Casa Fiat de Cultura completa 14 anos como espaço pioneiro de empresa de automóveis no Brasil
24 de fevereiro de 2020
  • English

Em fevereiro de 2006, era criado o primeiro espaço cultural de uma empresa de automóveis no Brasil. A chegada da Casa Fiat de Cultura a Belo Horizonte (MG) revelou-se um marco não apenas para a cidade, mas também para o cenário artístico-cultural do país. Naquele ano, a Fiat completava 30 anos em território brasileiro, e, como presente à população, dedicava-se à fundação de uma “casa brasileira e italiana”, que viria a se consolidar como uma referência na produção cultural fora do eixo Rio-São Paulo, com grandes exposições de padrão internacional. A FCA é associada da Aberje.

Há 14 anos, a Casa Fiat de Cultura cumpre importante papel na transformação do cenário cultural mineiro e brasileiro, ao apresentar, em Belo Horizonte, algumas das mais relevantes e prestigiadas exposições já realizadas no Brasil. Reconhecida pela produção de grandes exposições de arte, com alto valor histórico, artístico e educativo, a Casa Fiat de Cultura se consolidou como um dos principais centros culturais do Brasil, inserindo Minas Gerais no roteiro das artes do país. Desde sua criação, a Casa Fiat de Cultura realizou 55 exposições nacionais e internacionais, por meio das quais apresentou mais de 2 mil obras, apreciadas por 2,7 milhões de visitantes, com 550 mil pessoas participantes de suas atividades educativas, além de 13 itinerâncias, que contemplaram cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Buenos Aires.

Sua contribuição à renovação da produção artística e à formação de público se estende por meio de uma programação diversificada de música, literatura, ciclo de palestras e um Programa Educativo que propõe conceitos e reflexões no diálogo com o público em visitas mediadas e nas práticas promovidas no Ateliê Aberto, um espaço de experimentação artística livre. Por meio de seu núcleo de acessibilidade, dedicado às pessoas com necessidades especiais, oferece atendimento em libras e audiodescrição, materiais em braile, peças em 3D para apreciação tátil e exercícios sensoriais. 

A Casa Fiat de Cultura integra um dos mais expressivos corredores culturais do país, o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Em sua sede no histórico edifício do Palácio dos Despachos apresenta, em caráter permanente, o simbólico painel de Portinari, Civilização Mineira, de 1959.]

Casa Fiat de Cultura em 14 anos

o  2,7 milhões de visitantes

o  550 mil jovens e crianças atendidos pelo programa educativo

o  55 exposições

o  Mais de 2 mil obras de arte

o  60 curadores internacionais e nacionais

o  Renascimento, Barroco, Surrealismo, Futurismo, Modernismo, Concretismo, Arte Contemporânea e Arte Digital são alguns dos movimentos abordados nas mostras

o  Mais de 100 instituições parceiras em todo o mundo

o  13 itinerâncias realizadas, promovendo a circulação dos acervos e o acesso às exposições em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Buenos Aires

o  1 Festival na Itália. Festival Itália-Brasil, realizado entre 2011 e 2013, com a participação de artistas como Nelson Freire, Grupo Uakti, Irmãos Campana, Nicolas Krassik, Grupo Galpão, Toquinho, Yamandu Costa, o artista plástico Vik Muniz, o violoncelista Antonio Meneses e a pianista Maria João, o pianista Eduardo Monteiro, o cravista Bruno Procópio, o barítono Paulo Szot e a exposição sobre o arquiteto Paulo Mendes da Rocha, a cravista Elisa Freixo e o artista plástico Ernesto Neto.

o  5 prêmios de Comunicação e Desenvolvimento Cultural

o  16 catálogos publicados

o  1 residência artística em Arte Digital

o  20 novos artistas contemplados na seleção da Piccola Galleria

o  Maior quadro de Portinari em Minas Gerais, a obra “Civilização Mineira”, de 1959, integra o acervo fixo da Casa Fiat de Cultura

o  5 presépios colaborativos com a participação do público

o  Mais de 200 empregos diretos e indiretos a cada exposição

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.