Giovanna Chencci

Reflexões teóricas sobre comunicação com empregados e depoimentos de comunicadores dos cinco continentes fazem de Sem Megafone, Com Smartphone: Práticas, Desafios e Dilemas da Comunicação com os Empregados (Aberje Editorial, 165 págs.) um tratado essencial para a boa liderança. No livro, Paulo Henrique Soares, diretor de Comunicação do IBRAM, e Rozália Del Gáudio, gerente sênior de Comunicação e Sustentabilidade na C&A Brasil, analisam as transformações da sociedade e as relacionam com as estratégias comunicativas das organizações. Leia nossa entrevista com os autores.

Nos dias de hoje, quais são os maiores desafios para os comunicadores quando se trata do diálogo com os empregados?

O grande desafio é atrair a atenção das pessoas. Em um mundo onde há abundância de informação e todos buscam ser protagonistas não só da sua história, mas da sua comunicação, ser relevante é uma busca constante. Para isso, algumas práticas de gestão precisam ser revisitadas. É preciso pensar em ambientes mais abertos e mais transparentes nos quais as pessoas possam se expressar.

O livro traz depoimentos de profissionais de comunicação de diversas nações. Os hábitos culturais de um país influenciam na comunicação interna?  

Não há dúvida de que as questões culturais impactam os processos de comunicação com empregados. Neste caso, temos a influência da cultura organizacional e também a do país. Os hábitos mais visíveis são os mais fáceis de ser identificados e trabalhados, como idioma, religião, vestimentas. As questões menos visíveis são mais complexas, como hierarquia, relação de poder e com o trabalho.

Qual é a importância da comunicação interna para a manutenção da reputação corporativa?

Sem uma comunicação interna estratégica e relevante, dificilmente uma organização alcançará um bom patamar de reputação corporativa. Cada vez mais as pessoas se informam pelas redes de relacionamento, e o que diz um empregado tem forte influência sobre o conjunto de percepções acerca de uma organização. E são os empregados que entregam, ou não, a proposta de valor de uma companhia. Se eles não estiverem bem informados e engajados, as chances de sucesso da empresa são bem reduzidas.

Quais são os desafios da comunicação interna para a próxima década?

Tecnologia poderia estar no topo da lista. Hoje todos nós somos curadores de conteúdo e influenciadores digitais. Outro desafio é a liderança no processo de comunicação. Gestores precisam conversar com as suas equipes além da rotina de trabalho, pois são a representação das organizações perante os empregados.

Capa_Sem Megafone com smartphone