Fórum de Comunicação Corporativa: A comunicação está preparada para orientar os negócios?
20 de outubro de 2021
  • English

Primeira sessão de debates sobre a importância da comunicação nas empresas promovida pela Aberje e jornal Valor Econômico reuniu comunicadores que atuam em diferentes setores

A Aberje e o jornal Valor Econômico, parceiros de 12 anos na publicação do caderno especial Valor Setorial Comunicação Corporativa, promoveram no dia 18 de outubro a primeira sessão do II Fórum de Comunicação Corporativa, série de três encontros digitais que vão discutir como a Comunicação Corporativa tem atuado nas relações com a sociedade para as mudanças necessárias para o futuro.

“A comunicação está preparada para orientar os negócios?” foi o tema do primeiro debate que contou com a participação de Marcela Porto, head de Comunicação e Marca na Suzano; Stéphane Engelhard, vice-presidente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Comunicação do Grupo Carrefour Brasil; Amine Darzé, gerente de Comunicação Externa da Coelba Neoenergia; e Rodrigo Cunha, fundador e CEO da ProfilePR.

A comunicação no pós-pandemia

Nunca foi tão necessário ter uma boa comunicação, uma boa interação com as pessoas. “No contexto da maior crise sanitária do mundo contemporâneo, como o profissional de comunicação pode colaborar e orientar posicionamentos e ações empresariais em meio a tantos impactos sociais e econômicos num momento em que as pessoas estão tão sensíveis?”, provoca a mediadora Leila Souza Lima, repórter do jornal Valor Econômico.

“A pauta Saúde virou uma pauta universal, não existe mais a possibilidade de não tratar desse assunto dentro das nossas políticas ou qualquer outra atuação que a gente venha a construir. A atuação da empresa, as orientações de negócios, tudo se voltou para a questão da pandemia. Foi bonito ver o mundo em prol de uma causa comum como é a questão da saúde”, salienta Amine Darzé.

“Nunca tinha visto isso dentro do mercado corporativo e a comunicação precisou dar uma reviravolta em todo o planejamento, principalmente nas ações presenciais até que encontramos uma oportunidade de lançar a nossa campanha de divulgação através das lives com o mote ‘Fique em casa’ para orientar as pessoas e manter uma comunicação com o nosso público”, completa.

Para Rodrigo Cunha, toda essa questão da pandemia foi uma grande oportunidade de exercitar a empatia. “Termo que não costumamos ouvir no mercado de trabalho, nas corporações. As pessoas foram obrigadas a olhar de uma maneira mais profunda para a saúde mental dos funcionários. Essa proximidade trouxe uma grande humanização no trabalho”, comenta. “Está tudo em cheque neste momento da pandemia, por conta das desigualdades sociais que ficaram muito evidentes. As empresas estão buscando um novo modelo que atenda às necessidades de todos”, complementou.

Marcela Porto ressalta que é interessante dizer o termo humanização. “Nós todos despertamos para ele ao longo da pandemia. É importante fazer pequenas pausas para a felicidade no trabalho. Não precisa ‘sextar’ para ser feliz. Aqui na Suzano sempre acreditamos no propósito como uma alavanca para esse tipo de comportamento dentro da companhia”, diz.

“Quanto à pandemia, o papel das áreas de comunicação foi o de ser um captador de tendências e de boas práticas e a Aberje promoveu isso demais ao longo da pandemia. O nosso papel de comunicação acaba sendo aquele papel vital para alinhar o discurso para fora com a prática. Entender o que estava acontecendo no mundo e trazer os melhores exemplos de boas práticas, discutir essa agenda estava sendo tão delicado naquele momento, A comunicação é um pilar fundamental para fortalecer a cultura  organizacional, para realmente trazer  a questão da colaboração interna e a colaboração entre as organizações para resolver problemas estruturais da sociedade”.

Pertencente a um segmento que está diretamente em contato com o público,  Stéphane Engelhard explica para a audiência do evento como fazer o meio de campo tendo esse desafio para enfrentar. “O varejo alimentar é uma atividade essencial e por isso nunca fechou. Nossos colaboradores da sede, cerca de 2% dos colaboradores do Carrefour, foram para a casa, mas a grande maioria, 98% trabalhou o tempo todo”, revela. 

O executivo ressalta que em 2021 houve muito mais problemas e decisões absurdas de governadores e de prefeitos. “Tentamos sempre o diálogo com os órgão públicos para convencê-los sobre decisões erradas. A questão com os colaboradores foi importante, e queríamos deixar claro junto com os consumidores que eles poderiam fazer as suas compras com o mínimo de segurança, pois ninguém sabia realmente do que se tratava”.

Transformação muda o papel do profissional de comunicação

O que é importante nisso tudo?  Stéphane Engelhard frisa que é a transformação. “Mas como transformar? Entendemos que as empresas realmente devem se transformar. Para nós do Carrefour isso mudou o jogo e continua mudando. A questão ESG, por exemplo, não era vista como tal antes da crise. Agora temos um olhar totalmente diferente. As empresas estão num outro patamar de reflexão sobre meio ambiente, sobre clima e visão social”, afirma.

Por falar em transformação, a sociedade brasileira passou por grandes transformações nos últimos 20 anos, além de tantos avanços tecnológicos que impactaram fortemente a comunicação. “Mas o que mudou dentro desse ambiente hiperconectado? Quais os desafios nesse campo no âmbito empresarial e do profissional de comunicação que está  ali sempre fazendo o meio de campo?”, indaga Leila, mediadora do fórum. 

Para Marcela Porto, esse ponto sobre a transformação foi uma ‘ficha que caiu’. “Realmente essa transformação é inevitável e inexorável e já vem ocorrendo. Entendendo que essa mudança já está acontecendo, vamos mudar a nossa realidade para melhor e não voltar para aquilo que já era esperado, aproveitando ao máximo as oportunidades e situações desafiadoras que ainda estamos vivendo para trazer uma melhoria em todos os sentidos”, analisa a executiva, acrescentando que a Suzano reforçou ainda mais seus canais digitais, principalmente para quem trabalha nas florestas em lugares remotos e pessoal da logística que atua externamente na maior parte  do tempo.

Assista ao encontro na íntegra do Fórum de Comunicação Corporativa Aberje Valor Econômico

Confira os próximos encontros do II Fórum de Comunicação Corporativa

PROGRAMAÇÃO:

25 de Outubro: https://www.youtube.com/watch?v=oJjYVo-fL58 

10h30 – A comunicação corporativa como propulsora da inovação

  • Salete da Hora
    Diretora de Marca, Comunicação e Sustentabilidade da CTG Brasil
  • Priscilla Mendes
    Gerente Sênior de Comunicação Corporativa e para Negócios BASF América do Sul
  • Malu Weber
    Diretora Executiva de Comunicação Corporativa do Grupo Bayer no Brasil
  • Roberta Machado
    CEO da In Press Porter Novelli

04 de Novembro: https://www.youtube.com/watch?v=dXhtgSb9qJI

10h30 – CEO Comunicador : como calibrar visão contextual e foco no negócio

  • Teresa Vernaglia
    CEO da BRK Ambiental
  • Marta Diez
    Presidente da Pfizer no Brasil
  • Isabella Wanderley
    General manager e vice-presidente corporativa da afiliada da Novo Nordisk no Brasil
  • Roberto Parucker
    Presidente na Eletronorte

* A série de debates sobre o tema podem ser assistidas no Youtube da Aberje e nos canais do Valor Econômico (Youtube e LinkedIn).

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.