ERRATA: Fundador da Uber não foi acusado de assédio sexual
09 de setembro de 2019
  • English

Edição 104 – Revista Comunicação Empresarial

Diferentemente do que foi dito na reportagem “A nova sustentabilidade”, publicada na edição 104 da revista Comunicação Empresarial, o fundador e ex-CEO da Uber, Travis Kalanick, não renunciou ao cargo por ser acusado de assédio sexual. Houve, de fato, uma denúncia de assédio no período do afastamento do executivo, porém o ato foi cometido por um outro funcionário da empresa. A renúncia de Kalanick foi motivada por pressão de investidores.


A Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) lamenta o erro e pede sinceras desculpas ao executivo e à nossa associada Uber pelo transtorno causado. A informação será corrigida na versão digital da revista, que será disponibilizada em nosso site nas próximas semanas.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.