×

Fundação Odebrecht fomenta ações educacionais e ambientais no Baixo Sul da Bahia

A Fundação Odebrecht, associado da Aberje, acredita que o futuro precisa ser construído no presente. Por isso, desde o início das ações junto à juventude, há 30 anos, constatou-se a importância de estimular a atuação do jovem como fonte de liberdade, iniciativa e compromisso, fundamento para formar pessoas responsáveis, conscientes e participativas. Por meio de projetos e ações voltadas a este público, a instituição vem contribuindo para que milhares de jovens reconheçam o seu potencial e aprendam a conviver em grupo de forma sinérgica, realizandose pelo trabalho, acessando e interagindo com novas informações. Histórias de jovens protagonistas podem ser acessadas por meio do canal da Fundação Odebrecht no YouTube.

Confira as instituições apoiadas pela Fundação Odebrecht através do PDCIS no Baixo Sul da Bahia:

 

  • Casa Familiar Rural de Presidente Tancredo Neves (CFR-PTN), Casa Familiar Agroflorestal (Cfaf), de Nilo Peçanha, e Casa Familiar Rural de Igrapiúna (CFR-I): são Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público que criam condições favoráveis para o acesso a uma educação contextualizada, voltada para a realidade do campo com foco na formação de empresários rurais. A metodologia utilizada é a Pedagogia da Alternância, em que os alunos passam uma semana em período integral, com aulas na sala e no campo, e duas semanas nas propriedades de suas famílias, aplicando e reaplicando os novos conhecimentos, sob o acompanhamento e a orientação de monitores especializados. Oferecem cursos Técnicos integrados ao Ensino Médio, onde os estudantes aprendem sobre administração rural, manejo de solos, irrigação, cooperativismo, ética, cidadania, além das técnicas adequadas para os mais diversos cultivos e as disciplinas da base nacional comum. Integrantes do Programa de Escolas Associadas (PEA) da UNESCO desde 2015, as Casas Familiares desenvolvem suas atividades tendo como base os valores e metas propostos pela ONU, disseminando a cultura da paz e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Em 2018, chegam ao número de 1.300 jovens formados ou em formação.

 

  • Cooperativa de Produtores Rurais de Presidente Tancredo Neves (Coopatan): fundada em 2000, garante renda e qualidade de vida às 300 famílias associadas, além de ofertar produtos de qualidade aos parceiros sociais e clientes. Sua atuação é pautada em dois focos: desenvolvimento da tecnologia de produção e sua organização com posterior beneficiamento, visando agregação de valor e maior renda aos cooperados. Por meio da cooperativa, os associados comercializam banana, aipim e abacaxi, farinha de mandioca e massas de puba e aipim, tendo o cacau como nova aposta de comercialização em 2018. No ano passado, o faturamento foi superior a R$ 12 milhões. Como conquista marcante em 2017, foi avaliada pela Fundação Abrinq pelo seu comprometimento com a infância e adolescência, recebendo o direito de usar o selo do Programa Empresa Amiga da Criança em suas embalagens e demais materiais de comunicação e divulgação. Cerca de 890 instituições de todo Brasil utilizam o selo da iniciativa, criada há 20 anos, que já beneficiou diretamente mais de 9 milhões de crianças e adolescentes.

 

  • Organização de Conservação da Terra (OCT): atuando na Área de Proteção Ambiental (APA) do Pratigi, a OCT busca promover a conservação do solo, da flora, da fauna e revitalizar os recursos hídricos. Ações de reflorestamento, inserção de Sistemas Agroflorestais, apoio à certificação socioambiental, aliadas a capacitações para um melhor uso dos recursos naturais, fazem parte do escopo de atuação da instituição e contribuem para que a agenda ambiental esteja intrinsecamente relacionada com o crescimento econômico dos agricultores familiares. Com a Conservação Ambiental, a instituição executa serviços ambientais e de fortalecimento dos recursos naturais. Nesse contexto, coordena projetos que recuperam nascentes, favorecendo a capacidade hídrica da região e a compensação de carbono. Além disso, orienta tecnicamente os agricultores sobre o planejamento e regularização das suas propriedades. Com a Conservação Produtiva, que incentiva culturas agrícolas de baixo impacto, estimula o reflorestamento e a ocupação da propriedade com cultivos que contribuam para manter o equilíbrio do ecossistema. Em 2017, a OCT atingiu a marca de 212 mil árvores plantadas, com 285 nascentes recuperadas ou em recuperação, além de mais de 2.300 toneladas de carbono neutralizadas.