fbpx
×

Unimed do Brasil realiza evento em parceria com a ANS sobre o Programa Parto Adequado

No dia 26 de abril de 2018, a Unimed do Brasil – representante institucional das cooperativas que atuam sob a marca Unimed e associado da Aberje – em parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), promoveu o 1º Workshop sobre o Programa Parto Adequado. O evento, realizado na sede da cooperativa na capital paulista, reuniu médicos cooperados e lideranças da Unimed do Brasil e de Unimeds locais. A programação trouxe dados estatísticos sobre maternidade no Brasil, experiências bem sucedidas da aplicação do programa no Sistema Unimed, entre outros tópicos relacionados.

Com o objetivo de identificar modelos inovadores e viáveis de atenção ao parto e nascimento, que valorizem o parto normal e reduzam o percentual de cesarianas indicadas eletivamente, foi criado o projeto Parto Adequado, desenvolvido pela ANS, o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde. Hoje, do total de 68 operadoras participantes do projeto, 36 são Unimeds, ou seja, mais da metade (53%). “É um grande desafio discutir a redução das cesáreas no setor de saúde. Há uma epidemia mundial de cesáreas que resulta comprovadamente em muitos problemas para as mães e os bebês. Com o workshop, a Unimed do Brasil busca sensibilizar seus parceiros e assim contribuir para uma quebra de paradigma, auxiliando na mudança do panorama atual. Para isso, apresentamos no evento os cases de sucesso no Sistema Unimed, como os das Unimeds Joinville (SC), Vitória (ES), Jaboticabal (SP), e Santa Bárbara d’Oeste e Americana (SP). Assim, mostramos aos participantes que é possível repensar essa prática e melhorar a qualidade da assistência ao parto”, diz o diretor de Gestão de Saúde da Unimed do Brasil, Orlando Fittipaldi Jr.

 

unimed-eventoparto

 

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que o Brasil possui a segunda maior taxa de cesáreas do mundo. Hoje, 55,6% dos nascimentos no País são cesáreas, quando consideradas as redes pública e particular. O segundo lugar fica com a República Dominicana, com 56%. O recomendado internacionalmente é que as cesáreas representem em torno de 15% do total de partos. Atualmente, o porcentual de cesáreas representa 34,7% do total de partos no SUS (Sistema Único de Saúde), já nos hospitais particulares essa taxa chega a 82,6%.