O legado dos Jogos Olímpicos no Brasil foi tema de infindáveis discussões em 2016. No âmbito acadêmico, o megaevento e o debate sobre ele serviram como insumo para estudos de narrativa e legado cultural. Afinal, quão bem sucedido foram os Jogos de acordo com a imprensa? Qual foi a narrativa adotada pelo Brasil durante o megaevento? O workshop “Branding Brazil: the effects of Rio 2016 on image and culture Narratives”, que aconteceu no dia 16 de maio de 2017, na Universidade de Liverpool (Inglaterra) apontou alguns caminhos. Paulo Nassar, diretor-presidente da Aberje e professor livre-docente da ECA-USP, e Tato Carbonaro, professor da Anhembi Morumbi, doutorando da ECA-USP e membro da Aberje, apresentaram o estudo.

Foto de Thiago Castro (1)

Paulo Nassar, Tato Carbonaro e Beatriz Garcia apresentando o workshop em Liverpool, Inglaterra.

O workshop é parte de uma parceria acadêmica para o estudo das narrativas dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016 e da imagem e a cultura do país foram marcadas por esse grande evento, sobretudo na percepção da imprensa do Brasil e do Reino Unido. O trabalho discute as formas pelas quais as narrativas oficiais foram produzidas nesse contexto e sua representação na mídia. A pesquisa, financiada pelo Newton Fund Project, ligado à British Academy, é coordenada por Nassar e pela professora Beatriz Garcia, diretora do Institue of Cultural Capital, centro de estudos ligado à Universidade de Liverpool especializado no estudo do impacto narrativo de grandes eventos. O workshop apresentou os resultados parciais da pesquisa e contou com a presença de Acadêmicos e pesquisadores da Universidade de Liverpool e da Universidade John Moores, além de representantes da imprensa britânica.

Foto de Thiago Castro

Ailsa Peate, Cinthia Leone, Paulo Nassar, Beatriz Garcia e Tato Carbonaro, durante o workshop na Universidade de Liverpool, Inglaterra

A Professora Beatriz Garcia apresentou a metodologia de pesquisa e mostrou como o estudo se situa dentro do histórico de estudos de legado cultural de megaeventos, sobretudo dos Jogos Olímpicos. Em seguida, o professor Paulo Nassar apresentou o papel das micro e meta-narrativas na construção de uma narrativa nacional e afirmou que os números da pesquisa mostram que “a ação cultural e os artistas podem alavancar uma retomada econômica e política do Rio de Janeiro”. Tato Carbonaro descreveu o contexto político e econômico em que aconteceram os Jogos Olímpicos do Rio, e Cinthia Leone, pesquisadora e doutoranda da USP, mostrou os resultados preliminares da pesquisa, em conjunto com Ailsa Peate, do Institute of Cultural Capital da Universidade de Liverpool.

Os resultados finais da pesquisa serão apresentados em agosto deste ano, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, e em São Paulo, na USP, em datas ainda a serem definidas.