A Natura inaugurou no dia 31 de agosto de 2017 sua nova sede administrativa, o Nasp, na zona oeste do município de São Paulo. O edifício, com capacidade para abrigar mais de 1,6 mil colaboradores, além daqueles alocados no Centro de Distribuição, celebra um novo momento de expansão da Natura. Um marco arquitetônico, o Nasp foi projetado para traduzir os valores da marca e cultivar um dos pilares mais importantes para a empresa: a filosofia de integrar espaços e pessoas por meio de relacionamentos. A empresa é associada da Aberje, e a entidade esteve representada no evento por Jovanka Mariana de Genova, Diretora Comercial.

A linguagem arquitetônica da nova sede conversa com a estrutura de Cajamar, onde estão situadas as fábricas da Natura no Estado, ao resgatar e reforçar as escolhas que, em 2001, declararam os princípios de como a empresa se posiciona no espaço: ambientes abertos, permeáveis, que estimulam a conexão entre as pessoas e das pessoas com a natureza. Toda a fachada do edifício é revestida com vidro, o que favorece a integração dos espaços internos e externos – em particular a mata do entorno.

Para promover ainda mais integração entre as diferentes áreas da Natura, o Nasp reúne ainda, na Central de Experiência da Consultora, os times de Vendas, Operações e Logística, Tecnologia e Facilities. A Central acompanha o negócio da Natura em tempo real para oferecer o melhor serviço para consultoras, consumidores, força de vendas e colaboradores.

“A inauguração do Nasp coincide com um momento muito importante para a Natura, de grandes transformações, como a revitalização da venda por relações e avanços na internacionalização da empresa, com a compra da The Body Shop”, afirma João Paulo Ferreira. “O Nasp complementa a nossa rede logística mas, mais do que isso, ele traduz nosso desejo de colocar a Consultora de Beleza Natura no centro das nossas decisões, com uma Central dedicada a trazer soluções para o sucesso delas”, complementa.

A nova sede também foi pensada para reforçar a troca entre os colaboradores. São 55 salas de reuniões inteligentes, mais de 110 locais para reunião informal, espaço multiuso para reuniões, salas para atividades que exigem concentração ou privacidade e auditório. A infraestrutura local ainda conta com restaurante para atender cerca de 500 pessoas simultaneamente, berçário, Espaço Saúde, Espaço Bem Estar, banco, lanchonete e farmácia, entre outras facilidades para os colaboradores.

Construção sustentável

Os materiais empregados na construção asseguram conforto ambiental e eficiência energética, com uso de brises de vidro serigrafado e metálico nas fachadas envidraçadas e teto verde, que intensifica o isolamento térmico do edifício. Na construção, 14% dos materiais utilizados têm conteúdo reciclado e 37% foram beneficiados em um raio de 800 km, diminuindo a demanda por transporte e favorecendo o consumo local. 100% da madeira incorporada na construção da sede possui certificado FSC. O aproveitamento da luz natural e da vegetação local refletem ainda os princípios que conduzem as ações da Natura: compromisso socioambiental e transparência.

Com projeto do Dal Pian Arquitetos, o edifício administrativo se integra ao Centro de Distribuição, que atingiu plena capacidade de operação no ano passado. Ao todo, são 65 mil metros quadrados de área construída, em que a preocupação com a acessibilidade é central. No edifício administrativo, quatro elevadores panorâmicos, rampas de acesso e passarelas que facilitam a locomoção. Além disso, o Centro de Distribuição foi concebido para oferecer oportunidade de emprego para pessoas com deficiência física e cognitiva. As linhas de separação utilizam a tecnologia picking by light. Ela permite que pessoas com deficiência separem os produtos, com o acionamento de luzes que indicam as tarefas a serem executadas de maneira intuitiva. Hoje, cerca de 16% dos colaboradores do CD são pessoas com deficiência.

A nova sede da Natura está em um ponto estratégico da cidade, próximo ao km 13 da Rodovia Anhanguera, com fácil interligação a diversos outros bairros da região e acesso rápido às rodovias Anhanguera e Castello Branco, além da Marginal Tietê.

Foto: Nelson Kon

Foto: Nelson Kon

 

Foto: Nelson Kon

Foto: Nelson Kon