×

Museu MM Gerdau apresenta exposição inédita de obras que exploram a relação entre arte, ciência e tecnologia

Rede Aberje

Entre os dias 12 de dezembro de 2019 e 15 de março 2020, o MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal realiza a exposição “CoMciência”, apresentando os trabalhos dos artistas contemplados no primeiro “Edital CoMciência – Ocupação em Arte, Ciência e Tecnologia”. A exposição será aberta no dia em que é comemorado o aniversário da capital mineira e também da inauguração do Prédio Rosa, que abriga o museu, uma das construções mais antigas de Belo Horizonte. 

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau – empresa associada da Aberje, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

A exposição contará com as obras AcrossTime, de Paul Rosero Contrera (Quito/Equador), Campos Elísios, de Henrique Roscoe (Belo Horizonte, Brasil), Código das Minúcias, de Jack Holmer (Curitiba, Brasil), Culturas Degenerativas, de Cesar & Lois (São Paulo, Brasil / San Marcos, USA), Futura Pele, de Thatiane Mendes (Belo Horizonte, Brasil) e Ilha Sonora, de Camila Proto (Porto Alegre, Brasil). A curadoria da exposição é assinada pelos artistas e gestores Alexandre Milagres e Tadeus Mucelli, que também integram a equipe da Bienal de Arte Digital.

A iniciativa, fomentada pelo MM Gerdau e realizada pelo programa CoMciência, voltado para divulgação científica do Museu, surgiu do desejo de se estabelecer uma agenda contínua de ocupação criativa e propositiva de seus espaços. Desta forma, o Edital CoMciência foi lançado em junho deste ano, realizando uma chamada a artistas e pesquisadores que atuam no desenvolvimento de trabalhos que passeiam entre arte, ciência e tecnologia, refletindo sobre as questões de nosso presente, e por que não, sobre quais questões o futuro nos reserva.

De acordo com Tadeus Mucelli, realizador da Bienal de Arte Digital e também um dos curadores do edital, iniciativas como esta são de extrema importância para a conceituação e entendimento de fenômenos contemporâneos que surgem através da união da arte, ciência e tecnologia. “Vivemos em uma sociedade altamente envolvida nos processos técnicos com forte influência em nossa cultura. Por meio dessas três esferas podemos tentar explicar o nosso mundo para desenvolvermos nossas habilidades perante os desafios que vão surgindo”, destaca.

SELEÇÃO – Nessa primeira edição, foram recebidas 252 inscrições, oriundas de 5 continentes (América do Sul, América do Norte, Europa, Ásia e África), de 26 países ao todo, sendo 65% de propostas multi-área e 75% de projetos inéditos.

Os números alcançados são um reflexo de como as produções integradas de arte, ciência e tecnologia se tornam cada vez mais presentes em Minas, no Brasil e no mundo. Das 252 propostas, os curadores chegaram a 35 projetos pré-selecionados em uma primeira fase da curadoria (short-list), que ao final de 37 dias de trabalho de seleção, resultou na escolha dos seis trabalhos que compõem esta exposição. Dentre eles, quatro são inéditos, cujas narrativas e conceitos permeiam temas instigantes como a computação vestível, aprendizado de máquinas, seres bio-híbridos, princípios da vida orgânica e digital e sobrevivência espacial. “A curadoria foi um processo desafiador, pela quantidade e qualidade das propostas encaminhadas, pelo rigor e a documentação indispensáveis para uma análise cuidadosa e criteriosa, e nosso objetivo de construir por meio das obras selecionadas uma narrativa propositiva, levantando questões para uma sociedade pós-digital e biotecnológica. Esta exposição trará obras construídas na fronteira entre arte, ciência e tecnologia instigando o público em meio a temas atuais como a computação vestível, aprendizado de máquinas, seres bio-híbridos, princípios da vida orgânica e digital e sobrevivência espacial.”, destaca Alexandre Milagres, que divide a curadoria da exposição, e é um dos curadores da Bienal de Arte Digital, responsável pela curadoria da programação cultural e científica do MM Gerdau.

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências.

O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau.  O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, é de Marcello Dantas.

O Museu funciona de terça a domingo, das 12 às 18h, e na quinta, das 12 às 22h, entrada franca. Para além da exposição permanente, o MM Gerdau oferece uma programação diversa e para todas as idades. Todas as atividades são gratuitas. A programação completa do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal está disponível no site: http://www.mmgerdau.org.br/programe-se/

SERVIÇO

MM Gerdau apresenta: Exposição “CoMciência”

De 12 de dezembro de 2019 a 15 de março 2020

Horários de visitação:   De 12/12 a 06/01- horário estendido de funcionamento, de terça a sábado, das 12h às 21h, e domingos, das 12 às 20 horas. A partir do dia 07/01, de terça a domingo, das 12h às 18h horas, e às quintas, das 12 às 22h.

Local: Museu das Minas e do Metal – Praça da Liberdade s/nº – Prédio Rosa

Informações: (31) 3516-7200

Entrada Franca