O professor de Filosofia da Universidade de São Paulo Roberto Bolzani Filho promoveu, na última terça-feira (3/10), o curso “A filosofia e a Cidade”, evento que marcou a abertura oficial da segunda edição do Laboratório de Comunicação para Mobilidade Aberje, apresentado pela General Motors. O curso, com seis horas de duração, foi realizado na Aberje e contou com a participação de aproximadamente 30 pessoas.

Citando grandes pensadores da história, como Sócrates, Tales de Mileto, Heráclito de Éfeso, Platão, entre outros, Bolzani falou sobre a importância de uma boa comunicação para defender ideias, em especial na questão da formulação de políticas públicas — segundo ele, uma questão que vale tanto para a Atenas da antiguidade quanto para os dias de hoje.

“Se nós tivéssemos que construir novos navios, não haveria muito debate em torno de quem os construiria, pois existem os armadores, indivíduos dotados de um saber reconhecido pelos outros, que é a arte de construir de navios. Mas quando falamos sobre a cidade todos se consideram dotados de um saber, todos imaginam ter o conhecimento para opinar”, diz o professor.

Segundo Bolzani, ninguém pode ser tratado como inferior em uma democracia quando o assunto é a cidade. Mesmo sem o conhecimento técnico necessário, a voz de um carpinteiro, de um ferreiro, do mercador ou de um marinheiro, tem o mesmo peso da opinião de um especialista — daí a necessidade de uma comunicação eficaz e com embasamento, capaz de convencer o maior número possível de pessoas.

“A retórica confere aos indivíduos a capacidade de argumentar um dia a favor de uma certa tese e em outro dia a favor da tese contrária. Basta que ele tenha a capacidade e a técnica para fazer isso. O que acaba acontecendo nessa democracia — e isso é uma coisa absolutamente atual — é um certo esvaziamento da verdade do discurso. Há uma relativização do discurso. O discurso muda ao sabor dos interesses”, completa o professor.

IMG_9878_m

Roberto Bolzani Filho, professor de Filosofia da Universidade de São Paulo