Grupo Solvay investe para alcançar neutralidade de carbono antes de 2050
03 de novembro de 2021
  • English

  • Todos os negócios, exceto carbonato de sódio (soda ash), devem alcançar a neutralidade de carbono até 2040 com um investimento de até € 1 bilhão
  • Carbonato de sódio vai completar a neutralidade de carbono antes de 2050 com outros investimentos identificados de aproximadamente € 1 bilhão até 2040
  • A expectativa é que esses investimentos gerem retornos econômicos relevantes

O Grupo Solvay anunciou hoje seus planos para alcançar a neutralidade de carbono antes de 2050. Essa é a próxima etapa da jornada de sustentabilidade em curso da empresa e se baseia nas metas de 2030 estabelecidas em seu roteiro de sustentabilidade, denominado Solvay One Planet, lançado em janeiro 2020. Como parte de seu roteiro, a Solvay está atualizando sua meta de redução de emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030 (de 26% anunciado inicialmente no início de 2020).

Para atingir a neutralidade de carbono no futuro, a Solvay deve investir em inovação hoje. A empresa concentrará seus esforços na maximização da eletrificação e da energia limpa, como a energia solar e o uso sustentável de biomassa em suas fábricas, bem como na facilitação de inovações de processo.

Além disso, as alavancas de infraestrutura, regulatórias e macroeconômicas possibilitadas pelas políticas públicas serão um componente crítico nas decisões de investimento da Solvay para atingir essas ambições. Parcerias com autoridades e outros públicos de interesse serão os principais impulsionadores para uma transição acessível e competitiva para energia mais limpa em toda a cadeia de valor da companhia.

Ilham Kadri, CEO da Solvay, disse: “Desde o lançamento do Solvay One Planet, nós cumprimos o Acordo de Paris e o anúncio de hoje sobre a neutralidade de carbono é mais um marco nossa jornada, incluindo nossa decisão de eliminar gradativamente o carvão na segunda planta de carbonato de sódio em apenas dois anos. Nosso novo roteiro de neutralidade de carbono, respaldado por investimentos significativos, provará mais uma vez que ações voltadas para o clima são boas para o planeta e para os negócios – e iremos continuamente informar o progresso em relação a essas metas”.

“Ao mesmo tempo – acrescentou Ilham Kadri -, estamos preparando nossos compromissos de escopo 3 com a iniciativa Metas Baseadas em Ciência (Science-Based Targets – SBTi). Acreditamos que a sustentabilidade gera lucratividade e continuaremos a desenvolver nosso pipeline de inovação para fornecer as soluções sustentáveis de que nossos clientes precisam para as tecnologias futuras de amanhã em áreas como eletrificação, redução de peso e hidrogênio verde”.

Criando a base para um futuro neutro em carbono – O roteiro da Solvay inclui uma abordagem de três fases que contemplando três décadas, com o foco principal na troca de fontes de energia para reduzir as emissões e melhorar a pegada de carbono do Grupo em todos os seus negócios e atividades operacionais.

Fase 1: 2020 a 2030

A Solvay alinhou suas metas de redução de emissões com o Acordo de Paris dentro do programa holístico Solvay One Planet. No final de 2020, 8% de reduções estruturais de emissões foram atingidas em relação à referência de 2018.

Em outubro de 2020, a empresa aderiu à iniciativa Metas Baseadas em Ciência (Science-Based Targets) e atualmente está trabalhando para definir seus objetivos para as emissões do escopo 3. A Solvay espera finalizar as metas do escopo 3 e informar mais sobre essas ambições em 2022.

Até o momento, 36 projetos de redução de emissões estão em andamento, representando 2,4 megatons de CO2 por ano, o que equivale à redução de emissões de carbono de 1,3 milhão de veículos movidos à combustível a cada ano.

A Solvay está entre as 10 maiores empresas dos EUA para energia solar instalada, tendo feito a transição de três de seus negócios principais nos EUA em 17 unidades para 100% de eletricidade renovável a partir de janeiro de 2021.

A companhia também se orgulha de ser membro do programa de Energia Limpa para Fornecedores da Apple e fez a transição com sucesso de suas operações relacionadas à Apple para energia 100% verde.

O compromisso da Solvay de eliminar gradualmente o uso de carvão até 2030 está bem encaminhado no negócio de carbonato de sódio. Conforme anúncio do início deste ano, a fábrica de carbonato de sódio da Solvay em Reinberg, na Alemanha, deve se tornar a primeira planta de carbonato de sódio do mundo a ser alimentada principalmente por energia renovável até 2025, graças à biomassa sustentável derivada de cavacos de madeira descartados, o que reduzirá 4% das emissões totais do Grupo.

Em 27 de outubro de 2021, o conselho de administração da Solvay aprovou a transição da unidade de carbonato de sódio em Dombasle, na França, para combustível derivado de resíduos já em 2024, o que reduzirá em mais 2% as emissões totais do Grupo.

Fase 2: 2030 a 2040

A Solvay continuará a executar novos projetos de transição energética para o Grupo com a meta de atingir a neutralidade total em todos os negócios, além do carbonato de sódio.

A empresa continuará a implantar e acelerar a eletrificação para negócios de baixo a médio consumo de energia.

A empresa executará inovações de processo e novas tecnologias de energia, especialmente para negócios e unidades com alto consumo de emissões.

Fase 3: 2040 a 2050

O roteiro da Solvay continua para fazer com que as unidades restantes de carbonato de sódio, que sejam de difícil descarbonização (hard-to-abate), alcancem a neutralidade antes de 2050.

A empresa espera usar compensações em um volume de até 10% (da referência de 2018), principalmente por meio de programas de compensação baseados na natureza, aderindo a padrões de sustentabilidade de alta qualidade e em parceria com ONGs.

Investimentos – A Solvay planeja investir até € 1 bilhão para alcançar a neutralidade de carbono até 2040 em todos os seus negócios, exceto carbonato de sódio. Investimentos adicionais de aproximadamente € 1 bilhão foram identificados para que o carbonato de sódio inicie seu caminho para a total neutralidade de carbono do Grupo antes de 2050.

Esses investimentos serão parcialmente apoiados por financiamento sem garantia, permitindo que a Solvay também continue a investir em suas iniciativas de crescimento. Estudos adicionais sobre inovação tecnológica determinarão as necessidades de investimento futuras além de 2040.

A empresa também aumentou seu preço interno de carbono de € 50 para € 100 por tonelada métrica de CO2, garantindo que os investimentos futuros sejam direcionados a projetos de emissão zero.

A Solvay espera plenamente que os investimentos agreguem valor, gerando retornos bem superiores ao custo de capital do Grupo, e a estimativa é que eles representem cerca de 10%, em média, do gasto de capex anual.

Informações adicionais

1 – Os planos abrangem todas as emissões de escopo 1 e 2 produzidas por suas operações globais. O Escopo 1 cobre as emissões diretas de fontes próprias ou controladas. O Escopo 2 cobre as emissões indiretas da geração de energia comprada (por exemplo, eletricidade, vapor, aquecimento, resfriamento) consumidos pela empresa.

2 – O Escopo 3 cobre todos os demais impactos a montante e a jusante da cadeia de valor do Grupo.

3 – Combustível derivado de resíduos (RDF, na sigla em inglês) compreende os resíduos não recicláveis (industriais, comerciais e municipais) que só podem ser valorizados termicamente.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.