26 de junho de 2024

Aberje Trends reúne mercado de comunicação para debater tendências em um mundo em transição

Diretor-executivo da Aberje abriu evento reforçando a importância das comunidades como espaços seguros em meio às pressões atuais
Crédito: Tati Nolla

“Cada vez mais, formamos uma rede, com possibilidade de conversarmos e nos ajudarmos mutuamente”. Na abertura da 8ª edição do Aberje Trends, realizado na terça-feira (25) no Teatro Bravos, em São Paulo, Hamilton dos Santos, diretor-executivo da Aberje, lembrou para os 600 participantes que a Aberje vai além de uma rede de organizações, comunicadoras e comunicadores, assumindo o papel de uma comunidade. Citando o conceito de Zygmunt Bauman, que define a rede como uma dimensão na qual é possível se plugar e desplugar, Santos explicou à plateia que as comunidades são definidas por laços.

Em sua fala, Santos destacou que hoje a Aberje reúne 943 associadas, em um total de quase 10 mil profissionais da Comunicação. Ele destacou que a Aberje representa um espaço seguro onde especialistas podem trocar conhecimentos. “Os comunicadores precisam trabalhar hoje para criar ambientes seguros em um mundo de transições, pressões, polaridades e alterações do equilíbrio de nossas emoções”, explicou.

+O que é uma tendência e como trabalhar com ela?
+Tendências na gestão da reputação em tempos de mudanças sociais, políticas e tecnológicas
+CEOs em foco: Comunicação de impacto na era da transformação
+Mídia tradicional x Marketing de influência: Os limites da batalha pela audiência na era da inteligência artificial
+O desafio da comunicação interna na transição de mídias e gerações
+Fake news x Fact checking: A atualização da legislação na era da transição das mídias
+Tendências na carreira de comunicadores: Jornalismo de influência
+Governança e clima: Como a comunicação empresarial pode se engajar em temas como o G20 e COP30
+O que você precisa saber sobre mudanças climáticas no Brasil

“Hoje, o mercado de comunicação no Brasil é responsável por um orçamento de R$36 bilhões. O comunicador é um gestor desse orçamento, e cada vez mais precisamos estar próximos dos tomadores de decisão das organizações para isso, o que faz com que a pressão sobre nós cresça seguidamente”, enumerou Santos.

“A pressão e a transição afetam a relação entre medo e esperança: quem tem medo, tem esperança que seu medo não se concretize; e quem tem esperança, tem medo que sua esperança não se realize”, concluiu.

A 8ª edição do Aberje Trends contou com o patrocínio de BASF, Bayer, ENGIE Brasil, Gerdau, Itaú Unibanco, LATAM Airlines, Arcos Dorados, Novo Nordisk e Stellantis; o apoio da CPFL Energia, Prospectiva Public Affairs LAT.AM, P3K Comunicação e Tetra Pak; e media partner de InfoMoney e propmark.

  • COMPARTILHAR:

COMENTÁRIOS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *