×

Fundação Cargill e Verde Vida Programa Oficina Educativa ampliam projeto social

Rede Aberje

Apoiado pela Fundação Cargill desde 2016, o projeto focado em alimentação saudável será ampliado e oferecerá oficina de educação ambiental, além de acolher mais adolescentes em seu atendimento social. A Cargill é associada da Aberje.

Alimentar-se de maneira saudável e acessível ainda tem sido um desafio no município de Chapecó (SC). Por isso, desde 2016, a Fundação Cargill tem apoiado a organização Verde Vida – Programa Oficina Educativa, em ações sociais como o Projeto Bioma Verde Vida.

O Bioma Verde Vida é uma horta comunitária instalada em terreno cedido pela prefeitura. O projeto tem o objetivo de propagar e informar a respeito da importância de uma melhor alimentação em prol da comunidade local. Em 2019, com o incentivo da Fundação Cargill. Além da ampliação da horta, o Projeto Bioma Verde Vida também passará a oferecer oficina de educação ambiental e acolherá mais 20 novos adolescentes em seu atendimento.  A nova estrutura terá 1200 m² de estufa e passará a alimentar os 140 jovens e colaboradores que participam das ações da organização.

De acordo com Odair Balen, coordenador da área social do Verde Vida, a ideia de criar a horta surgiu em 2016. “Com a horta, além do viés social, queremos plantar, cultivar e distribuir nossos alimentos para o município todo. Seria uma forma de gerarmos renda e ampliarmos nossas atividades socioeducativas”, explica.

A participação da Fundação Cargill será fundamental na ampliação e concretização do projeto. Luciana Kellermann Schramm , Gerente de Unidade – Chapecó/SC explica que a participação da Fundação também acontecerá por meio dos voluntários do programa “Semeando Futuro da Unidade Cargill de Chapecó”, que levarão as atividades de educação alimentar para os jovens que participarem das oficinas do Verde Vida. “Nossa ideia é poder mostrar a importância de saber escolher os alimentos que fazem bem à saúde. Incentivando o consumo consciente. Queremos desmistificar a visão  do ‘alimentar-se bem sai caro’. Vamos mostrar para as famílias que é possível adquirir alface, almeirão, rúcula, chicória, radiche, couve, agrião, tomate, pepino, morango, pimentão verde, salsinha, cebolinha, entre outros, sempre com valor e acessível e excelente qualidade”, explica a gerente.

Luciana ainda ressalta que essa não é a primeira vez que a Fundação Cargill e o Verde Vida fazem uma ação juntos. Além dos projetos apoiados, os resíduos recicláveis da fábrica da Cargill são doados para a ONG Verde Vida e com isso contribui na renda das oficinas que atendem os jovens. “A diversidade de projetos apoiados pela Fundação Cargill em todas as regiões do Brasil demonstra o quanto o nosso olhar está aberto para as diferenças culturais e as necessidades de cada comunidade. As diferenças locais são respeitadas para que a comunidade ganhe com os projetos apoiados pela Fundação”, ressalta.

Para aqueles que quiserem saber mais a respeito do projeto, o Bioma Verde Vida também está aberto a visitantes que poderão conhecer o setor de compostagem e coleta de óleo residual de cozinha.  A ideia é que com a proximidade, a comunidade local possa conhecer melhor as ações de educação ambiental e de sensibilização no consumo de alimentos saudáveis.

 

 

Orgulhoso dessa nova empreitada, o coordenador relembra que o programa destacará os parceiros que colaboraram e apoiaram as iniciativas. “Desde 2016, a Fundação Cargill tem sido muito efetiva no auxílio dessa transformação social e colaboração ambiental. Somos muito gratos por isso”.

Odair Balen, ainda explica que a instituição tem alcançado grandes metas, como em 2018, quando o Verde Vida encaminhou para indústrias reprocessarem 56.378 toneladas de resíduos. A ação reduziu o consumo de água e energia elétrica, colaborando com o meio-ambiente.

DESAFIOS – Para 2019, o Verde Vida está com grandes desafios, onde pretendem ampliar o atendimento socioeducativo. Na área social, o programa almeja melhorar as condições de execução das oficinas socioeducativas, adquirir materiais e equipamentos, melhorar as salas e debater com professores e educadores sociais metodologias e formas de atuação. “Temos muitos desafios à frente. Mas para 2019 queremos que jovens acolhidos por nosso programa estejam ainda mais fortalecidos em sua individualidade. Nosso objetivo é ensina-los a compreenderem que a pobreza não está na falta de dinheiro, mas, na falta da oportunidade para vivenciar e se preparar para novos desafios”, explica o coordenador da organização.

São muitas metas para se alcançar, mas o otimismo em romper barreiras fazem parte do DNA da organização Verde Vida – Programa Oficina Educativa. A instituição existe há 25 anos e foi criada para atender as necessidades de um bairro com alto índice de violência e vulnerabilidade social.

Desde sua fundação, os moradores da região puderam contar com atendimento de saúde, escolas e creches e também com o aumento de empresas de porte médio e conjuntos habitacionais.