Plataforma Mulheres Positivas e TIM lançam mapa que indica em tempo real “zonas de perigo” para mulheres
03 de agosto de 2022
  • English

Desenvolvida pela BETC HAVAS, função “Caminho Delas” está disponível gratuitamente no app Mulheres Positivas; Informações sobre episódios de violência contra mulheres são inseridas na ferramenta de geolocalização pelas próprias usuárias; Lançamento acontece inicialmente no Rio de Janeiro, para o Festival TIM Music Mulheres Positivas

As usuárias da plataforma Mulheres Positivas poderão reportar situações de violência vivenciadas ou presenciadas em uma nova ferramenta e auxiliar outras mulheres em seus deslocamentos. Por meio de um mapa de calor, a funcionalidade “Caminho Delas” une dados compartilhados a partir de geolocalização sobre banco de dados com estatísticas combinadas à inteligência artificial para indicar regiões com maior incidência de casos de violência contra a mulher. Disponível gratuitamente no app Mulheres Positivas, apoiado pela TIM, a ferramenta foi desenvolvida pela agência BETC HAVAS.

A novidade será lançada inicialmente na cidade do Rio de Janeiro, na data (29/07) em que começa o Festival TIM Music Mulheres Positivas. Serão dois dias de shows – no Theatro Municipal a preços populares e, no dia seguinte (30/07), na Cinelândia com entrada franca – reunindo grandes cantoras para celebrar o talento das mulheres e gerar recursos para entidades que acolhem aquelas que são vítimas de violência. Estão confirmados nomes como Ludmilla, Luísa Sonza, Liniker e Mart´nália.

Ainda sem dados neste primeiro momento, a plataforma – que atuará como um mapa colaborativo – servirá como um convite às mulheres. A ideia é que elas possam levar cada vez mais informações para dentro do aplicativo e participem, de fato, da construção desse ‘Caminho’ seguro. Por isso, é essencial que o maior número de mulheres faça o primeiro acesso e contribua para o início desse mapeamento e, assim, ele se torne um aliado importante na luta contra a violência.

No futuro, “O Caminho Delas” pretende apontar as regiões com ocorrências de violência contra a mulher em qualquer cidade brasileira, a fim de que as chamadas “zonas de perigo” sejam sinalizadas de forma colaborativa pelas usuárias do aplicativo. Para criar a ferramenta, o Mulheres Positivas firmou parceria com a startup italiana Wher, de maneira a reproduzir no Brasil e na América Latina o modelo já implementado na Europa, em países como Itália, França e Reino Unido. “Nosso objetivo é que ‘O Caminho Delas’ forneça mais segurança ao ir e vir das mulheres que utilizam o Mulheres Positivas”, conta Fabi Saad, empreendedora e criadora da plataforma.

A TIM, que promove o festival de música, é parceira do Mulheres Positivas há um ano e apoia o lançamento do mapa. A empresa lidera um movimento com mais de 100 companhias que inserem no app Mulheres Positivas suas vagas de emprego e cursos para ampliar a participação das brasileiras no mercado de trabalho. Os conteúdos são gratuitos e clientes da operadora ainda navegam sem gastar seu pacote de internet, benefício que vale também para o uso de “O Caminho Delas”. Segundo Ana Paula Castello Branco, diretora de Advertising e Branding da TIM, a novidade potencializa o projeto ao contemplar também iniciativas de combate à violência contra a mulher: “estamos criando uma grande rede de apoio, formada pelas próprias usuárias e com o suporte das empresas, com o objetivo de empoderar ainda mais as brasileiras e contribuir de alguma forma com a sua segurança, em diferentes aspectos”, explica a executiva.

Uma em cada quatro mulheres brasileiras acima de 16 anos sofreu violência entre maio de 2020 e maio de 2021, de acordo com a última edição do relatório “Visível e Invisível: A Vitimização das Mulheres no Brasil” (2021), elaborado pelo Fórum de Segurança Pública em parceria com o Instituto Datafolha. O estudo mostra ainda que cinco em cada 10 brasileiros (51,1%) relataram ter visto uma mulher sofrer algum tipo de violência no seu bairro ou comunidade ao longo dos últimos 12 meses e, 73,5% acreditam que a violência contra as mulheres cresceu durante a pandemia de Covid-19. Entre outros dados alarmantes, o relatório afirma que 17 milhões de mulheres sofreram violência física, psicológica ou sexual no ano passado e, para 44,4% dos entrevistados, o período da pandemia significou também momentos de mais estresse no lar. O relatório completo pode ser acessado aqui.

Sobre a plataforma Mulheres Positivas
A plataforma Mulheres Positivas foi criada em 2010, e, desde então, vem promovendo o desenvolvimento pessoal e profissional de mulheres com mais de 200 cursos, vídeos de capacitação, histórias inspiradoras e oferta de vagas no mercado de trabalho em todo o Brasil. O aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente no site da plataforma e nas lojas App Store e Google Play, já está disponível também para as usuárias da Colômbia, México e dos Estados Unidos, onde o projeto funciona por meio do site Positive Woman. O movimento conta com mais de 100 companhias participantes, que oferecem cursos de capacitação e disponibilizam suas oportunidades de emprego no app, que foi baixado mais de 250 mil vezes. A estimativa é que os serviços oferecidos já tenham impactado 25 milhões de mulheres. O login pode ser feito tanto com o número do celular como com o endereço de e-mail. Clientes TIM podem usar o aplicativo sem consumo de dados móveis.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.