Mapa da Comunicação Integrada para Gestão de Projetos
18 de março de 2022
  • English

Imagine quão interessante seria ter um mapa com todos os processos de comunicação da sua empresa, que norteasse o relacionamento com stakeholders e como esse material iria facilitar o cotidiano dos projetos corporativos. Seria tão diferente né?

Pois bem: é exatamente a falta de visão dos processos macro e da interligação entre as áreas que faz com que crises ocorreram, atividades sejam sobrepostas e zonas cinzentas, em que ninguém atua, ainda existam nas empresas.

O mapa de comunicação integrada em projetos

Esse problema é mais comum do que você pode imaginar. Em muitas empresas, a área de Relações Públicas atua de um jeito, a do marketing de outro, a assessoria de imprensa de outro, comunicação interna ainda outro, e as agências são externas e ninguém faz trocas ou conversas entre si.

Como é que a comunicação corporativa, que cuida e zela pela imagem, marca e reputação pode dar certo, se não há sinergia e esforços concentrados?

Sem fluxos claros, ou seja, uma sequência lógica de atividades encadeadas, como podemos gerar valor e fazer gestão do conhecimento?

É por isso que nos últimos cinco anos, tenho defendido a importância da visão processual da comunicação, daí a importância do Mapa, para que possamos ter a visão da cadeia de valor. Vamos entender melhor!

Gerenciamento da comunicação em projetos

Nesse sentido, é preciso construir um mapa da comunicação integrada, ou seja, um somatório de todos os processos que envolvem o setor de comunicação e suas áreas de interface em projetos corporativos.

Sem essa visão integrada dos processos de comunicação, sua empresa passará por alguns desses problemas:

  1. Campanhas não dão certo, nem trazem retorno;
  2. Argumentos para diretoria não são suficientes e papel da área é desacreditado;
  3. Área só é procurada para apagar incêndios e não para decisões estratégicas.

Criando o mapa da comunicação integrada

O tradicional Composto da Comunicação Integrada, ou Mix de Comunicação Integrada, formado por comunicação interna, administrativa, organizacional e mercadológica é uma metodologia essencial para articulação dos esforços de relacionamento, posicionamento e comunicação, proposto pela grande professora Margarida Kunsch.

Muitas vezes, esse composto é a base para definição do escopo da área de comunicação nas empresas, definição de processos e funcionamento na rotina.  Mas, diante dos desafios e temas atuais, precisamos ir além das quatro esferas.

Nesse sentido, é preciso, para criar um mapa da comunicação integrada em sua empresa, e assim:

  1. Mapear todas as atividades da área;
  2. Compreender a cadeia de valor;
  3. Desenvolver nos times um olhar sinérgico entre relações públicas, marketing, imprensa etc;
  4. Envolver partes interessadas.

Digo isso pois não adianta ter um plano integrado de comunicação que desconsidera a estratégia no cotidiano, pessoas, processos e os fluxos na rotina.

O Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica (2022)

No que chamo de ‘Mapa da Comunicação Integrada e Estratégica’, uni metodologias complementares e em sinergia, que incluem foco em:

  • Comunicação com equipes: além do interno e ‘foco na pessoa colaboradora’, é vital trabalhar também cultura, marca empregadora, gestão e liderança;
  • Comunicação diversa, acessível e inclusiva: esfera que necessita de todo cuidado, com foco não apenas em ações, mas em campanhas, projetos e programas, alinhando discurso e prática;
  • Comunicação mercadológica: além dos tradicionais instrumentos de promoção de vendas e merchandiging, é urgente considerar posicionamento, estratégia e todo ecossistema da marca;
  • Relações Públicas Digitais: trabalho de relacionamento, construção e fortalecimento do patrimônio digital, que vai além da presença nas redes e mídias sociais;
  • Comunicação administrativa: que passa a abarcar também, além das informações sobre pessoas, fluxos, redes e processos;
  • Comunicação Institucional: precisa trabalhar cada vez mais com foco em reputação e ESG;
  • Mapeamento de Riscos e prevenção de crises: olhar atento aos pontos sensíveis, de forma a agir rápido e conter danos reputacionais;
  • Comunicação com mercado/acionistas: rapidez, agilidade e transparência, cuidando dos princípios ESG e da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Um mapa que contemple as esferas da comunicação, áreas de relacionamento e os temais essenciais do cotidiano, como Diversidade, Inclusão, Acessibilidade e Sustentabilidade, pode nos ajudar a percorrer uma nova rota!

Vamos em frente?

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin