Mulheres na liderança refletem pioneirismo do inpEV também em diversidade
08 de junho de 2021
  • English

Presença feminina cresce no mundo agro e contribui para o sucesso do Sistema Campo Limpo

Em cargos diversos, cresce participação feminina no Sistema Campo Limpo

Única mulher entre 20 pessoas a participar da reunião do Conselho Diretor do inpEV, em 2002, quando a entidade iniciou suas operações, Regina Sousa, gerente Administrativa e Financeira do Instituto, assistiu à mudança dessa realidade ao longo de quase 20 anos. O crescimento da participação feminina no mercado de trabalho também aconteceu no mundo agro, onde as mulheres ganham cada vez mais espaço.

No inpEV, há cerca de 25% de mulheres no quadro de funcionários e essa porcentagem chega a 50% em nível gerencial. Atualmente, ao lado do diretor-presidente e dos outros gerentes, quatro profissionais lideram um grupo formado por gestoras de centrais de recebimento de embalagens vazias, coordenadoras e supervisoras regionais estabelecidas nas mais diversas regiões do País e que contribuem para os bons resultados do Sistema Campo Limpo.

Pioneira na abertura desse caminho, Regina Sousa conta que foi bem-sucedida em seus objetivos, porque a cultura do inpEV sempre foi a de contratar e avaliar de acordo com as qualificações, sem diferenciação de gênero, idade ou qualquer outro fator. “Tanto é verdade que hoje as mulheres ocupam desde cargos de liderança até os operacionais e conquistaram este mercado pela capacidade de saber ouvir e agir de forma colaborativa e não impositiva”, afirma.

Trajetória recompensadora

Uma dessas mulheres na liderança é a engenheira agrônoma Acilamar Vilela, coordenadora regional de Operações, que trabalha no inpEV desde 2009. Ela superou desafios no início da carreira, nos anos 80 e 90, para chegar à realização profissional. “Percebi que teria de me transformar em uma agente de mudanças para romper com os preconceitos e os paradigmas da desigualdade de gênero no mercado de trabalho. Hoje tenho orgulho do caminho percorrido e da minha contribuição. O agro é uma grande paixão. Não foi uma trajetória fácil, mas é uma trajetória recompensadora”.

A postura determinada também levou Edilene Sarmento Araujo, supervisora da central de Boa Vista (RR), a acumular conquistas. Ela atua no Sistema Campo Limpo desde 2015 – era gerente de revendas – e trabalhou junto com a coordenadora regional do inpEV, Ana Telma Soares, para construir uma central de recebimento em Roraima, o que aconteceu em 2021. “Ainda hoje, é preciso ser firme nas orientações, especialmente quando falamos com agricultores, mas vamos vencendo esses desafios”, explica Edilene. ”É preciso ser firme nas orientações, especialmente quando falamos com agricultores, mas vamos vencendo esses desafios”, completa.

Supervisora da central de Boa Vista do Incra (RS), a engenheira de produção Lírica Jesus Hott Vieira construiu sua carreira no inpEV, onde foi contratada, em 2017, após adotar o programa de logística reversa como seu tema do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). “Encontrei um ambiente de respeito e harmonia no trabalho, que permite superar desafios e mostrar a força de uma mulher decidida e determinada, mesmo que a sociedade ainda subestime suas qualidades. Apesar dos preconceitos, temos mostrado na prática nossa competência, dinamismo, qualidade e excelência na entrega de resultados. Isso tem aberto as portas do mercado de trabalho para as mulheres, trazendo reconhecimento em diversos setores, inclusive, no agro”, afirma.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *