fbpx
×

Aberje Editorial lança livro em espanhol

Redação Portal Aberje

Autores do livro “Sem Megafone, com Smartphone: práticas, desafios e dilemas da comunicação com empregados” ampliam o acesso às discussões sobre a comunicação com colaboradores ao traduzirem obra em outros idiomas

(Imagem: Facebook/Paulo Henrique Soares)

O livro “Sem Megafone, com Smartphone: práticas, desafios e dilemas da comunicação com empregados”, de Paulo Henrique Soares e Rozália Del Gáudio, lançado em 2017 Aberje Editorial, ganha versão no idioma espanhol. A obra aborda os dilemas da comunicação com empregados e já foi editada em inglês há dois anos. Até agora, os autores percorreram mais de 70 mil km, incluindo lançamentos internacionais na Itália, Espanha, Japão, Canadá e Inglaterra.

Rozália Del Gáudio e Paulo Henrique Soares durante lançamento em São Paulo, em 2017

A obra propõe um novo olhar para os processos de comunicação e relacionamento que acontecem no contexto interno das organizações, analisa as transformações da sociedade e as relaciona com as estratégias comunicativas das organizações e traz um modelo de gestão construído a partir na experiência prática de mais de 20 anos dos autores. De acordo com Paulo, a versão em espanhol foi uma demanda do próprio mercado. “Alguns dos profissionais que contribuíram com depoimentos nos informaram que havia uma demanda por conteúdo de comunicação com empregados nos seus países”, comenta. 

Os autores afirmam que os feedbacks têm sido muito positivos desde o lançamento do livro em português, há três anos. Na época, a edição foi lançada em várias cidades do Brasil como São Paulo e Rio Preto (SP), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA), Porto Alegre (RS), Vitória (ES) e Fortaleza (CE) e em algumas cidades do exterior. “Continuamos recebendo convites para falar sobre a obra em eventos da área e também para executivos de empresas. O nosso principal objetivo foi alcançado: ampliar o debate sobre a comunicação com empregados, demonstrando a sua importância e relevância para as organizações”, contam.

Rozália Del Gáudio em Tóquio (Japão), em 2018

No exterior, o livro foi lançado em Tóquio (Japão), Trieste (Itália), Toronto (Canadá), Madri (Espanha) e Londres (Inglaterra). Paulo conta que os dois aproveitavam suas viagem a trabalho e/ou compromisso acadêmico para lançar o livro e compartilhar o conteúdo com o público no exterior. “Isto revela a importância da tradução do livro para o inglês, e agora para o espanhol. Se a comunicação empresarial brasileira quer romper as fronteiras do nosso país, precisamos focar na produção de conteúdo em outros idiomas. Foi isso que percebemos. Grande aceitação do livro pelos comunicadores no mundo interno”, argumenta o autor, acrescentando que os depoimentos de mais de 80 profissionais de 35 países publicados no livro ajudou significativamente em sua divulgação e internacionalização.

Em relação ao lançamento do livro no ambiente acadêmico – os autores participaram de dois congressos internacionais fora da área de Comunicação -, a receptividade foi super positiva. Em evento organizado na Universidade de Trieste, na Itália, além da curiosidade sobre comunicação no contexto das empresas brasileiras, houve uma grande reflexão sobre o papel da comunicação para que de fato as pessoas experimentem os valores corporativos na prática. Já o congresso sediado na Universidade de Meiji, em Tóquio, discutiu a imperfeição, a incompletude e a impermanência na vida organizacional. “No Japão, a nossa apresentação focou a importância de uma comunicação clara e efetiva que permita aos empregados e líderes se conectarem e terem relações menos assimétricas. A receptividade foi tão boa que recebemos muitos incentivos a continuar pesquisando sobre o tema, mantendo a perspectiva internacional”, acentua a autora. 

Paulo Henrique em Toronto (Canadá) em 2018

Pandemia propõe novas pesquisas

Tudo está sempre em constante mudança e evolução. A tecnologia tem acelerado as mudanças ano após ano, independente da Covid-19, que neste caso seria um capítulo extra e à parte, de acordo com os autores. Paulo e Rozália observam que do lançamento do livro no Brasil para cá, muita coisa mudou no campo do acesso a novos aplicativos, novas tecnologias, comportamento do consumidor, relação empresa-trabalho, visão de mundo, questões de sustentabilidade, entre outras. Com a pandemia, houve a adoção da tecnologia para a gestão das empresas (videoconferências, chamadas por dispositivos de reunião online etc) além da necessidade acelerada de colocação dos empregados em home office, ou seja, tudo isso já era possível, mas passou a ser uma necessidade. 

“Essas mudanças foram profundas nas relações entre empresa e empregado. Um novo capítulo precisará ser produzido, muita pesquisa realizada para que possamos compreender o que mudou…O mundo pessoal foi invadido pelo espaço do trabalho. Isto é uma mudança considerável. Seria inconcebível antes da pandemia que alguém estivesse participando de uma reunião e o filho aparecesse na câmera ou fosse ouvido chamando o pai ou mãe. Agora isto é o nosso ‘novo normal’, fica até ‘mais humanizado’. Levar o mundo do trabalho para casa não é tão simples quanto parece”, reflete Paulo.

Na visão de ambos, a pandemia também alterou a posição dos gestores das organizações. “Isto também é uma mudança grande no processo. O gestor que estava acostumado a fazer o seu trabalho de forma presencial terá que desenvolver habilidades para realizar o trabalho de forma virtual. Pode parecer algo simples mas não o é. Olhando para o modelo de Gestão da Comunicação com Empregados proposto no livro, vamos observar que os gestores são a fonte principal de comunicação com as suas equipes, mais do que o conteúdo produzido e elaborado pelas equipes de comunicação que trabalham com comunicação com empregados, ou seja, ele precisa desenvolver estas habilidades para continuar a desempenhar a suas funções, minimamente”, comentam.

 “Apesar de todas essas mudanças, é interessante notar que o modelo que propusemos para a gestão da comunicação com empregados se mantém válido. O apoio à comunicação da liderança, ainda mais nesse período de distanciamento, se mostra ainda mais importante, na medida em que além do que falar, precisamos cuidar também dos meios em que essa fala acontece; os veículos e as campanhas internas precisaram se ajustar ao contexto e à expectativa das pessoas, que se demonstraram mais ávidas por consumir os conteúdos corporativos; e os eventos, tradicionalmente presenciais, migraram para o ambiente online sem perder de vista sua importância crucial de reunir pessoas e criar espaços de compartilhamento”, afirma Rozália.

Os livros podem ser solicitados via e-mail, no contato lidiane@aberje.com.br.