Gestão integrada da comunicação organizacional
02 de agosto de 2022
  • English

Crédito: Pixabay

Sabemos que não há resultados efetivos sem um trabalho de gestão integrada da comunicação organizacional. Um dos maiores desafios, além da própria inexistência de planejamento de comunicação, é a falta de processos e fluxos.

O primeiro passo para ter uma comunicação estratégia é, antes mesmo de planos, projetos  e programas, realizar um diagnóstico 360º.

Diagnóstico de comunicação ou ‘diagnóstico comunicacional’ é aquela fase importante, que nos fornece insumos para todo o trabalho posterior de planejamento, mas que, muitas vezes, é considerada ‘perda de tempo’ ou ‘o consultor estar querendo consumir horas de trabalho’. Será mesmo?

Não podemos ver o diagnóstico de comunicação como um gasto ou erro jamais. Isso é um grande problema e falta de visão articulada nas empresas.

Assim, temos um grande desafio, não só ao planejar, mas de vender a importância do trabalho completo de diagnóstico e seu valor estratégico.

Essa fase inicial do diagnóstico comunicacional é uma ‘fotografia’ do momento da organização e ajudará a gerar dados para as etapas seguintes do plano de comunicação integrada.

Dessa maneira, além do diagnóstico de comunicação, é essencial entender que a gestão é um ciclo completo, que se inicia com as primeiras auditorias de canais, cultura, reputação, liderança, processos e vai até a implementação do planejado e acompanhamento das estratégias no cotidiano, por meio de indicadores de desempenho.

É comum acreditar que a gestão da comunicação ocorre somente após a entrega do plano ou na hora de colocar a estratégia em prática, mas, tudo que se refere à ação, plano tático, na verdade, está na esfera do  gerenciamento.

Assim sendo, a gestão da comunicação integrada compreende o processo completo, do diagnóstico até a implementação, acompanhamento de resultados e atualização do Plano de Comunicação com base nos indicadores, o ciclo de aprendizado da Estratégia.

Assim, já sabemos que a gestão é o todo, que abraça as etapas do planejamento até o cotidiano e não é um processo estanque ou fechado, mas sim um trabalho vivo e diário.

Que elementos compõe a gestão da comunicação?

A Gestão Integrada da Comunicação compreende, além da estruturação do setor, o desenvolvimento de uma política de comunicação, planos de comunicação, campanhas de comunicação, projetos de comunicação e ações no cotidiano.

Em paralelo a isso, é preciso que a empresa possua processos de comunicação estruturados, fluxos mapeados e também invista em:

1.Criação de protocolos de relacionamento com stakeholders, entre as áreas e com os formadores de opinião;

  1. Desenvolvimento de sistemas de comunicação para potencializar esses relacionamentos;
  2. Programas de Desenvolvimento de Lideranças Comunicadoras;
  3. Formação de Comitês de Embaixadores, dentre outros.

Ademais, a gestão da Comunicação integrada também precisa contar com gestão de projetos, um olhar atento para gestão de riscos e crises, mapeamento de temas sensíveis para a organização, políticas de relacionamento com os principais stakeholders, monitoramento de canais digitais, adoção de ferramentas omnichannel e foco no atendimento ao cliente.

Ou seja, a gestão integrada vai muito além da estruturação do setor, ela precisa unir projetos, processos, tecnologias, pessoas e estratégias, para promover mudanças em três horizontes temporais:

Curto prazo: podemos desenvolver ter resultados de cunho operacional, realizar atividades rotineiras;

Período de prazo médio: podemos almejar a entrega de planos e projetos mais complexos;

Em longo prazo, somos capazes de desenvolver processos de mudança de cultura, implementação de programas de treinamentos, melhorias nos processos , fluxos e gestão.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin