×

Michele Silveira, da Eletronorte, é a nova diretora da Aberje em Brasília

Redação Portal Aberje

Superintendente de Comunicação e Relações Institucionais na Eletronorte, Michele Silveira agora também é Diretora do Capítulo Aberje Brasília. A partir deste mês de fevereiro de 2020, ela assume o desafio de representar institucionalmente a Aberje na região.

Jornalista formada pela Universidade Federal de Santa Maria (RS), tem MBA Executivo em Liderança e Gestão de Empresas Estatais e aperfeiçoamento no Harvard Negotiation Project da Harvard Faculty Club. Com experiência em gestão da comunicação, assessoria de imprensa, redação, rádio, TV e internet, vem estudando especialmente as áreas de comunicação organizacional, endomarketing, gestão da mudança e alinhamento da estratégia. Atuou como jornalista no Congresso Nacional e nas agências Central de Notícias e TGM. Há 13 anos na Eletronorte, atuou de 2011 a 2019 como gerente executiva de Comunicação Institucional, Imprensa e Gestão de Conteúdo. Entre os projetos desenvolvidos estão a Rádio Energia, a Agência Eletronorte de Notícias e a TV Eletronorte.

Michele Silveira

Sua atribuição na Aberje envolve divulgar as atividades nacionais da associação e incentivar a participação dos associados, bem como criar e implementar um calendário de ações locais. Além disso, envolve coletar dados sobre a atividade de Comunicação em empresas e instituições da região, devolvendo insights relevantes para tomada de decisão da entidade. Segundo Michele, estar à frente do Capítulo Brasília é ao mesmo tempo uma honra e um desafio. “Na partilha de experiências e conhecimento ao longo dessa história, a Aberje traduz as grandes mudanças da comunicação e materializa a função estratégica e transversal desse processo nas organizações, sejam elas públicas ou privadas. Nesse momento em que conceitos como engajamento, sustentabilidade e resultados estão cada vez mais presentes no cotidiano dos comunicadores, contribuir para essa transformação do espaço de comunicação é um dos desafios em que a Aberje e suas associadas podem ser cada vez mais protagonistas”, afirma. 

Ela dá continuidade ao trabalho desenvolvido por Paulo Henrique Soares, Diretor de Comunicação do Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAM, que mudou sua sede administrativa para Minas Gerais. Para Hamilton dos Santos, diretor geral da Aberje, as ações do Capítulo em Brasília somam aos esforços da entidade sobre a importância de uma comunicação pública e republicana. “Num cenário complexo do século XXI que a Aberje, uma entidade apartidária que atua nos campos empresarial e acadêmico, considera essencial falar de uma nova cultura da comunicação pública – considerando primeiro, segundo e terceiro setores. O convite para a Eletronorte e em especial para a Michele reflete na prática, e com consistência do histórico da organização e da profissional, os temas que queremos instigar e liderar”, afirma.

São associados da Aberje no DF: Poupex, Banco do Brasil, Caixa Seguradora, Eletronorte, FSB Pesquisa, Fundação Banco do Brasil, In Press Oficina Assessoria de Imprensa e Comunicação, Instituto Brasileiro de Mineração, Norte Energia e Oficina da Palavra. E também empresas com sede em outros estados, mas com escritórios ou profissionais na capital federal: Approach Comunicação, Braskem, BCW, Coca-Cola, Embraer, Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta/Fenaseg, GBR Comunicação, General Motors, Imagem Corporativa, Jeffrey Group, Máquina CohnWolfe, Mattos Filho Advogados, Partners Comunicação Pro Business, Souza Cruz, Telefonica Vivo e Weber Shandwick.

Seu plano de trabalho está sendo montado, também a partir de consulta à base de associados. Ela explica que a agenda do Capítulo Brasília inclui integração entre os saberes da academia e da comunicação pública e empresarial, e que o calendário do primeiro semestre começa ainda em fevereiro. Para Michele, a gestão e a soma de conhecimentos e experiências da academia, profissionais e das organizações é ponto de partida para o enfrentamento dos desafios da comunicação. “Ao mesmo tempo em que as novas tecnologias e as redes interativas tornaram a comunicação mais ampla, abrangente e ininterrupta, também impuseram o desafio de pensarmos processos capazes de produzir conteúdos que gerem conhecimento, reforcem as marcas e conectem pessoas”.