Faap apoia o combate à desinformação
01 de outubro de 2018
  • English

Uma das pioneiras na discussão sobre a desinformação e as chamadas notícias falsas ou fake news, como ficaram conhecidas, a Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), que é associada à Aberje, passou a abrigar a equipe do COMPROVA, iniciativa da ONG First Draft, em um projeto inovador do Centro Shorenstein da Harvard Kennedy School, coordenado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Trata-se de um consórcio de 24 veículos de imprensa de todo o Brasil, com o objetivo de esclarecer, desmentir ou desmistificar boatos infundados que circulam pelo WhatsApp. Com isso, o projeto pretende engajar os eleitores no combate à desinformação durante a campanha presidencial de 2108.

Em uma redação montada dentro da Faculdade de Comunicação, a equipe de coordenação do COMPROVA, formada por uma executiva, três editores e um gestor de comunidade, coordena o trabalho de quase 30 jornalistas do consórcio que checam as informações, com prioridade para conteúdos que se tornam virais ou têm o potencial de desinformar uma grande parte do eleitorado. A parceria também inclui a interação com os alunos do curso de Jornalismo, que executam alguns procedimentos de verificação supervisionados pela equipe do consórcio.

“Queremos fomentar a educação midiática. As pessoas precisam reconhecer o que é necessário e como os jornalistas trabalham. Temos de chamar a atenção para o rigor jornalístico e para a necessidade de checar dados e informação”, afirma o coordenador Sergio Ludke.

Para a professora Edilamar Galvão, coordenadora do curso de Jornalismo da FAAP, a parceria é importante para o curso, pois o jornalismo enfrenta hoje um novo desafio frente à proliferação de notícias falsas: “Para nossos alunos, há ampliação de horizontes, e não apenas àqueles que poderão acompanhar mais proximamente o projeto por meio do estágio supervisionado e acompanhar todo o processo de checagem das notícias e a metodologia aplicada. A proximidade e convivência cotidianas permitem que todos os nossos alunos absorvam a prática e o conhecimento que estão sendo desenvolvidos”.

É importante preparar os estudantes para esse mundo que acabou de surgir – segundo a professora – e que terá um papel relevante no futuro profissional deles. Edilamar Galvão é pesquisadora desse ambiente de desordem informacional e pós-doutorando no Núcleo Diversitas da USP.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.