Influenciadores se unem contra o discurso de ódio nas redes sociais
16 de julho de 2018
  • English

Nicholas Vital

Nos últimos anos, as redes sociais se transformaram em verdadeiras zonas de guerra. Em tempos de polarização extrema, as discussões, que outrora contribuíam para o aprofundamento dos debates e a construção de ideias, hoje são pautadas majoritariamente pela intolerância. Buscando mudar esta realidade e transformar a internet em um lugar mais civilizado, foi lançada na última sexta-feira (13) a Redes Cordiais, um movimento que tem como objetivo engajar os influenciadores digitais para uma comunicação menos violenta e sensibilizá-los para o compartilhamento mais consciente de conteúdos na internet.

Primeira reunião do grupo foi realizada em São Paulo e contou com a presença de formadores de opinião dos mais variados tipos, como o ex-ministro do TSE Henrique Neves, a colunista Julyana Mendes (do canal Mãe de sete), a jornalista Leda Nagle e seu filho Duda, Gabriel Azevedo (um dos fundadores do canal MyNews) e a apresentadora Marina Person. No total, estiveram presentes cerca de 20 influenciadores digitais.

Primeiro Redes Cordiais reuniu diversos influenciadores digitais, dia 13 de julho em São Paulo

“O Redes Cordiais surgiu a partir de uma conversa de amigos, com o objetivo de combater o discurso de ódio e a disseminação em massa de notícias falsas na internet”, afirma Alana Rizzo, cofundadora do movimento. “A nossa ideia é reunir um grupo com voz ativa e que pode impactar milhões de pessoas – que são os influenciadores. A gente não quer que ninguém passe a se amar nas redes. Este é um espaço de debate, onde as pessoas vão concordar ou discordar, mas a gente quer que isso seja feito de forma respeitosa, cordial.”

Após uma manhã inteira de intensos debates, o grupo ainda teve a oportunidade de assistir a uma apresentação da jornalista Cristina Tardáguila, fundadora da agência Lupa, pioneira na checagem de notícias no Brasil, que falou sobre um dos temas mais quentes neste momento pré-eleitoral: as fake news. De forma bem humorada, Tardáguila falou sobre a história da Lupa, os problemas gerados pela disseminação de notícias falsas, os ataques recebidos por ela e sua equipe e apresentou algumas técnicas simples de verificação de conteúdo para os influenciadores.

“O que nos motiva é o processo de educação das pessoas, para que elas saibam identificar o conteúdo relevante, as notícias verdadeiras, que elas promovam um debate mais respeitoso nas redes sociais”, diz Neivia Justa, associada da Aberje e uma das organizadoras do evento. “A nossa intenção aqui é fomentar essa convivência cordial nas redes, que as pessoas aprendam a ouvir o outro, que estejam predispostas a entender o ponto de vista do outro. Não é para concordar – mas que a gente discorde com argumentos, não com agressividade, não desrespeitando o outro.”

A ideia dos organizadores é que o movimento Redes Cordiais se torne um espaço permanente de diálogo e conscientização, sempre contando com a ajuda dos influenciadores digitais para disseminar esses conceitos. Até o final do ano, serão pelo menos mais três encontros como este. “Vamos viajar o Brasil disseminando essas ideias”, garante Alana Rizzo.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.