Ranking Merco das empresas mais responsáveis foi lançado dia 18
22 de julho de 2019
  • English

Jornalismo Júnior (Emylly Alves)

A apresentação da quinta edição do ranking anual das 100 empresas mais responsáveis e com melhor governança corporativa no Brasil aconteceu no dia 18 de julho, na sede da Aberje, em São Paulo. O trabalho foi apresentado por Manuel Sevillano, Diretor Global da Merco, e por Lylian Brandão, Diretora Geral da Merco Brasil.

A Merco (Monitor Empresarial de Reputação Corporativa) é referência na Espanha e na América Latina na avaliação da reputação de empresas. Desde 2014, a Merco produz três rankings anuais no Brasil: Empresas, Líderes e Responsabilidade e Governança Corporativa – este último foi o apresentado. Com metodologia multistakeholder, a avaliação integra a percepção de 11 fontes de informação.

Manuel Sevillano abriu o encontro com um discurso sobre como histórias unem um povo. “Não existe nada mais poderoso no mundo que uma boa história”, ressalta o profissional espanhol. 

Sevillano também citou os valores diferenciais da Merco: “somos radicalmente transparentes, rigorosos e independentes”. Transparência ao tornar toda a metodologia e critérios de ponderação públicos, rigor ao ser o único monitor no mundo com seis avaliações e vinte e cinco fontes de informação, independência ao ser o primeiro monitor de reputação verificado no mundo.

Em seguida, o Diretor Global falou acerca de Responsabilidade Social Corporativa (RSC) e Reputação, que é o reconhecimento que os stakeholders de uma empresa fazem do seu comportamento corporativo em função do cumprimento dos seus compromissos e da satisfação de suas expectativas. 

Sevilliano ainda disse que uma empresa tem que equilibrar os diferentes grupos de interesse. “Não pode haver uma empresa sustentável se não há uma sociedade sustentável”, ressalta o diretor. “Não quero dizer que não há empresas que não contaminem, discriminem ou sejam corruptas, mas isso nos escandaliza atualmente”, complementa.

Metodologia

O estudo e o ranking são realizados pelo Instituto Análisis e Investigación e segue a Norma ISO 20252 e ao código de conduta ICC/ESOMAR. Além disso, conta com verificação externa realizada pela KPMG. A metodologia inclui cinco ondas, com 11 diferentes grupos ou fontes de informação. “A seleção parte de uma entrevista com membros da alta direção de empresas com faturamento superior a U$ 40 milhões que apontam dez companhias com melhor Responsabilidade e Governança Corporativa”, explica Sevillano.

Para cada empresa escolhida, sinalizam duas fortalezas e uma fraqueza entre cinco valores: comportamento ético, transparência e boa governança, responsabilidade com os funcionários, compromisso com o meio ambiente e mudanças climáticas e contribuição à comunidade. 

A partir dessa primeira listagem, são feitas entrevistas com diversos outros grupos, incluindo população, especialistas em responsabilidade social corporativa, analistas financeiros, ONGs, sindicatos, associações de consumidores, jornalistas econômicos, representantes do governo e gestores de mídias sociais. A pesquisa de campo ocorreu entre julho e dezembro de 2018, com 3.090 entrevistas realizadas.

Na etapa final, também é feita uma avaliação de mérito a partir de respostas objetivas aos indicadores de Governança Corporativa incluídas em uma pesquisa mais ampla, respondida pelas próprias empresas.

Lylian Brandão, Diretora Geral da Merco Brasil, explica que diversas variáveis são analisadas para elaboração do ranking, como comportamento ético, transparência, boa governança, contribuição à comunidade e compromisso com o meio ambiente e mudanças climáticas. “É impressionante como cada vez mais os formadores de opinião têm a percepção do impacto no meio ambiente e suas consequências. É associado ao comportamento ético e transparência”, diz. Ela acrescenta ainda que recentes acontecimentos no Brasil, como a descoberta e investigação de casos de corrupção, levaram as empresas a ficarem mais atentas aos temas relacionados ao comportamento ético e, consequentemente, a ter melhores práticas de governança corporativa. “Há uma atenção bem maior em governança. Quando acontece uma crise, um problema em outra empresa, a companhia fica mais atenta e procura ter melhores práticas”, comentou.

Resultados e Destaques

Das dez primeiras colocadas no ranking, cinco são nacionais. O setor de Cosméticos e Perfumaria se firma na liderança do ranking com Natura na 1ª posição e o Grupo Boticário na 2º posição; Itaú-Unibanco ocupa o terceiro lugar no ranking.

Sevillano e Brandão apresentaram o Top 5 das empresas com melhor responsabilidade e governança corporativa para cada stakeholder, a classificação por setores e as melhores empresas para a população geral — avaliada pelas variáveis de ética, compromisso ecológico, compromisso social e atrativo para trabalhar. Além disso, Sevillano e Brandão também mostraram novidades no ranking, como o estreante Hospital Sírio-Libanês, e as empresas que retornaram, como a JBS.

Debate sobre responsabilidade e governança corporativa

Os participantes do encontro também tiveram a oportunidade de debater sobre os atributos que fazem uma empresa ser reconhecida pela sociedade como líder em Responsabilidade e Governança Corporativa. Eles também discutiram como as companhias têm aprimorado a gestão de sua reputação, para serem percebidas como responsáveis pelos distintos públicos com os quais se relacionam.

Mediado por Lylian Brandão, os convidados especiais também debateram os resultados e trouxeram a experiência prática em suas organizações.

Silvana Balbo, Diretora de Marketing do Carrefour, falou sobre quais ações a empresa tem feito para atender às novas tendências de consumo, liderando a real transição alimentar. “O Carrefour acredita no poder transformador da boa alimentação. Estamos construindo um importante movimento, com iniciativas concretas para levar o que há de melhor ao alcance de todos”, afirma a diretora. Luiz Herrisson, Diretor de Comunicação Corporativa e Marketing da Embraer, comentou das iniciativas da empresa e da parceria com a Boeing. Mariana Scalzo, Gerente de Assuntos Institucionais e Comunicação Corporativa do Grupo Boticário, ressaltou a importância da comunicação para aproximar a empresa dos clientes. Leila Loria, Vice-Presidente do Conselho de Administração do IBGC, fez uma análise do ranking a partir da perspectiva da governança corporativa.

Os resultados da pesquisa podem ser acessados neste link: http://www.merco.info/br/ranking-merco-responsabilidad-gobierno-corporativo

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *