A sua marca é um reflexo da sua cultura
17 de março de 2022
  • English

Quando a gente abre uma empresa, normalmente desejamos ter o mesmo sucesso das grandes marcas. Mas, o que exatamente quer dizer essa marca? De grosso modo, ela é aquilo que o público externo pensa sobre sua companhia, ou seja, o seu próprio DNA. E isso está diretamente relacionado à cultura que você constrói internamente, já que a marca nasce através dessa cultura.

É por isso que tentar reproduzir ou copiar o sucesso de grandes marcas nunca é o caminho ideal para um negócio. Para se destacar, é preciso ser único. É preciso ter visão, missão e valores que sejam reconhecidos e executados por todos dentro da empresa. É necessário ter um DNA só seu. E com uma cultura bem enraizada, o público interno, ou seja, os colaboradores e fornecedores, podem se tornar os primeiros porta-vozes de sua marca.

Porém, a cultura vai além da satisfação dos profissionais em trabalharem na sua empresa. Ela deve ser o norteador de suas ações e decisões em todos os âmbitos. Quanto mais forte for sua cultura, mais fácil será definir as estratégias futuras do seu negócio. A cultura, porém, não deve ser imposta: o ideal é que ela seja construída por uma equipe multidisciplinar e implementada de maneira orgânica dentro da companhia. Por isso, ações de comunicação interna que reforcem tanto o seu propósito quanto a importância de seus colaboradores são necessárias para consolidar a cultura organizacional que você almeja.

De olho no futuro

Ao definir sua cultura, fuja do lugar comum. Todas as empresas devem buscar um ótimo atendimento a seus clientes, bem como a satisfação de seus colaboradores, por exemplo. A cultura deve ir além disso: ela deve refletir a visão de futuro que sua empresa busca. Assim, ela deve instigar a busca por melhores performances e melhores resultados, mas sempre tendo um olhar humanizado para os profissionais que fazem a sua empresa crescer.

Inclusive, é relativamente comum que empresas em ascensão acelerada acabem tendo dificuldades para a consolidação de sua cultura. A pressão por resultados cada vez melhores pode implicar em tensões que desestabilizam o clima organizacional. Por isso, estar sempre revisitando seus valores é importante para compreender o cenário atual da sua empresa.

Outro detalhe importante é que a implementação da cultura deve ser orgânica, mas não a sua definição. Se você deixar que a rotina e as demandas do trabalho definam qual será a sua cultura, há o perigo de que seu propósito e sua missão se percam no meio do caminho. Por isso é necessário que você saiba realmente onde quer chegar, para poder definir os valores que te levarão até esse ponto.

Cultura + marca = sucesso

A cultura de sua empresa deve dar significado ao trabalho dos colaboradores, gerar entusiasmo e engajamento com seu propósito e promover o crescimento profissional em todos os níveis. Sabe aquela máxima de “ame o seu trabalho e você não precisará nunca mais trabalhar”? A cultura organizacional é mais ou menos isso, ainda assim, é claro, você precisará trabalhar bastante, mas terá satisfação ao fazer isso.

Vale destacar que apesar do tema “cultura organizacional” estar bastante em alta nos últimos anos, principalmente por conta da pandemia, ele não deve ser tratado como um modismo. Suas boas práticas junto aos colaboradores não devem servir apenas para o marketing empresarial, mas, sim, para fortalecer os laços que seus profissionais possuem com o seu negócio. Inclusive, a retenção de talentos é um dos principais benefícios de uma boa cultura organizacional – saiba como turbinar a experiência do colaborador em outro texto que escrevi para a Aberje.

Dessa maneira, cultura e marca caminham de mãos dadas. Quanto mais positiva for sua cultura, mais forte será sua marca – e vice-versa. Esse é um processo contínuo, que deve ser revisitado de tempos em tempos para avaliar se de fato cultura e marca estão alinhadas entre si. Você já começou essa movimentação na sua empresa? Nunca é tarde para isso!

 
Twitter e-Mail Facebook Whatsapp Linkedin