Instituto Natura lança curta sobre a política pública de Ensino Médio Integral
13 de dezembro de 2021
  • English

Com estreia prevista para o dia 14 de dezembro, “Histórias de Transformação” tem participação do ex-secretário de Educação da Paraíba, Alessio Trindade, e mostra avanços na diminuição da violência no estado em função do modelo de ensino

Com o propósito de celebrar os resultados do Ensino Médio Integral e destacar a importância da continuidade da expansão desta política pública, o Instituto Natura lança, no dia 14 de dezembro, o curta “Histórias de Transformação”. Narrado por um ex-aluno do modelo em Pernambuco, o vídeo abordará a trajetória do ensino integral e os efeitos de sua expansão por todo o Brasil.

Além de depoimentos de professores e alunos egressos, o vídeo também contará com a participação do ex-secretário de Educação da Paraíba, Alessio Trindade, que implementou o modelo no estado.

“Em 2016, começamos com a implementação do Ensino Médio Integral em oito escolas no estado. Em 2019, já estávamos com 153 instituições neste modelo e assim continuamos até universalizar o acesso em todos os municípios. A ideia de projeto de vida, associada a um modelo de gestão bem definido e uma formação de professores bem praticada, com melhoria contínua, foram os diferenciais que nos levou a acreditar e apostar nas escolas integrais, que, hoje, chamamos de Escolas Integrais Cidadãos da Paraíba”, comenta o Alessio.

Além da Paraíba, ex-alunos e professores do modelo em outros estados mostrarão suas vivências proporcionadas pelo Ensino Médio Integral. É o caso de Sunamita da Anunciação, estudante egressa da Escola de Referência em Ensino Médio Ginásio Pernambucano, no Recife (PE), primeira escola de Ensino Médio Integral do estado e a segunda escola pública mais antiga do Brasil. Inaugurada em 1825, grandes personalidades brasileiras já passaram pela EREM, como Ariano Suassuna, que escreveu e encenou pela primeira vez o Auto da Compadecida no teatro da escola.

“A oportunidade que eu tive de estudar coisas que, infelizmente, a escola pública tradicional não oferecia, colaborou muito com o meu futuro. Eu consegui passar no vestibular com as 10 primeiras melhores notas da escola e ganhei uma bolsa de estudos em uma universidade na Espanha para cursar Engenharia Química. Eu considero que a forma como eu executo o meu trabalho hoje em dia é totalmente atrelada ao que eu aprendi no Ensino Médio Integral: liderando, sendo líder e agente de mudança, porque foi isso que aprendemos com o modelo”, comenta Sunamita.

Em todo o Brasil, já são quase 3.500 escolas de Ensino Médio Integral fomentadas pelo MEC ou por iniciativa estadual, e milhões de estudantes beneficiados. No modelo, estudantes se dedicam a diversas atividades durante um dia inteiro. Além de aprenderem matérias obrigatórias da base curricular, como português e matemática, o ensino integral tem o intuito de incentivar o aluno a ser o protagonista de sua própria história, o encorajando a planejar seu futuro por meio do Projeto de Vida. Como resultado, uma perspectiva otimista a longo prazo para o jovem. Enquanto quatro a cada dez estudantes formados na escola de tempo parcial têm chance de entrar para a faculdade, para os que finalizaram o Ensino Médio Integral a estimativa sobe para seis a cada dez. Além disso, crescem também as chances de ganhar mais. Um aluno formado no Ensino Médio Integral pode ganhar, em média, 18% a mais que um aluno formado na escola de tempo parcial.

O curta poderá ser acessado pelo site oficial e também pelo canal do Youtube do Instituto Natura a partir da terça-feira, 14 de dezembro.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.