×

7 Tendências de Comunicação Interna para 2019

Daniéli Closs*

Vou começar esse texto pedindo para você esquecer algumas coisas: comunicação unidirecional, colaboradores inertes ao que acontece na empresa, organizações indiferentes ao que os colaboradores sentem como seres humanos.

Esqueceu?

Então agora conheça as tendências de Comunicação Interna para 2019!

O ano de 2018 serviu para reforçar o quanto as pessoas podem defender um propósito quando se identificam com ele. Hoje, temos um cenário que incentiva a exposição de opiniões e debates.

Uma das principais mudanças dos últimos anos foi em quem as pessoas confiam ao se informar sobre algo, alguém ou alguma empresa. Nossas relações com pessoas e empresas mudaram, por isso as organizações não poderiam deixar de se renovar.

Tudo que aprendemos esse ano, todas as mudanças que observamos em nossos clientes, leitores e ainda o que vimos fora de casa em cursos e eventos que participamos, nos permitiu entender e identificar o que se tornou prioridade para os profissionais de Comunicação Interna e que vai prevalecer ainda mais em 2019.

E como o novo ano já está aí, preparamos este artigo com as principais tendências de Comunicação Interna para 2019.

Confira agora o que vai ser prioridade!

1- Colaboradores como Agentes Comunicadores

As empresas estão dando cada vez mais voz aos colaboradores e permitindo que eles ocupem o espaço de agentes comunicadores, pois esse movimento já acontece, você querendo ou não.

Seu público quer falar, quer participar, por isso incentive essa troca, ofereça recursos para que eles compartilhem suas ideias e sejam ouvidos. Mas principalmente, ouça e use as ideias, dê feedback às sugestões e essa cooperação se tornará uma conversa, um ciclo que só tem a proporcionar bons resultados para a organização.

Quando o colaborador é ouvido e sua ideia é considerada, ele se sente responsável pelos resultados de todos. Por isso, além de melhorar o relacionamento e o engajamento, eles estarão mais dispostos a identificar riscos e oportunidades para auxiliar com a evolução da empresa.

Portanto, para 2019, a Comunicação Interna se tornará cada vez mais multidirecional, permitindo que os colaboradores também produzam conteúdo. E para facilitar essa dinâmica, as novas ferramentas de Comunicação Interna estão permitindo que isso aconteça.

Um está ligado ao outro, os novos meios de comunicação possibilitam a divulgação e a troca de informações, pois é o que o cenário está exigindo. Ao permitir que eles produzam conteúdo e estejam envolvidos com as informações, eles também se tornam defensores da marca, pois sabem exatamente o que está acontecendo em todos os departamentos, e desta forma, terão credibilidade para falar também fora da empresa.

Para que os colaboradores compartilhem opiniões, é necessário que eles conheçam tudo sobre o negócio da empresa, entendam as limitações e quais são os principais objetivos. Para isso, é necessário que a Missão, Visão, os Valores e o propósito estejam bem difundidos entre todos.

2- O Fim da Comunicação Interna e Externa

É o fim da fronteira que divide a comunicação interna da externa, não temos como fugir disso e cada vez mais teremos uma comunicação integrada em nossas organizações. Ou seja, não temos mais controle do que é dito fora das paredes da empresa e tudo que é dito pelos empregados em relação ao trabalho, é importante.

Claro que existem as informações sigilosas, que permanecem desta forma. Mas o relacionamento, os valores culturais que a empresa possui, como os empregados são tratados; tudo isso é facilmente exposto pelos colaboradores que agora são agentes comunicadores, porta vozes da organização e estão expressando suas opiniões sobre tudo o tempo todo.

De nada irá adiantar investir em campanhas de marketing falando de como a empresa é legal e boa para seus funcionários, se não for assim que os colaboradores se sentem de verdade, pois eles estarão falando sobre como de fato as coisas acontecem dentro da empresa.

Além disso, segundo pesquisas, o público dá mais credibilidade para o que um funcionário fala do que para campanhas de marketing da empresa.

Alinhar o que se faz e se fala dentro da empresa com o que é dito lá fora não é só uma escolha, deve ser feito.

3- Comunicação Inclusiva

Não há como fugir da diversidade e inclusão.

As ações de endomarketing e as estratégias de Comunicação Interna precisam incluir a todos e principalmente respeitar as diferenças, se adequando aos cenários existentes dentro dela.

A comunicação está se tornando cada vez mais personalizada e segmentada e não apenas por departamentos ou filiais. A personalização ocorre de acordo com a cultura, com as características e personalidades de cada colaborador, de cada grupo.

E além dessa personalização, o cuidado com as palavras, formas de expressão e possibilidades de interpretação devem estar no topo das preocupações dos comunicadores.

A Comunicação Interna e o endomarketing servem para conectar pessoas e empresa, e para isso, é necessário praticar a inclusão e a comunicação não violenta.

Portanto, conecte-se com seu público, tenha empatia ao falar com ele, o toque pessoal e humano não pode ser perdido.

Sabemos também que eles preferem ler mensagens de colegas, ao invés das que queremos comunicar. Então, para mudar esse cenário é preciso falar como eles e estar nos mesmos canais. E para isso é preciso se reinventar e se adaptar ao cenário que eles vivem.

Além de todas as questões relacionadas à diversidade de gênero e raça por exemplo, a diferença entre as gerações também exige atenção.

“Eles também são diferentes em termos de exigência de trabalho. Aqueles que nasceram entre 1970-1979 se concentram mais no salário; os que nasceram entre 1980-1989 se concentram mais na carreira e no desenvolvimento de carreira; e aqueles que nasceram de 1990 em diante se concentram mais no escopo, no ambiente e na flexibilidade do trabalho. Eles podem aceitar salários mais baixo se esses requisitos forem atendidos.”, Sra. Xu, gerente de RH de uma startup na China

E hoje, aqueles que nasceram de 1990 em diante estão se tornando a maioria em muitas organizações, o que significa que o bem-estar é prioridade. Como essas pessoas se sentem no trabalho precisa ser levado em consideração.

Por causa das exigências do mundo atual, o bem-estar se tornou foco principal das pessoas, portanto elas vão buscar estar bem fisicamente, mentalmente e emocionalmente, principalmente onde trabalham, pois é o local onde passam maior parte do tempo de suas vidas.

Os colaboradores sabem o que querem e o desejo por uma carreira sólida em uma única empresa não é mais prioridade. Se não estiverem satisfeitos, não tenha dúvidas, eles buscarão outro lugar.

“Assim, nós, os responsáveis pela comunicação, precisamos reaprender a nos relacionar com nossos colaboradores, principalmente a ouvi-los. Mais do que isso, temos que nos transformar em mediadores qualificados de relações.”, Paulo Nassar, diretor presidente da Aberje e professor titular da ECA-USP.

4- A sua Empresa ainda não tem um Propósito?

Assim como o bem-estar, defender causas também é importante para as pessoas. O mundo percebeu que precisa fazer alguma coisa, seja em relação a questões ambientais, culturais ou sociais, é preciso agir.

Além disso, ao consumir produtos eles também buscarão saber se determinada marca está impactando o mundo positivamente, ou apenas preocupada com o lucro.

Se as pessoas buscam por marcas e produtos que estão relacionados à causas, não seria diferente ao buscar um emprego. As pessoas querem estar com quem se identificam, querem defender o que acreditam e, para isso, precisam estar inseridas em um lugar que tenha o mesmo propósito.

E é função da Comunicação Interna e das ações de endomarketing transmitir esse propósito, inserir ele na rotina dos colaboradores e fazer com que todos o vivam, desde a produção até o relacionamento após a venda.

Se a sua empresa possui um propósito, inclua-o em tudo o que é comunicado, em todas as ações e campanhas realizadas, seja direta ou indiretamente. Se não tiver, está na hora de encontrá-lo!

Comunicar significa construir confiança entre organização e colaboradores e para isso acontecer, o propósito e os valores precisam ser compartilhados e vividos.

5- Aprendizagem através da Experiência

Nosso objetivo como comunicadores vai muito além de apenas repassar mensagens. Nosso propósito é impactar de forma atrativa, é proporcionar experiências, é engajar e transformar a rotina dos empregados.

Realizar treinamentos, campanhas de endomarketing e a comunicação interna tendo os colaboradores como agentes passivos não funciona mais. O máximo que vai acontecer é o empregado lembrar daquela informação por um tempo e então esquecê-la.

Para impactar seus colaboradores e transmitir informações que sejam compreendidas, absorvidas e assimiladas – para então serem vividas na rotina de trabalho –, você precisa proporcionar experiências.

Uma estratégia que está sendo cada vez mais aplicada pelas organizações é a gamificação, ela proporciona aprendizado e motivação através da experiência do formato dos games.

“Acho que um dia, no futuro, pode ser que as políticas e estratégias das empresas sejam comunicadas aos seus empregados por meio de jogos virtuais!”, Yao Ying, profissional com mais de 10 anos de experiência na área de Comunicação Interna.

6- Líderes se tornam Comunicadores

 

O líder impacta diretamente no engajamento e na produtividade das equipes, por isso deve ser incentivado a aprender cada vez mais sobre performance, engajamento, motivação e, principalmente, comunicação.

Os colaboradores querem ouvir as informações de seus líderes, acreditam no que seus supervisores falam. Eles possuem uma relação de confiança e através deles se certificam se a mensagem que receberam é real.

Mas…

“Muitas vezes, os líderes de equipe são promovidos por seus conhecimentos técnicos ou por um longo tempo de serviço dentro de uma organização; pouquíssimos por causa de suas habilidades de comunicação. Isso resulta em posicionamentos mais reativos e em priorizar status e poder. É aí que pensamos que nós como especialistas em comunicação, devemos intervir. Precisamos treinar, aconselhar, desafiar e ajudá-los a ser excelentes comunicadores de equipe – um fator crucial para elevar o bem-estar dos empregados.”, Peter Op Beeck, consultor independente de Comunicação Interna

Portanto, para melhorar esse cenário em 2019, é preciso antes de tudo reconhecer o líder como influenciador e que o seu papel é fundamental para que a comunicação seja eficaz. Envolva os líderes, ensine-os a como se comunicar de forma efetiva e transforme-os em aliados da Comunicação Interna.

7- Comunicação Digital e Instantânea

 

Agora vamos falar sobre ferramentas. Apenas enviar um e-mail ou depositar uma informação na intranet não proporciona mais os mesmos resultados. Assim como os relacionamentos, as formas de se comunicar também precisam se adaptadas.

Os meios de comunicação tradicionais já não são mais atrativos para os colaboradores, que agora estão acostumados com informações instantâneas, em real time, em formatos diferentes, principalmente em vídeos.

Por isso, a Comunicação Interna está se adaptando a este cenário para alcançar seus objetivos, pois somente conquistando a atenção do colaborador ela será eficiente. A Comunicação Interna é agora digital e instantânea e para ser eficaz precisa de apoios como repetição, atratividade, dinamismo e interação.

A principal tendência aqui é unir ferramentas como aplicativos, redes sociais e TV Corporativa com as direções apontadas nos itens anteriores, pois elas foram desenvolvidas exatamente para que os profissionais de comunicação possam acompanhar as mudanças.

Conclusão

Muitos profissionais citam tendências mais futuristas e relacionadas à inteligência artificial ou realidade virtual para as empresas. Apesar dessas tecnologias já estarem presentes em diversas aplicações, nós aqui da Progic, acreditamos que ainda temos um caminho maior de adaptação e entendimento pela frente antes de chegarmos ao tão esperado futuro.

Conhecendo o cenário das organizações, é sabido que nada novo e desconhecido é implementado da noite para o dia, o processo é lento e planejado. Por isso, as tendências que elencamos estão completamente relacionadas ao presente que estamos vivendo.

Além disso, são direções que já vem se desenhando, mas que talvez precisem de um empurrãozinho e um pouco mais de agilidade para realmente serem aplicadas na Comunicação Interna e no endomarketing das empresas.

Temos certeza que essa movimentação que já está acontecendo, deixará o processo mais eficaz e proporcionará melhores resultados para as organizações.

E para você, quais são as principais tendências na Comunicação Interna das empresas para 2019? Compartilha com a gente, vamos juntos transformar o relacionamento dos colaboradores com a organização e alcançar melhores resultados.

Os depoimentos dos profissionais citados neste artigo foram retirados do livro Sem Megafone com Smartphone – Práticas, desafios e dilemas da comunicação com os empregados, de Paulo Henrique Soares e Rozália Del Gáudio, publicado pela Aberje Editorial.

 

Daniéli Closs é analista de Marketing e Comunicação da Progic, empresa especialista em TV Corporativa. Entre seus clientes, estão empresas como Bauducco, Saint-Gobain, Dana, Rede Record, Johnson Controls entre outros. Daniéli é formada em Relações Públicas pela Unijuí e sempre voltou seu olhar ao relacionamento com os empregados. Tem experiência em liderança, gestão de pessoas e comunicação interna. Acredita que a qualidade dos relacionamentos é o que define o sucesso de uma organização. Escreve para o Endomarketing.tv, blog da Progic sobre Comunicação Interna, liderança e TV Corporativa.