaboração com a pesquisadora Anna Carolina Queiroz, do Virtual Human Interaction Lab, da Universidade de Stanford (EUA). O conteúdo aborda temas como emissões de CO2, turismo marinho, recifes de corais e práticas inadequadas do uso da terra. A ação será complementada por um painel com ativação em realidade aumentada. A conscientização começará já na fila das ações de realidade virtual. Isso porque, durante a espera, será possível jogar dois games, que trarão atividades relacionadas ao tema “Oceano”.

Esta atividade também faz parte do programa EDP nas Escolas, que tem levado, durante este ano, temas como tecnologia e digitalização para cerca de 12 mil alunos em escolas municipais nas regiões onde a EDP atua. O programa é promovido pelo Instituto EDP, organização que coordena as ações socioculturais da empresa e que tem atuado em pilares como educação e cultura, sensibilizando a sociedade em relação a temas globais importantes, como os oceanos.

Na Bienal, as crianças terão oportunidade de participar de contação de histórias conduzida pelo grupo Lumiá, nos dias 2 (sábado) e 10 (domingo), às 15h30. As contações terão como temas a preservação dos oceanos e o ciclo da água. A atividade será complementada com uma oficina de fabricação de brinquedos com materiais recicláveis.

Ao final de cada dia, encerrando a programação do estande, será exibido o curta metragem “Nada, nadador” — às 21h, nos sábados e domingo, e às 20h, nos demais dias. O filme foi produzido por alunos do projeto de animação do Instituto Marlin Azul, patrocinado pela EDP. O curta tem inspiração no “Poema do Nadador”, de autoria de Jorge de Lima.

“Estamos honrados em participar da bienal em uma edição histórica, que tem Portugal como convidado de honra, no ano em que celebramos o Bicentenário da Independência do Brasil. Somos dois países unidos pela nossa língua mátria e por nossa história. Estamos nos preparando para proporcionar uma experiência mais que especial ao público infanto-juvenil da Bienal. A ideia é mostrar a força da energia da natureza para impulsionar um futuro mais sustentável, por meio de muita tecnologia e interatividade”, destaca João Marques da Cruz, CEO da EDP no Brasil.

A valorização e preservação cultural está no DNA da EDP. A companhia foi a patrocinadora master da restauração do Museu da Língua Portuguesa. Além disso, a primeira empresa a anunciar o patrocínio na reforma do Museu do Ipiranga, que será reinaugurado em setembro. Ao todo, a EDP investiu R$ 32 milhões nas duas iniciativas.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.