Aconteceu no dia 9 de maio o 3º encontro Lidercom CEOs, uma iniciativa da Aberje que reúne altos dirigentes de comunicação corporativa com lideranças nacionais e globais de negócios e comunicações. O convidado dessa edição foi Daniel Schleiniger, vice-presidente de Comunicação e Relações com Investidores da Arcos Dorados Holdings (a maior operadora do McDonald’s do mundo).

IMG_20170509_122504581

Daniel Schleiniger, vice-presidente de Comunicação e Relações com Investidores da Arcos Dorados Holdings

Um dos principais temas discutidos por Schleiniger foi sobre a reputação da empresa. “A função da comunicação é ajudar os negócios, e o foco é a reputação”, comentou. Ele também enfatizou que a reputação deve ser alinhada com a realidade da empresa, sobretudo no que a companhia deseja ser.

Schleiniger também discutiu sobre o papel da comunicação. “A comunicação não vai ditar o que as outras áreas da empresa devem fazer. Mas ela serve como um canal de feedback para a liderança, vindo do cliente externo  e também do interno”. Para isso, ele enfatizou a importância de se fazer um planejamento de longo prazo e que seja consistente. No McDonald’s, por exemplo, existe o desafio de comunicar que a empresa é uma boa empregadora. Só no Brasil, ela gera cerca de 50 mil empregos, muitas vezes capacitando jovens em seu primeiro emprego. Para isso, são necessários alguns anos para que a informação seja passada de maneira constante.

IMG_20170509_133647254

Paulo Marinho, Diretor de Comunicação Corporativa do Itaú Unibanco; Daniel Schleiniger, vice-presidente de Comunicação e Relações com Investidores da Arcos Dorados Holdings; Paulo Nassar, Professor Livre-docente da ECA-USP e diretor presidente da Aberje; Hamilton dos Santos, Diretor Geral da Aberje; David Grinberg, diretor de Comunicação Corporativa da Arcos Dourados

O executivo comentou ainda de outros temas que surgiram no debate, como a questão de ser muitas vezes alvo de ataques de ativistas, e de críticas sobre alimentação saudável. A chave é manter o diálogo aberto. Ele comenta que na gestão de crises e mapeamentos de riscos da empresa, é a área de Comunicação que lidera os processos. “É menos provável que a comunicação gere uma crise. Mas em toda crise, a comunicação será envolvida”, afirma.