O mundo vive hoje uma das piores crises humanitárias de sua história. De acordo com o último relatório Tendências Globais do ACNUR, o número de refugiados já é superior a 20 milhões. Segundo o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), no Brasil, 9.552 pessoas, de 82 nacionalidades distintas, já tiveram sua condição de refugiadas reconhecida. Apenas no ano passado, 32% das pessoas que solicitaram refúgio no país eram mulheres.

Com o objetivo de ajudar na mudança desta dura realidade, a Sodexo, uma das apoiadoras do projeto Empoderando Refugiadas, participou do evento de encerramento da segunda edição da iniciativa, que tem como objetivo  sensibilizar o setor privado sobre o tema dos refugiados, trazendo exemplos concretos e boas práticas nacionais e internacionais sobre o engajamento do setor privado no assunto.

Durante o encontro, foram apresentados os resultados do projeto e um minidocumentário com as histórias de algumas participantes do Empoderando Refugiadas, incluindo uma das colaborados da SodexoO filme apresenta as diversas trajetórias, estratégias e desafios de 10 mulheres em busca de uma oportunidade de recomeçar a vida em outro país. As entrevistadas refletem sobre os impactos de um novo trabalho em suas relações familiares e sociais. O vídeo pode ser assistido no linkhttps://www.youtube.com/watch?v=_5-O3hMBt5I

“A Sodexo é uma companhia multinacional que atende 80 países e o principal motivo por ela estar presente em todos eles é porque compreende, integra culturas e ganha força com elas. O Brasil é feito de imigrantes e atualmente, vivemos uma nova onda de imigração no país. A empresa acredita que só tem a ganhar com isso, com o potencial criativo e inovador, e tem muito orgulho de fazer parte deste projeto” explica Djalma Scartezini, Gerente de Diversidade e Inclusão da Sodexo Serviços Brasil.

A multinacional francesa já conta com 60 colaboradores(as) refugiados e imigrantes trabalhando em suas unidades pelo Brasil, sendo que, duas delas foram contratadas a partir do Projeto Empoderando Refugiadas. Para a Sodexo, o projeto é de extrema importância, pois oferece uma oportunidade de trabalho para que essas mulheres possam ter independência financeira, a fim de se tornarem cidadãs brasileiras.

Estiveram presentes no evento, o Secretário Executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira; a Representante do ACNUR no Brasil, Isabel Marquez, a Gerente dos Princípios de Empoderamento das Mulheres da ONU Mulheres, Adriana Carvalho e o Gerente de Diversidade e Inclusão da Sodexo On-Site Brasil, Djalma Scartezini.

 

Principais Resultados do Empoderando Refugiadas (até o momento)

  • 80 mulheres já foram acompanhadas pela iniciativa, refugiadas ou solicitantes de refúgio, de diferentes países
  • 21 mulheres já foram contratadas
  • 40 mulheres já receberam aconselhamento profissional individual
  • 350 mulheres já foram impactadas pelo projeto

 

O projeto

O projeto Empoderando Refugiadas é uma iniciativa do Grupo de Direitos Humanos e Trabalho da Rede Brasil do Pacto Global, junto com a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), aONU Mulheres, a Caritas São Paulo, a empresa de recursos humanos Fox Time e o Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados (PARR). O projeto conta com o apoio das Lojas RennerItaipu Binacional, Sodexo e Consulado da Mulher.

Ao todo, são cerca de 80 mulheres, acompanhadas por diversos parceiros, refugiadas ou solicitantes de refúgio, de diferentes países. As mulheres apoiadas participaram de workshops (planejamento financeiro e profissional, direitos como refugiadas, mulheres trabalhadoras e habilidades práticas para melhorar o português). Além disso, elas recebem sessões de coaching e articulação com futuros empregadores. Vale lembrar que, o trabalho de sensilização com empresas é contínuo e os parceiros continuam buscando recolocar profissionalmente as refugiadas do projeto. O objetivo é que todas estejam empregadas e sejam autossuficientes financeiramente.