Comunicação e consumo de mídia
17 de novembro de 2020
  • English

A Comunicação nas empresas tem assumido um papel cada vez mais estratégico ao longo dos últimos anos. Na pandemia, a atuação destes profissionais ganhou enorme relevância na elaboração e execução de estratégias e planos de comunicação interna e para os demais stakeholders, para além de ter contribuído decisivamente na gestão de riscos.

A pandemia trouxe também significativas alterações nos padrões de consumo de mídia das pessoas, nos obrigando a acompanhar essas evoluções por forma a levar as mensagens da marca aos pontos de contato e nos formatos corretos  para os diversos segmentos de público, principalmente em um momento de intensa oferta de conteúdo.

O estudo Global Web Index traz análises interessantes sobre o assunto e nos revela de que forma as diferentes gerações estão conectadas aos meios de comunicação e buscam acessar informação e entretenimento, trazendo insights muito importantes para profissionais que lidam com a geração de conteúdo e posicionamento de marca.

O primeiro aspecto que destaco é o alto consumo de mídia digital por parte da geração Z (16 a 23 anos), com uma concentração maior em vídeos online e serviços de streaming, além de vídeo game, o que revela uma oportunidade crescente para o investimento de mídia neste último de canal, como possível estratégia de reconhecimento de marca junto a esta geração. Esta é uma geração altamente conectada.

A geração dos Millenials (24 a 37 anos) também apresenta um comportamento de consumo predominantemente digital. No entanto, observa-se que o consumo de mídia está mais pulverizado entre os diferentes meios. É, ainda, a geração que mais consome podcast, o que revela uma grande oportunidade de geração deste tipo de conteúdo para este público.

A geração X (38 a 56 anos) é aquela que melhor equilibra os meios online e offline e destaca-se por ser aquela que mais consome informação pela televisão e pelo rádio. Já os Baby Boomers (acima de 57 anos) estão mais focadas em conteúdo audiovisual, seja na TV ou em streaming.

O Global Web Index ainda revela que as pessoas de todas as gerações estão mais propensas em investir em assinaturas de serviços on demand do que antes da pandemia, o que mostra uma possibilidade ainda maior de diversificação do composto de mídia, tendo em vista o crescimento de novos serviços de streaming no Brasil.

É fundamental acompanhar as tendências de comunicação e comportamento do consumo de conteúdo, principalmente quando observamos períodos específicos como estamos vivendo atualmente. Adequar discurso de marca ao público e ao meio tornam-se ainda mais fundamentais para uma comunicação mais efetiva em um mundo com alta geração de conteúdo e informação.

O 5G está chegando e o aumento de velocidade e qualidade de transmissão online para smartphones vai impulsionar novas evoluções dos padrões de consumo de mídia em diferentes segmentos da sociedade. Nunca como agora foi tão necessário acompanhar estas alterações, elas acontecem com cada vez maior rapidez.

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin