×

Índice de Mobilidade Corporativa busca melhores práticas no tema com colaboradores

Rede Aberje

Foi lançado o primeiro Índice de Mobilidade Corporativa, iniciativa que visa traçar e avaliar o panorama de mobilidade corporativa no Brasil, com foco no deslocamento casa-trabalho-casa. O objetivo é consolidar e avaliar as melhores práticas das empresas acerca da mobilidade de seus colaboradores e criar um ranking de mobilidade corporativa. Inspirado na metodologia norte-americana do Best Workplaces for Commuters, traz para o Brasil aspectos inéditos no país sobre o que há de mais inovador em mobilidade corporativa e gestão de pessoas.

Neste contexto, as pesquisas do IMCorp foram divididas entre análises quantitativas e qualitativas. Mais de 20 empresas responderam à pesquisa quantitativa, das quais 15 foram habilitadas a participar. São empresas com sede na Região Metropolitana de São Paulo, com quadro de 250 a 3.500 colaboradores alocados na sede principal, entre elas associados da Aberje como a 99 – patrocinadora do estudo, SAP, Deloitte, Baxter Farmacêutica e Youse (confira lista completa abaixo). Foram analisados os padrões de deslocamento de exatos 17.957 trabalhadores, avaliando-se três diferentes dimensões de cada empresa: as suas políticas de mobilidade corporativa, os deslocamentos casa-trabalho-casa e as características do entorno das sedes.

As políticas de mobilidade têm maior peso, já que as empresas tem poder direto de atuação nesse quesito. Foram avaliados itens como incentivos ao uso de transporte público, a fretados e ao transporte ativo (bicicleta, caminhada, etc), políticas de jornada flexível e teletrabalho, além de programas de gestão sustentável das vagas de estacionamento e de atenuação dos impactos do uso de veículos privados. A análise dos deslocamentos dos trabalhadores, por sua vez, visa mapear e qualificar o custo de tempo, monetário e de bem-estar para as pessoas. Pontos como a duração dos deslocamentos, o nível de congestionamento dos trajetos, a emissão de poluentes causada por essas viagens e o custo monetário para os trabalhadores foram estudados. 

Por fim, o quesito características do entorno das sedes parte da premissa de que as empresas possuem um importante potencial de ação para influenciar as características das regiões onde elas se localizam. A localização define as opções de acesso à empresa e às demais atividades econômicas no seu entorno por parte dos colaboradores. Foram avaliados a facilidade de acesso à empresa via transporte público e bicicleta, a qualidade das calçadas no entorno imediato, o nível e a diversidade da atividade econômica nas proximidades e o custo da moradia.

Com a perspectiva qualitativa, o Índice de Mobilidade Corporativa buscou entender os impactos e oportunidades ligados ao deslocamento casa-trabalho-casa a partir da experiência de colaboradores de empresas diversas e também de uma troca com especialistas. Neste contexto, o levantamento estudou o comportamento de 15 profissionais e destaca como a mobilidade corporativa pode ser estratégica para as empresas, influenciando diretamente a saúde, a qualidade de vida e produtividade de seus colaboradores, além de impulsionar o posicionamento e visão de sustentabilidade, cada vez mais valorizado nos dias atuais.

A pesquisa quantitativa foi capitaneada pelo pesquisador especialista em mobilidade e doutor em Economia Aplicada pela Universidade de Illinois (EUA), Renato Vieira. O estudo qualitativo foi realizado pelo Imagina Coletivo, uma organização que existe para ativar o poder de transformação das pessoas tendo a imaginação como guia e que, desde 2012, se dedica a projetos de mobilização e produção de conteúdo para engajamento. “Além de ganhos financeiros imediatos, políticas de mobilidade inteligentes e eficientes podem atrair e reter talentos, melhorar o clima organizacional e ainda promover uma rápida e grandiosa transformação nas cidades em que essas empresas estão. Hoje, metade de todos os deslocamentos da cidade ocorrem por causa do trabalho, o que demonstra que as empresas estão em um lugar central na construção dos problemas de trânsito, poluição e adoecimento das pessoas na cidade. Exatamente por isso, devem se tornar protagonistas l na construção de soluções. É isso que o Índice se propõe a discutir e provocar”, explica Gustavo Gracitelli, CEO da startup de mobilidade corporativa Bynd, realizadora do IMCorp.

ÍNDICE – O Índice de Mobilidade Corporativa é uma iniciativz apioneira criada em 2019 pelo Bynd e que existe para traçar e avaliar o panorama de mobilidade corporativa no Brasil. Por meio de pesquisas quantitativas e qualitativas desenvolvidas por especialistas no tema, o trabalho tem o propósito de elevar a eficiência da mobilidade dos grandes centros urbanos, convidando médias e grandes empresas brasileiras a revisitarem as políticas de mobilidade disponibilizadas para seus colaboradores. Como parceiros, o IMCorp conta com o IBOPE Inteligência, Instituto Ethos, Great Place to Work, WRI Brasil, Instituto Parar, Welcome Tomorrow. Mais informações: https://www.indicedemobilidade.com.br.

Empresas participantes da Pesquisa:

99

ALD Automotive

Baxter Hospitalar

Banco Cetelem

Cidade Center Norte

Cushman & Wakefield

Deloitte Touche Tohmatsu

Ecorodovias Concessoes e Serviços

Ferrero

Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo – IPT

Mutant

Ontex Brasil

SAP

Tempo Assist

ViaMobilidade

ViaQuatro

Youse