Liderança comunicadora: aliada da Gestão Estratégica
10 de maio de 2022
  • English

Comunicação na liderança ainda é um desafio nas empresas. Em tempos de elevada circulação de conhecimentos e experiências, gerir equipes e ocupar posições estratégicas tornou-se ainda mais desafiador, afinal, como manter um time coeso em torno de um mesmo propósito nessa era da transformação, sobretudo com o trabalho remoto adotado pós-pandemia de forma permanente em corporações?

Cada vez mais os colaboradores esperam de seus superiores muito além de um trabalho de chefia: buscam aprendizado, exemplo e especialmente, inspiração.

Comunicação e liderança

Para ser um líder que inspira, a comunicação é um dos princípios primordiais. É através dela que os valores se tornam comuns, expectativas são alinhadas e resultados ficam evidentes.

Nesse sentido, nem a área de comunicação sozinha resolve os problemas de Gestão, nem um líder isolado faz milagre sem suporte da Governança e Diretrizes Corporativas.

Nesse artigo, você vai mergulhar nos desafios da gestão na era da transformação digital, entender os pilares da liderança, aprender a ser um líder comunicador e saber como usar a liderança 4.0 para aprimorar sua gestão.

A importância da comunicação e liderança nas organizações

O futuro já chegou e precisamos estar preparados para ele, não apenas enquanto líderes, mas como colaboradores das empresas em geral.

Assim, no cotidiano dos processos de trabalho, o uso de robôs, inteligência artificial e chatbots, se faz cada vez mais presente, com automatização de processos.

O uso da linguagem de games, soluções focadas na experiência do usuário (UX) e de mobilidade fazem com que as operações das empresas sejam descentralizadas, tornando ainda mais desafiadora a gestão de pessoas, pois as estruturas e organogramas tradicionais foram afetadas.

A transformação digital pode ser considerada o somatório dos processos de mudança advindos da incorporação de novas tecnologias ao universo do trabalho.

Sendo assim, a gestão 4.0  adquire outros desafios nesse período, como:

  • Gerenciamento de equipes remotas;
  • Lidar com profissionais de diferentes formações;
  • Conflitos geracionais dentro das empresas;
  • Compreender variáveis comportamentais;
  • Fim dos organogramas tradicionais;
  • Ascenção de uma cultura corporativa mais horizontal.

Comunicação eficaz na liderança

De acordo com dados do IDC Future Scape (2021), os principais resultados da transformação digital nas organizações serão o impacto cognitivo dessas tecnologias nas atividades rotineiras, muitas das quais passarão a ser executadas por bots e Inteligência artificial.

Assim, aquelas empresas que querem se destacar, precisam estar à frente do seu tempo e aderir rapidamente à essa nova cultura, em modelos de implementação marcados por metodologias ágeis, como o SCRUM.

Além de novos modelos tecnológicos e de negócios, surgiram mindsets com os quais o líder precisa lidar.  Um dos principais pontos que vamos defender é que a transformação digital vai muito além dos impactos nos negócios e que a liderança comunicadora é além de um ‘canal’.

Nesse sentido, ela compreende um movimento profundo, que também muda a educação e processos de aprendizagem e cultura organizacional.

Por isso, um gestor não deve possuir apenas habilidades técnicas e uma visão focada em negócios e resultados, mas ter um papel educativo: conscientizar sua organização de que a digitalização de processos, comunicação e projetos é um caminho sem volta.

Como ser uma liderança comunicadora?

Além do conhecimento de tecnologias e metodologias ágeis, o líder comunicador da nossa era precisa ter destreza digital, saber trabalhar em rede e se utilizar de plataformas que integrem humanos e bots. 

De acordo com dados da Gartner (2021), na próxima década, os gestores passarão a incluir a Inteligência Artificial como foco das prioridades dos investimentos das áreas, juntamente com as demandas de ciência de dados (comunicação data driven), pesquisa de mercado e tecnologia da informação.

Nesse contexto, para ser um líder comunicador, serão necessárias mudanças técnicas, comportamentais e até mesmo cognitivas, dentre elas:

Ter visão colaborativa dos processos;

Reforçar a ideia de colaboração e cocriação nos projetos e atividades;

Entender como a comunicação digital com as partes interessadas é vital para o futuro dos negócios;

Buscar incorporar no cotidiano soluções ágeis, inovadoras e criativas.

Ocupando lugar na Gestão

Aliando Comunicação, Gestão e Governança Corporativa, conseguimos mapear o papel das lideranças comunicadoras, que não devem ser vistos como ‘canais’, mas parceiros para o trabalho estratégico.

Dessa forma, podemos desenvolver Programas Corporativos, alinhados à Alta Gestão, nos quais haja Projetos, como a Liderança Comunicadora, cujo papel é:

  1. Reconhecer o papel da comunicação na Empresa;
  2. Redesenhar a Comunicação Interna, tendo o líder como embaixador e parceiro;
  3. Respeitar as peculiaridades de cada área, de cada unidade e de cada líder. Não é possível tratarmos de assuntos estratégicos como se estivéssemos nos comunicando com todos ao mesmo tempo.
  4. Participar para transformar o ambiente interno em um ambiente de cocriação e de compartilhamento de experiências (valorização das histórias diárias de sucesso).

Entendemos que uma mera campanha ou treinamento não transforma a cultura, por isso, a liderança comunicadora enquanto projeto precisa de:

  1. Objetivos;
  2. Atribuições;
  3. Diretrizes;
  4. Engajamento da Diretoria;

Características e habilidades

Para que um líder seja comunicador, ele precisa focar em seu papel estratégico, não apenas na condução dos processos e realização dos projetos, mas na capilarização dos valores da empresa.

A eficiência na comunicação interna e na troca de informações entre equipes passa pela capacidade que o líder tem de se comunicar e capilarizar o que recebe da diretoria com os demais.

A falta de troca entre os setores e a retenção de informações estratégicas entre poucos gera um clima de insegurança e desconfiança, dando margem ao crescimento da comunicação paralela, conhecida como “rádio corredor” .

Para reverter este quadro, é preciso entender suas motivações e assumir que nem sempre os esforços comunicativos de uma área se traduzem em textos e matérias que engajam e motivam os colaboradores. É preciso ir além e pensar em um diagnóstico integrado da situação.

O líder, ao lado da Comunicação/Marketing e Gestão de Pessoas, é vital para que possamos trabalhar as principais mensagens da empresa e narrativas estratégicas.

A Comunicação com Equipes e entre elas é uma atribuição compartilhada entre Diretoria, áreas estratégias, Gestão de Pessoas e Marketing.  Pessoas confiam em pessoas, então, o líder é vital para reforço da comunicação interna.

Aprimorando a comunicação na gestão

Motivar e engajar vão além de comunicar e pressupõe um trabalho ativo de ver o colaborador como peça vital nos processos da empresa. Para se comunicar bem, uma líder precisa:

1- Ser comprometido com a missão da empresa e com seu papel de compartilhar conhecimento;

2- Ter humildade de ouvir e abertura para receber críticas;

3- Ter um bom relacionamento com outros setores da empresa;

4- Conhecer e trazer para perto da área de comunicação e colaboradores chave em cada setor, para que atualizem as informações sobre projetos estratégicos;

5- Ser próximo da equipe e realizar reuniões periódicas de acompanhamento e feedback;

6- Valorizar o papel da comunicação interna no processo de gestão de pessoas;

7- Ter interface com os recursos humanos;

8- Criar espaços físicos e virtuais para debate, envio de críticas e sugestões.

Liderança Comunicadora 4.0

Nesse sentido, podemos dizer que um dos principais pilares da liderança 4.0 é o poder de orquestrar equipes, processos e projetos na era da transformação digital.

Tal qual um maestro, o líder 4.0 precisa saber lidar com as diferenças e multiplicidades de uma orquestra, ter agilidade de aprendizagem, inteligência emocional, capacidade de tomar decisões rápidas, foco em pessoas aliado a resultados, habilidades pessoais e de gerenciar conflito, além de um perfil altamente inovador.

Muito além da mera noção de processos produtivos, plano de tarefas de equipes, procedimentos gerenciais, métodos de avaliação e controle, o líder 4.0 precisará saber lidar com menos hierarquia e um espírito mais colaborativo, ter uma atitude transparente, compartilhar conhecimento, avaliar continuamente seu próprio trabalho e da equipe e saber gerenciar as mudanças.

Vamos desenvolver lideranças comunicadoras?

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin