Imagem: o despertar para as boas atitudes
21 de julho de 2020
  • English

Falar de imagem e reputação é falar de atitudes coerentes e sintonizadas com valores estabelecidos como primordiais em uma sociedade civilizada, como responsabilidade e respeito a pessoas e a todo o ecossistema. É compreender como estamos sendo percebidos pelo outro e, com base nesta consciência que criamos de nós a partir do outro, fortalecer nossos bons comportamentos e abandonar os nocivos aos que nos rodeiam.

É um despertar mais do que necessário e urgente, para empresas, governos e todo tipo de liderança. Uma boa imagem não se constrói ou sustenta por promessas ao vento. A confiança do outro depende de um perfeito alinhamento entre a minha comunicação e as minhas atitudes responsáveis. Falar de imagem e reputação é falar de maturidade.

A Curado & associados, consultoria especializada em mensuração e gestão da imagem e da reputação, divulgou estudo sobre a imagem internacional do Brasil no segundo trimestre de 2020, a partir da análise de conteúdo publicado por sete veículos de imprensa de grande relevância mundial e pluralidade editorial, e utilizando a metodologia iVGR – índice de Valor, Gestão e Relacionamento. Foram três os temas que ganharam mais destaque – a pandemia da Covid-19, a demissão do ministro Sergio Moro e a devastação da Amazônia. O Brasil tem imagem bastante desgastada no exterior, com a projeção de um governo em crise ética e com falência de sua gestão. O estudo sobre a imagem internacional do Brasil pode ser acessado em https://www.ivgr.com.br/estudo-brasil-internacional.

A imagem negativa do Brasil no exterior no segundo trimestre não foi muito diferente da projetada nos primeiros três meses do ano. Aumentou essencialmente a visibilidade desta imagem já ruim. No caso específico da gestão da Covid-19, tema que mais apareceu, as matérias negativas avançaram 152% no comparativo trimestral. Em 2019, por ocasião das queimadas na Amazônia, estudo semelhante já indicava que o Brasil tinha avaliação desfavorável nas dimensões ética (valor) e de entrega de resultados (gestão). Políticas erráticas e falas carregadas de conflito eram o início da cristalização de uma má reputação.

O prejuízo à confiabilidade do país é consequência natural, uma tendência antiga que agora se confirma: investidores estrangeiros ameaçam adiar grandes projetos no Brasil, sobretudo pelas políticas do governo nocivas ao meio ambiente.

Para mudar o quadro, não basta ajustar a comunicação. É preciso repensar atitudes.

A mesma lógica aplicada a governos vale para as empresas. Para atrair a confiança de investidores e de talentos para seu time de colaboradores, para atrair o respeito das comunidades e dos clientes, é o olhar do outro que vai indicar se estas empresas são ou não merecedoras desta confiança e deste respeito. É a qualidade de valores, entregas e relações das empresas que vai determinar um final feliz ou não. Ninguém mais passa impune à percepção pública.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.