Unisys anuncia apoio ao Cyber4Healthcare
16 de junho de 2020
  • English

A Unisys Corporation anunciou seu apoio à iniciativa Cyber4Healthcare, um programa do Instituto CyberPeace projetado para oferecer serviços gratuitos de segurança cibernética a provedores de serviços de saúde que combatem a pandemia de COVID-19. Isso ocorre após uma chamada pública no mês passado, pedindo aos governos de todo o mundo que unam forças com o setor privado e a academia para garantir que instalações médicas estejam protegidas contra ameaças cibernéticas. A Unisys Brasil é associada da Aberje.

Como parte de seu apoio ao programa, a Unisys fornecerá consultas on-line gratuitas projetadas para ajudar as organizações de assistência médica a abordar as seguintes áreas críticas de defesa cibernética:

· Como minimizar o efeito do ransomware dentro de uma organização, aproveitando estratégias comprovadas como Zero Trust e arquiteturas de rede como microssegmentação;

· Como estender com mais segurança os perímetros cibernéticos para incluir o trabalho em casa (home-office) com melhores práticas de identidade e criptografia;

· Uma “verificação pontual” do risco cibernético atual com base nas metas operacionais de uma organização individual.

“O mundo está em um momento crítico no tempo, pois os riscos à segurança que todos enfrentamos e nossa dependência da conectividade à Internet foram ampliados como resultado da pandemia da COVID-19”, disse Tom Patterson, Chief Trust Officer da Unisys. “Sabemos que os adversários podem atacar nossas infraestruturas mais críticas com o clique de um único funcionário trabalhando de casa. É por isso que a Unisys se orgulha de apoiar líderes governamentais, do setor e acadêmicos de todo o mundo para proteger dados de pacientes, testar informações e propriedade intelectual, para que nossos profissionais médicos na linha de frente possam se concentrar na prestação de cuidados aos pacientes em suas horas de necessidade!.

O Cyber4Healthcare pede ainda a interrupção dos ataques cibernéticos em hospitais, unidades de saúde e instalações de pesquisa médica, e que os agressores sejam responsabilizados pelo direito internacional a serem aplicados sempre que possível.

Hospitais e organizações de saúde estão sendo cada vez mais atacados como resultado da pandemia da COVID-19. A Interpol, Organização Internacional de Polícia Criminal, alertou recentemente que detectou um aumento significativo de ataques cibernéticos contra hospitais de todo o mundo envolvidos na resposta à COVID-19. E um alerta conjunto da Agência de Segurança e Segurança Cibernética do Departamento de Segurança Interna e do Centro Nacional de Cibersegurança do Reino Unido (NCSC) alertou para um aumento nas campanhas cibernéticas relacionadas ao Coronavírus que usam malware e “spray de senha” para atingir organizações de saúde, empresas farmacêuticas, organizações de pesquisa médica, governos locais e universidades. “Proteger a saúde como qualquer outra infraestrutura civil crítica é uma responsabilidade coletiva”, disse Stéphane Duguin, CEO do CyberPeace Institute. “Estamos muito animados em trabalhar com a Unisys para oferecer assistência às organizações de saúde, para que elas possam continuar protegendo a vida humana durante a pandemia”.

Como fornecedora de segurança global de infraestrutura crítica em todo o mundo, a Unisys está comprometida em tornar o ciberespaço mais seguro. O presidente e CEO da Unisys, Peter Altabef, co-presidiu a iniciativa Moonshot do Comitê Consultivo para Telecomunicações em Segurança Nacional (NSTAC), que exige uma “abordagem universal” para criar uma Internet mais segura e resiliente para serviços governamentais e de infraestrutura crítica. Em outubro de 2019, o Instituto Aspen anunciou compromissos de representantes do setor, incluindo a Unisys, para resolver o crescente déficit na força de trabalho de segurança cibernética.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.