×

Mercedes-Benz inaugura Fazenda Urbana para o plantio de hortaliças na fábrica de São Bernardo do Campo

Rede Aberje

Em sintonia com sua busca constante pela inovação, sustentabilidade e pelo bem-estar dos colaboradores, a Mercedes-Benz do Brasil – associada da Aberje – inaugurou a primeira Fazenda Urbana instalada dentro de uma indústria no mundo. Localizada na fábrica de veículos comerciais de São Bernardo do Campo, em São Paulo, a produção de verduras é 100% livre de agrotóxicos para consumo nos restaurantes da Empresa.

A iniciativa inédita de plantar hortaliças em um parque fabril dedicado à produção de caminhões e ônibus tem como foco principal proporcionar uma alimentação de mais qualidade aos colaboradores. É a aplicação do conceito “farm to table”, ou seja, da fazenda para a mesa com a procedência dentro de casa.

Além disso, a Fazenda Urbana permite que a Mercedes-Benz contribua ainda mais com a preservação do meio ambiente. Isso porque a produção na estufa, ao lado do restaurante da Empresa, elimina o desperdício de alimentos durante o transporte e tem zero emissão de CO2. “O projeto reúne vários pilares que norteiam todas as atividades do Grupo Daimler, como inovação, sustentabilidade, saúde e responsabilidade social”, ressalta Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil. 

O projeto da Fazenda Urbana é inovador em muitos sentidos. A Mercedes-Benz do Brasil uniu-se à BeGreen, startup mineira que, desde 2014, dedica-se a produzir alimentos de forma sustentável. Juntas, levaram adiante a parceria entre uma empresa da indústria automotiva e uma startup em um projeto de sustentabilidade. A Mercedes-Benz cedeu o espaço na fábrica e a BeGreen gerencia todo o processo de produção e também é responsável pela administração da rotina da Fazenda Urbana.

Com um cultivo totalmente livre de agrotóxicos, a Fazenda Urbana garantirá uma alimentação mais saudável, saborosa e nutritiva aos colaboradores, trazendo uma maior diversidade de produtos nas refeições. Ajustes estão sendo feitos no cardápio para incluir mais opções de saladas e a utilização de temperos frescos na preparação dos pratos.

Entre as verduras cultivadas na Fazenda Urbana pela BeGreen estão alface baby (verde e roxa) com sementes importadas da Holanda, rúcula, espinafre, agrião e chicória. Os temperos são salsinha, hortelã, cebolinha, coentro, manjericão e sálvia. Em uma segunda etapa serão produzidos legumes como tomate e berinjela.

DESTINAÇÃO – Os benefícios do consumo de produtos frescos e saudáveis cultivados na Fazenda Urbana não estarão restritos apenas aos colaboradores da Mercedes-Benz do Brasil. Com capacidade para produzir 2.680 quilos de hortaliças – ou 44 mil pés de verduras, ervas e temperos por mês –, a estufa terá a maior parte da colheita destinada aos restaurantes da fábrica de São Bernardo do Campo, mas uma parcela será reservada para os colaboradores que quiserem comprar os alimentos e levar para casa para preparar nas refeições com a família.

Os interessados podem fazer uma assinatura mensal pelo site da BeGreen que garante uma cesta de alimentos semanalmente. Além disso, eles poderão aprender a plantar verduras orgânicas, multiplicando assim o conceito da alimentação saudável.

As ONGs parceiras da Empresa também serão beneficiadas pelo projeto. De acordo com o volume, as verduras podem ser doadas para instituições como a “Hamburgada do Bem” e a Instituição Assistencial Meimei – IAM, que atendem crianças e adolescentes carentes. “O projeto da Fazenda Urbana evidencia o compromisso da Mercedes-Benz em investir na qualidade de vida de seus colaboradores, como também de seus familiares. Estamos engajados com o presente e principalmente com o futuro de uma sociedade melhor”, afirma Carlos Santiago. 

“A parceria com a Mercedes-Benz será muito importante para aumentar a contribuição ambiental que nós, da BeGreen, queremos proporcionar para a população. Levar alimentação saudável para mais de 10.000 pessoas, dentro dessa fábrica, e também para seus familiares e comunidade é uma oportunidade de multiplicar o nosso propósito e é, sem dúvida, um marco na história da indústria brasileira”, afirma Giuliano Bittencourt, CEO da BeGreen.