Scania participa do DATAGRO e anuncia demonstração de ônibus a gás em Ribeirão Preto
11 de março de 2022
  • English

Evento foi realizado nesta quarta (9) com palestra do presidente e CEO da fabricante na América Latina; prefeitura ficará com o veículo até a primeira quinzena de abril

A Scania marcou presença nesta quarta-feira (9) no “DATAGRO Abertura de Safra de Cana, Açúcar e Etanol 2022/23”, um dos principais eventos do setor sucroenergético, que está sendo realizado em Ribeirão Preto (SP). O presidente e CEO da empresa na América Latina, Christopher Podgorski, participa do painel 1 ‘Etanol e Biometano na COP26’. Em seu estande, a empresa apresenta dois caminhões a gás inéditos. Também em Ribeirão Preto, a partir de amanhã, a Scania iniciará uma demonstração em parceria com a prefeitura com seu ônibus movido a gás pela primeira vez na cidade. “O setor de transporte é parte do problema de emissão de gases de efeito estufa, mas seremos parte da solução para um futuro carbono neutro, isso passa necessariamente pela vocação do Brasil no agronegócio e na oportunidade de geração de energia limpa”, diz o executivo. “Entre os recados de Glasgow e os compromissos estabelecidos, entendemos que o biocombustível ganha relevância no cenário de descarbonização”, completa.

Podgorski irá abordar durante o evento a estratégia da fabricante sueca para viabilizar e ganhar escala no uso de combustíveis alternativos ao diesel. “O biometano, que chamamos de pré-sal caipira, tem grande potencial de virar uma moeda do agronegócio, gerando mais uma fonte de receita para o produtor. Esta solução não é apenas viável, mas ela está disponível aqui e agora”, destaca. Para acompanhar toda esta potencialidade, a  cadeia de produção do biometano precisa crescer em todo o país.

Nas ruas de Ribeirão Preto – Pela primeira vez Ribeirão Preto fará uma demonstração com um ônibus movido a gás. A parceria da Scania com a prefeitura terá o modelo urbano K 280 4×2, que poderá ser abastecido tanto com biometano e/ou gás natural. O Scania K 280 4×2 estará em operação com a Rápido D´Oeste, cliente escolhido para conduzir o veículo em um período de aproximadamente um mês (previsão de encerramento na primeira quinzena de abril) em uma rota que contempla Ribeirão Preto e região.

A Casa Scania Escandinavia será responsável por todo o apoio ao cliente e à prefeitura. Esse é o primeiro ônibus urbano com tração 4×2 a gás que a Scania fabrica no país, e se mostra uma opção mais sustentável e viável para o transporte de passageiros nos grandes centros. Com mais de 80 anos, a Rápido D’Oeste, atende mais de 40 cidades de SP, além de atuar no fretamento e turismo, e faz parte do PróUrbano, consórcio do transporte coletivo de Ribeirão Preto. Antes de iniciar a demonstração, o ônibus será usado para levar uma comitiva de autoridades e convidados da prefeitura para a abertura do DATAGRO.

Em exposição – O estande da Scania no DATAGRO tem a exposição do próprio K 280 4×2 da demonstração em Ribeirão Preto abastecido com gás natural comprimido (GNC) e de dois caminhões a gás, um cavalo mecânico vocacionado ao transporte de cana-de-açúcar e outro semipesado para a coleta de lixo.

O caminhão pesado canavieiro G 410 XT 6×4, movido a biometano, está em demonstração na Cocal, uma das principais produtoras de açúcar, etanol e bioenergia no Brasil, desde 2020. É o primeiro caminhão pesado off road movido a gás do mundo. No início, era adquirido o combustível de um fornecedor. Mas, recentemente, a própria Cocal passou a produzir seu biometano para abastecer o modelo. Uma das fontes é a vinhaça, composto químico líquido que surge pelo processo industrial que transforma a cana-de-açúcar em álcool. Ou seja, os resíduos da usina são revertidos em combustível. Neste período, já foram rodados cerca de 80 mil km e nenhuma falha operacional foi apontada. O biometano reduz em até 90% as emissões de CO2 em comparação ao diesel.

Outro modelo inédito é o P 280 4×2, que faz sua estreia em uma exposição ao público. É o primeiro caminhão a gás da marca para a coleta de lixo residencial da história do Brasil. Outros dois diferencias são a suspensão a ar no eixo traseiro e a caixa automatizada. A suspensão a ar traz mais conforto ao motorista e ocupantes, reduz o consumo de combustível e diminui o custo de manutenção. A caixa automatizada Scania Opticruise tem 12 marchas e traz uma novidade para o segmento que tornará a operação do cliente mais eficiente. A cabine é maior para garantir ainda mais espaço interno para os ocupantes. Da mesma forma que o modelo canavieiro, a própria atividade do segmento é capaz de gerar o biometano. Os aterros sanitários produzem o metano, que pode virar biogás e sendo purificado se transforma em biometano. Mas, na maioria das vezes o metano é queimado e perdido. Ou seja, o potencial brasileiro é imenso. Além disso, o motor do veículo é mais silencioso do que o diesel reduzindo a poluição sonora dos bairros residenciais trazendo mais qualidade de vida.

A evolução da agenda da sustentabilidade no setor de transportes segue em foco para a Scania, que já superou os 600 caminhões a gás comercializados e acabou de anunciar a venda dos primeiros veículos movidos 100% a GNL (gás natural liquefeito) da história do Brasil para a Morada Logística (SP).

Linha Scania a gás: seguros e viáveis

Os pioneiros caminhões Scania movidos a gás (natural e/ou biometano) são vocacionados para médias e longas distâncias. Seus motores Ciclo Otto (o mesmo conceito dos automóveis) são movidos 100% a gás natural e/ou biometano, ou mistura de ambos. Os motores não são convertidos do diesel para o gás, têm garantia de fábrica, tecnologia confiável e desempenho consistente e força semelhante ao diesel. Além de serem mais silenciosos. Já possuem tecnologia para atender aos requisitos da fase P8 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), ou Euro 6, que entrará em vigor a partir de 1.º de janeiro de 2023. As potências são: 280, 340 ou 410 cavalos.

A segurança é total em caso de acidentes ou explosão. Os cilindros e válvulas são certificados pelo Inmetro (em conformidade com a lei). São três válvulas (vazão, pressão e temperatura) que liberam o gás em caso de anomalia em um destes três quesitos. Os cilindros são extremamente robustos (o material é de ogivas de mísseis). Em caso de incêndio ou batida o gás é liberado para a atmosfera e se dissolve sem perigo de explosão ao contrário de um veículo similar abastecido a diesel que é mais perigoso, pois o líquido fica no chão.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.