Aberje conduz pesquisa inédita sobre Comunicação Não Violenta nas Organizações
24 de julho de 2020
  • English

A Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) está conduzindo uma pesquisa inédita no Brasil, sobre Comunicação Não Violenta nas Organizações, prevista para ser lançada em setembro. Tema do ano da entidade, a CNV envolve uma comunicação mais humanizada e empática, com a inclusão de competências socioemocionais na liderança e um clima mais colaborativo e construtivo. 

 Assim como foi com o tema do ano de 2019, “Comunicação e Liderança”, a Aberje irá mapear como a CNV está presente nas organizações, visando elaborar um panorama das práticas nas empresas. 

De método quantitativo, a pesquisa avalia – a partir de questões formuladas em escala, de 1 a 10 – aspectos da comunicação não violenta no âmbito empresarial junto aos profissionais da área de Comunicação. O objetivo é mapear se os princípios da CNV são observados, e em que grau, nas organizações. 

A pesquisa é coordenada por Leonardo Müller, economista e doutor em Filosofia pela USP, e Carlos Ramello, consultor de Recursos Humanos e Desenvolvimento Organizacional, ambos colaboradores da Aberje, e com o apoio da especialista em CNV Pamela Seligmann, consultora e professora na Escola Aberje de Comunicação. “A CNV foi definida como o tema do ano da Aberje a partir do diagnóstico de que vivemos em uma época de alta polarização e intolerância crescente. Portanto, a busca por alternativas dialógicas, baseadas numa interlocução saudável e humana, se tornou uma questão central”, explica Müller.

Pamela relata que quando a pesquisa começou a ser elaborada, a equipe se deparou com uma dificuldade adicional. “Os paradigmas de pesquisas habituais não se encaixavam na linguagem e no modelo da CNV. Além disso, os respondentes precisavam ter um bom nível de autopercepção e de percepção do outro e do ambiente. Precisávamos fazer com que as pessoas se conectassem com os assuntos da própria pesquisa, o que, de alguma forma, já era um diagnóstico interventivo, pois ao mesmo tempo que tentava colher dados da organização, já estava impactando o indivíduo que participava dela, fazendo com que tivesse que olhar para si mesmo e para outros em aspectos não habituais de atenção e reflexão”, explica.

“Queremos saber se as organizações levam em consideração em sua comunicação elementos essenciais do ser e estar humano que são: empatia, escuta ativa, valores, expressão de necessidades, liberdade para pedir apoio e ser apoiado, responsabilidade, entre outros, que são pilares da CNV”, ressalta a especialista. “Acredito que esta pesquisa trará informações ricas e reveladoras que poderão nutrir decisões organizacionais nas quais a Comunicação tem um papel protagonista!”, completa.

Para participar da pesquisa, basta acessar o link: https://bit.ly/pesquisaCNV-Orgs

 

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.