Os desafios durante a pandemia
15 de julho de 2020
  • English

A pandemia causada pelo coronavírus fez com que nós mudássemos muito nossos hábitos e rotinas. Deixamos de nos reunir com amigos e familiares, o lazer ganhou outra conotação e passamos a cozinhar mais e colocar a leitura daqueles livros que sempre deixamos para depois em dia. Os encontros presenciais se transformaram em chamadas de vídeo. Os eventos se transformaram nas tão famosas lives. Tivemos que começar a nos adaptar neste novo mundo, que nos deu uma data de começo para nos isolarmos, mas ainda não sabemos quando acaba.

É claro que mudar o comportamento do dia para a noite não é tão simples. Precisamos de um tempo para nos planejarmos e nos adaptarmos para entender como que nos encaixamos nesse novo normal e, infelizmente, nem todos tiveram tempo para poder enfrentar essa crise que estamos vivendo. Vimos inúmeras pessoas perdendo seus empregos, pequenos negócios fechando, empresas se reestruturando internamente e por aí vai.

Ao mesmo tempo, vimos uma grande onda de solidariedade se formar em prol de um único objetivo: ajudar quem mais precisa neste momento, afinal, precisamos unir forças para tentar, de alguma maneira, minimizar os impactos causados pela pandemia na vida de milhões de pessoas.

Aqui no Grupo Carrefour Brasil conseguimos nos antecipar em algumas medidas antes do início do isolamento social. Em 15 dias pudemos implementar 240 decisões de segurança em nossas lojas e na matriz. Isso se deu muito pelo fato de sermos uma empresa global, o que nos permitiu entender, antecipadamente, como a crise impactou os outros países e que ações foram tomadas lá para que pudéssemos adotar nas nossas operações aqui no Brasil.

Logo de início, em janeiro, já monitorávamos a situação da Covid-19 na China. Em fevereiro, criamos o nosso primeiro comitê de crise do Grupo para começar a discutir possíveis medidas a serem adotadas aqui no Brasil e, no final do mês, fizemos a primeira compra de álcool gel e máscaras para garantir a segurança de todos os nossos colaboradores. Visto que somos um serviço essencial e mantivemos as nossas lojas abertas, agimos rápido para que nossos funcionários tivessem toda segurança possível para desenvolver seu trabalho.

Em março, nos dias que antecederam o isolamento social, reforçamos e implementamos novas medidas de segurança e higiene nas lojas, com a instalação de proteções de acrílico nos caixas, compra de termômetro para aferir a temperatura de clientes e colaboradores, reforço na higienização dos carrinhos e esteiras e aplicação de adesivos demarcando a distância de 1 metro entre os clientes nas filas. Tudo isso foi feito em um tempo recorde, mas com um foco – a obrigação de garantir a segurança de todos, colaboradores e clientes, a razão do nosso negócio.

Outro movimento extremamente importante que fizemos, em abril, foi o anúncio de doações em cestas básicas e vales-alimentação para a população em situação de vulnerabilidade social. Além da doação de recursos próprios da empresa, criamos a campanha “Compra Solidária”, convidando clientes, colaboradores e fornecedores para fazer parte deste movimento. Ao final da campanha, em junho, o montante total atingiu R$ 22 milhões, equivalente a 500 mil cestas básicas.

Além de cuidar das nossas pessoas, entendemos que tínhamos um papel social muito importante a ser desempenhado em ajudar quem mais precisa. Fizemos parceria com ONGs que tem toda expertise e conhecimento em causa humanitária para que pudessem nos apoiar nesse projeto. E tem sido um lindo projeto. Além das cestas básicas e vales-alimentação, ajudamos diversas prefeituras e secretarias de saúde com a doação de máscaras para os profissionais de saúde. Doamos também 40 mil máscaras de tecido para os familiares dos nossos colaboradores de loja e 16 mil para comunidades indígenas da região amazônica.

Tudo isso que fizemos, só foi possível porque desde o começo a empresa foi muito transparente em suas comunicações com clientes, colaboradores e fornecedores. Ao mesmo tempo em que implementamos diversas medidas, internas e externas, tivemos o apoio deste público e uma boa receptividade para o que estávamos fazendo. Eles foram o nosso farol para entendermos se tudo que o Grupo Carrefour Brasil estava implementando atendia as principais necessidades do momento.

Quando olho para trás, parece que tudo isso já aconteceu tem muito tempo. O isolamento e a pandemia fez com que nós, que tivemos a oportunidade de poder continuar trabalhando de casa, perdêssemos a noção de tempo. Mas, olhar para trás e ver tudo o que fizemos e quantas pessoas conseguimos ajudar, me deixa muito orgulhoso. Sei que ainda tem muito para ser feito e vamos continuar ajudando aqueles que mais precisam e continuar cuidando daqueles que trabalham todos os dias para que as pessoas possam continuar abastecendo suas casas.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.