Relatório da XP e Convocados traz informações sobre o mercado consumidor de futebol no Brasil
20 de junho de 2022
  • English

Documento traz um raio-x do futebol brasileiro em 2021, disponibilizando informações inéditos sobre as finanças dos clubes

O torcedor brasileiro segue apaixonado por futebol: 75% das pessoas têm no futebol seu esporte favorito. Com tamanha atenção do público, é inevitável que as marcas busquem o esporte para ações publicitárias.

As receitas com Publicidade e Marketing atingiram 16% do total, passando de 1,4% do investimento publicitário no Brasil em 2020 para 2% em 2021. “Quando o trabalho é bem-feito, o futebol atrai o parceiro certo e pode impulsionar negócios. No ano passado, 72% dos torcedores disseram conhecer os patrocinadores da camisa dos seus clubes. Entretanto, fica claro que a lembrança é maior quanto menos patrocinadores, o que é algo para os clubes terem em mente na hora de trabalharem suas marcas”, aponta César Grafietti, sócio do Convocados.

Segundo Matheus Lombardi, Head de Relações Públicas da XP, “a XP foi a pioneira no movimento das SAFs ao assessorar o Cruzeiro e o Botafogo, liderando esse movimento transformador para o futebol brasileiro. Acreditamos muito no potencial do esporte para melhorar a vida da pessoas e dos clubes, e temos muito orgulho em compartilhar o mais relevante relatório sobre a situação financeira do nosso futebol e dos principais times brasileiros. De forma inédita, trouxemos também uma visão aprofundada sobre o cenário atual do futebol feminino e todo o seu potencial de crescimento. Estamos no início de uma revolução.”

Receita dos clubes

A receita de clubes da série A do futebol brasileiro cresceu apenas 1% nos últimos 3 anos. Esse é um entre milhares de outros dados que constam em relatório inédito elaborado pela XP, pioneira no Brasil na assessoria financeira para clubes de futebol se tornarem empresas (SAFs), e a consultoria Convocados, especializada na cobertura da indústria do futebol. Lançado nesta terça-feira, o Relatório Convocados XP: Finanças, História e Mercado do Futebol Brasileiro traz um raio-x das finanças dos clubes, características dos torcedores e o mercado consumidor, com dados inéditos sobre o momento de transformação pela qual o esporte passa no país e os impactos da pandemia.

O Relatório Convocados mostra que as receitas totais da Série A fecharam a temporada em R$6,6 bi, crescimento de 1% em relação a 2019, último ano antes da pandemia. Sob a ótica das receitas recorrentes – que excluem as negociações de atletas – a principal divisão do futebol brasileiro fez R$5,8 bilhões em receitas, crescimento de 8,7% sobre 2019. O valor, apesar de ser um sinal positivo por indicar crescimento, também é um alerta aos clubes: as receitas com negociação de atletas estão mudando e cada vez menos serão a tábua de salvação para aqueles em dificuldades.

“O ano de 2021 no futebol brasileiro foi marcado pela confirmação de que a pirâmide competitiva mudou. A ideia de que temos 12 clubes grandes e prontos a competir pelo título ficou para trás. Números e desempenho não deixam dúvidas. No ano passado tivemos Botafogo, Cruzeiro e Vasco disputando a Série B. Ao final da temporada vimos apenas um deles retornar, mas também a queda de Bahia, Grêmio e Sport Recife. Méritos dos que permaneceram e alerta de que não basta mais a história. É fundamental ser eficiente hoje”, afirma César Grafietti.

Os Direitos de Transmissão seguem como carro-chefe das receitas dos clubes, com 53% do total. Os dados de 2021, no entanto, refletem receitas com comportamento errático por conta da ausência de público nos estádios e da postergação das competições. Ainda sobre Transmissão, 34% dos torcedores assinaram algum serviço de streaming para acompanhar esportes em 2021, reforçando a tese de que é mais uma fonte potencial de receitas para os clubes.

Esporte como plataforma de comunicação

Os esportes movimentam pessoas no mundo todo em torno de sua grande expressão cultural. Neste contexto, atletas, marcas e equipes têm influência direta sobre as vidas das pessoas, evidenciando o papel social do esporte. Em um ano de Copa do Mundo, a Aberje promove um painel posterior ao Aberje Trends para discutir como o esporte pode ser uma ferramenta de comunicação eficiente para organizações preocupadas com sua imagem e metas de ESG. O evento ocorre no dia 30 de junho, às 10h, será online e as inscrições já estão abertas. O painel de palestrantes conta com Walter Júnior, Presidente do Referência Futebol Clube; Philipe Deschamps, Gerente de Cultura e Comunicação Corporativa da State Grid Brazil; Heloísa Rios, sócia e CEO da Universidade do Futebol; David Grinberg, Vice-Presidente de Comunicação Corporativa da Arcos Dorados (McDonald’s) para a América Latina; Beatriz Haddad  Maia, tenista; e Pedro Torres, Head Global de Comunicação da Gerdau.

 

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.