Giovanna Chencci

 

Difundir e democratizar o acesso à educação de qualidade é uma tarefa crucial no mundo contemporâneo. Isso é ainda mais fundamental quando se trata do desenvolvimento profissional dos brasileiros, sobretudo daqueles que vivem em locais remotos.

E este é o objetivo do programa Senac Móvel: levar aos lugares mais afastados do Brasil o ensino de excelência das unidades fixas Senac, referência em educação profissional para o setor do comércio de bens, serviços e turismo.

O programa conta com 88 unidades móveis – 87 carretas-escolas e uma balsa-escola –, que atendem exclusivamente às populações ribeirinhas do Amazonas. A infraestrutura dessas carretas e da balsa dispõe de laboratórios climatizados, computadores conectados à internet, antena parabólica e equipamentos audiovisuais, que permitem que os alunos tenham a oportunidade de conhecer áreas como Saúde, Turismo, Hospitalidade e Lazer, Moda e Beleza, Produção Cultural e Design, Informação e Comunicação, Gestão e Negócios. Os cursos mais procurados são de Agente Comunitário de Saúde, Técnico de Enfermagem, Manicure, Cabeleireiro, Garçom, Técnico em Administração, Assistente Administrativo, Operador de Computador, entre outros.

Carreta-escola do Senac nas estradas

Carreta-escola do Senac nas estradas

Os cursos oferecidos nas unidades móveis são alinhados ao Modelo Pedagógico Senac, que se caracteriza por ser uma maneira de aprender e de ensinar baseada no desenvolvimento de competências, articulando conhecimentos, habilidades e valores. Os docentes têm um papel fundamental, pois são os responsáveis pelo relacionamento direto com os alunos e garantem que a mesma metodologia utilizada nas unidades fixas seja também usada nas móveis.

A diretora de Educação Profissional do Departamento Nacional do Senac, Anna Beatriz Waehneldt, conta que os cursos oferecidos pelo projeto são de grande importância, já que capacitam os alunos para as exigências do mercado de trabalho. “O profissional formado em nossa instituição tem como marcas formativas o domínio técnico-científico, a atitude empreendedora, sustentável e colaborativa e a visão crítica, que o diferencia positivamente no mercado de trabalho”, afirma.

O aprendizado obtido pelos cursos também ajuda a contribuir para que os alunos se tornem empreendedores, fator de extrema importância em localidades mais afastadas. Esse é o caso de Cinthia Faraco, moradora de Urucará, a 270 quilômetros de Manaus (AM). Ela fez dois cursos na balsa-escola e abriu um salão de beleza, hoje referência na cidade. “Tornei-me a primeira profissional de manicure e pedicure atuando no município e não quero mais parar”, diz.

Balsa-escola do Senac na Amazônia

Balsa-escola do Senac na Amazônia

Em 2015, mais de 100 municípios receberam a visita do Senac Móvel e milhares de pessoas conquistaram qualificação profissional por meio das oficinas, cursos e uma série de ações socioeducativas, além das campanhas de conscientização. Em geral, a presença do Senac nessas localidades é resultado de parcerias com as prefeituras ou governos estaduais, que autorizam sua instalação em áreas públicas e garantem o acesso das unidades móveis às redes de água, saneamento, energia elétrica e também segurança.