fbpx
×

Prefeitura de SP cria novas taxas para os apps de transporte

Aberje

 

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

 

Danilo Thomaz

Na tentativa de evitar o surgimento de monopólios no setor de apps de transporte, a prefeitura de São Paulo, que regulamentou em maio os serviços de transporte por carros particulares a uma taxa de R$ 0,10 por KM rodado, passará a cobrar a taxa de acordo com o volume das corridas dos aplicativos.

Pelas novas regras, cada operadora poderá rodar 7.500 quilômetros a cada hora. Ao passar desse limite, a taxa sobe 10% – de R$ 0,10 para R$ 0,11. A Prefeitura estipulou seis bandas de consumo e, na mais cara, o aumento chega a 300%, ou R$ 0,40 por quilômetro.

Para o prefeito Fernando Haddad, essa é uma forma de incentivar a concorrência entre os aplicativos e evitar a monopolização do segmento e evitar o crescimento desenfreado da frota de algum app. “Se o valor for repassado para o consumidor, a empresa sofrerá a concorrência de outras que estarão com a outorga mais baixa”, disse Haddad.

A regulamentação da prefeitura estabelece um limite de quilômetros que as empresas de transporte por carros particulares podem rodar. São 27 milhões de quilômetros por mês, o equivalente ao que 5 mil táxis percorrem. Essa cota poderá mudar caso se note que os índices de trânsito estão aumentando ou diminuindo.

As novas regras foram publicadas no Diário Oficial de São Paulo na terça-feira (11/10).