Edenred Brasil compensa mais de 3.000 toneladas de CO2e em 3 anos
03 de dezembro de 2021
  • English

Relatório de Sustentabilidade da marca líder em soluções transacionais mostra que pandemia aumentou os índices de redução na emissão de gases de efeito estufa

Nova identidade da Edenred

A Edenred Brasil, detentora das marcas Ticket, Ticket Log, Repom e Edenred Soluções Pré-Pagas, se mobiliza, historicamente, com ações voltadas às práticas sustentáveis, através de soluções verdes e que atendam todas as necessidades dos seus públicos. Em 2020, a marca comemorou os resultados positivos relacionados à redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE), compensando 1.692 toneladas de CO2 emitidas pelo Grupo.

As emissões são divididas em três grandes grupos: o Escopo 1, que se refere às emissões diretas; o Escopo 2, pertinente à compra de energia elétrica; e o Escopo 3, relacionado às emissões indiretas. A Edenred realiza os cálculos de emissões de gases de efeito estufa por meio do Programa Brasileiro GHG Protocol, uma metodologia reconhecida internacionalmente e com base científica utilizada pelas maiores empresas do mundo. Depois os cálculos são auditados por uma terceira parte independente. A realização do inventário de GEE é a principal ferramenta para a gestão de emissões de gases com potencial de aquecimento global. Esses dados permitem direcionar esforços para as categorias que possuem maior potencial de redução de emissões ou maior relevância dentro do inventário. Estes são pela ordem de não geração de emissões, adoção de alternativas com menor pegada de carbono como uso de etanol na frota, troca de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED, equipamentos com eficiência energética, tratamento e destinação correta de resíduos e efluentes, manutenções preventivas em equipamentos e por fim a compensação das emissões.

Em 2020, pela primeira vez, a Edenred envolveu todas as marcas na análise, sendo em 2020 o primeiro ano onde foi o primeiro que compensamos o escopo 3, nossas emissões indiretas. Ano a ano mais marcas vêm realizando o inventário e no último ciclo, foram compensadas as emissões de todos os escopos pela primeira vez, nos anos anteriores era somente escopo 1 e 2. “Em 2018, a Ticket e a Ticket Log compensaram as emissões dos escopos 1 e 2. Em 2019, a Repom se uniu às duas marcas e também compensou emissões dos dois primeiros escopos. Ano a ano, viemos incluindo as marcas junto aos inventários de GEE. Nosso compromisso é reduzir 26% os gases de efeito estufa até 2022 e 52% até 2030. Queremos estar cada vez mais próximos e alinhados às práticas de ESG, além de avaliarmos como nossas ações contribuirão para um futuro melhor”, conta Alaor Aguirre, Vice-Presidente da Edenred Brasil.

O tema gestão de emissões vai além da gestão dos escritórios, ele também está presente nas soluções que entregamos aos clientes. Na produção e entrega dos cartões, por exemplo, há cuidados para reduzir a pegada de carbono. Na Ticket Log, há a gestão das emissões de GEE dos clientes, por meio de uma ferramenta na plataforma Sou Log. Há, ainda, o Programa Crédito de Carbono, que oferece aos clientes a oportunidade de gerar créditos (cada crédito de carbono equivale a uma tonelada de gás carbônico que pode ser compensada) por meio do abastecimento de sua frota com no mínimo 95% de etanol, que é neutro em emissões. Já a Plataforma Compense ofertou aos clientes, em 2020, a possibilidade de compra e venda de créditos de carbono para compensação.

As ações ambientais da Edenred Brasil estão relacionadas à estratégia global de sustentabilidade do Grupo, o Ideal, no pilar Ideal Planet, que atua na preservação do meio ambiente, com compromissos e metas a serem atingidas até 2030, e que exige o comprometimento dos países para atingimento do resultado global. Reduzir a pegada de carbono, o consumo de energia e recursos naturais, e a geração de resíduos; desenvolver serviços ecologicamente corretos para a mobilidade e o desperdício de alimentos; e gerenciar os impactos de nossas soluções durante seu ciclo de vida são os três compromissos que estão em linha com Objetivos do Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU e que requerem esforços globais até 2030.

Impactos da pandemia na emissão de GEE

Se comparado aos anos anteriores, em 2020 houve uma redução na emissão de Gases de Efeito Estufa na Edenred. De acordo com o Grupo, essa queda é consequência da pandemia, que levou um grande percentual das operações a atuar remotamente. “Pelo home office estabelecido a todos os times da Edenred, reduzimos, por exemplo, o consumo de energia elétrica, a geração de resíduos e o uso do ar-condicionado, o que diminuiu significativamente as nossas emissões e, mesmo com a retomada gradual, continuaremos buscando por oportunidades de melhorias às práticas ambientais” ressalta o executivo. “Como consequência do distanciamento social, buscamos a gestão de nossas emissões e identificamos oportunidades para a redução dos GEE, como devolução de andares e eficiência energética de processos e, por fim, a compensação das emissões aumentou, pois em 2020 nossas quatro linhas de negócios do Grupo realizaram o Inventário de Emissões e compensaram todos os escopos de emissões”, completa Aguirre.

A Edenred possui cláusulas ambientais padrões nos contratos, que sinalizam o cumprimento de legislações ambientais. Em alguns casos são incluídas cláusulas específicas, dada a natureza do negócio. Com clientes e fornecedores, há uma abordagem de influência, de conscientização quanto às questões de sustentabilidade. “É importante frisar que estes desdobramentos junto aos nossos stakeholders e o nosso compromisso com o meio ambiente estão expressos na Política Ambiental da Edenred Brasil”, diz Alaor Aguirre.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *