iFood continuará 100% em home office até junho de 2021
08 de outubro de 2020
  • English

• A empresa avalia a possibilidade de não retomar a rotina de trabalho como era antes aos escritórios das sedes em Osasco, Campinas e Jundiaí, e manter os escritórios como ponto de encontro dos colaboradores

• Os detalhes desta nova forma de trabalho estão concentrados em uma ferramenta de trabalho , a iFOS beta, desenvolvida especificamente para a ação com o objetivo de equilibrar a vida profissional e pessoal dos colaboradores

 

 

Os colaboradores do iFood, empresa brasileira líder em delivery online de comida na América Latina, ficarão cem por cento remoto até junho de 2021 — com possibilidade de estender o prazo e não retornarem ao espaço físico. Dentre as ações realizadas no período, ferramentas de trabalho, softwares de comunicação e estrutura física foram providenciadas para os funcionários da plataforma trabalharem de onde lhes for mais cômodo.

 

“Queremos nos tornar a melhor empresa para trabalhar e referência em trabalho remoto no mundo e, assim, atrair ainda mais talentos para colaborar conosco”, explica Gustavo Vitti, VP de People, área de recursos humanos do iFood. O executivo afirma que esse período será de aprendizado e que posteriormente será possível avaliar se as pessoas voltarão ou não para o escritório. Durante este período, o papel dos escritórios do iFood, com sedes em Osasco, Jundiaí e Campinas, mudará na vida dos colaboradores e passará a ser um lugar de encontro.

 

Para dar suporte ao jeito de trabalhar remoto foi desenvolvida uma ferramenta para suporte, o iFOS beta, que atuará em três pilares: Equilíbrio, Desenvolvimento e Conexão, oferecendo os recursos necessários para que as lideranças construam um trabalho mais eficiente junto às equipes, com flexibilidade, liberdade, foco nas entregas, sem deixar de lado o desenvolvimento e equilíbrio de cada Foodlover — como são chamados os colaboradores iFood.

 

A empresa também anunciou as “Quartas-feiras de desenvolvimento”, uma das atividades na qual, uma vez por semana, a agenda dos colaboradores será bloqueada para que possam se concentrar em seu autodesenvolvimento. Seja um curso de idiomas, a leitura de um livro específico ou outra atividade que traga conhecimento, esse tempo será exclusivo para estudar e focar em outros assuntos. Além disso, todos os Foodlovers têm subsídios de até 70% para aulas de inglês e outros idiomas.

 

“A ideia é construir metodologias para que todos possam fazer alinhamentos e equilibrar a vida profissional e pessoal”, explica Vitti. Ele esclarece que outras iniciativas para o bem-estar, descanso, gestão e dicas estarão presentes no dia a dia dos colaboradores. “Queremos garantir que estar remoto não quer dizer estarmos longe mas, sim, que temos um canal facilitador no dia a dia. Essa disponibilidade de recursos é importante para que todos os colaboradores possam sentir que estão sendo assistidos, liderados e que possuem qualidade de vida e equilíbrio no dia a dia, mesmo remotamente”.

 

Saiba mais sobre o trabalho remoto do iFood.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.