Apresentado por:

Apoio de mídia:

 

Vacinas para Covid-19: ações e narrativas

Como as empresas e a comunicação corporativa e pública podem contribuir em prol do acesso às vacinas e no combate à desinformação.

 

A partir de um enorme esforço que envolveu empresas, universidades, governos e outras entidades, diversas vacinas para a Covid-19 foram desenvolvidas em tempo recorde. Ao mesmo tempo, as campanhas de vacinação têm se defrontado com campanhas de desinformação, fake news, xenofobia e negacionismo em uma escala alarmante.

Este episódio irá explorar como a comunicação empresarial e a comunicação pública podem contribuir em prol do acesso às vacinas e no combate à desinformação.

 

Você pode assistir às palestras a qualquer momento e enviar suas questões até o dia 28 de abril. As perguntas serão selecionadas e respondidas em um webinar ao vivo no dia 30  de abril, às 9h30 (horário de Brasília), no canal da Aberje no YouTube.

 

Os webinars já estão disponíveis!

 

Marta Díez, Presidente da Pfizer Brasil

“Vacinação é um ato de amor”

A CEO da Pfizer Brasil destaca a campanha Science Will Win, elenca as ações da empresa no Brasil e os desafios com que se deparam os profissionais que atuam no setor. Ela lembra da importância das vacinas na erradicação e controle de diversas doenças e para a proteção individual, familiar e da sociedade como um todo. Também traz dados de uma pesquisa sobre o status de vacinação da população brasileira e insiste na importância de um compromisso generalizado em prol da vacinação.

Raul Machado Neto, Diretor de Estratégia Institucional do Instituto Butantan

“Cada vez mais há a necessidade de se ter uma rede de alerta de detecção de variantes”

O diretor do Instituto Butantan, professor Raul Machado destaca a expertise e a capacidade produtiva do Butantan no campo das vacinas, com fábricas que já produzem 7 tipos diferentes de vacinas e que é responsável por 65% do total de vacinas disponibilizado pelo SUS. As novas fábricas para produção de monoclonais e uma vacina contra a dengue também são mencionadas. No que diz respeito à Covid-19, o professor discorre sobre as duas vacinas, a Coronavac, já em produção, e a Butanvac, em fase de estudo clínico, assim como o desenvolvimento de soro para tratamento, o estabelecimento de uma rede de alerta para detecção de variantes e a importância do projeto epidemiológico desenvolvido na cidade de Serrana. Ele ainda aponta para a importância de parcerias com instituições públicas e privadas, inclusive para a transferência de tecnologias.

Maria Berta Ecija, Especialista em diplomacia da saúde pelo King’s College London

“O valor atribuído à saude é a base do prestígio brasileiro, nacional e internacionalmente”

Maria Berta lembra que a saúde se tornou uma questão diplomática ao final do século XX com o aprofundamento da globalização e o advento de um mundo multipolar e que ela se instala na intersecção de três agendas interdependentes, segurança, economia e direitos humanos. Ela aponta que, historicamente, o Brasil é um líder em questões de saúde pública, cujo prestígio advém do valor de direito humano básico atribuído à saúde, valor consolidado pela Constituição de 1988 e concretizado no Sistema Único de Saúde. Por fim, ela lista uma série de campanhas de saúde pública informativas e educativas, dentre elas a campanha do Zé Gotinha, de onde importantes lições podem ser tiradas para a campanha de vacinação da Covid-19.