A CTG Brasil, associada da Aberje, divulgou o seu relatório de sustentabilidade referente ao ano de 2017, mostrando o compromisso de prover energia limpa para as pessoas por meio de projetos em harmonia com o planeta. Na apresentação, afirma a empresa: “Para se aproximar cada vez mais desse ideal, a empresa tem centralizado seus esforços em aprimorar suas práticas de gestão e preparar-se para novos ciclos de crescimento baseando-se em práticas sustentáveis e na geração de valor em longo prazo”.

Ao longo de 2017, o tema sustentabilidade foi definido como um dos direcionadores para a criação de valor da CTG Brasil, o que motivou a elaboração de uma Política e de uma Estratégia de Sustentabilidade, inspiradas no princípio de que a Companhia tem como missão “gerar energia limpa para as pessoas por meio de projetos em harmonia com o planeta”.

A empresa tem investido na integração de seus negócios, observando e valorizando as diversas experiências e culturas e compartilhando-as com toda a organização. Ao privilegiar as melhores práticas e extrair o melhor da experiência de seus profissionais, harmoniza seus processos e se fortalece para novos desafios.

Ao longo de 2017, a CTG Brasil investiu R$ 436,3 milhões, dos quais R$ 400,1 milhões (91,7%) foram utilizados em modernização e atualização de equipamentos, de forma a manter a disponibilidade e confiabilidade das unidades geradoras.

Os projetos de Pesquisa & Desenvolvimento receberam investimentos de R$ 6,4 milhões, sendo que o maior volume, 34% foi destinado a projetos de natureza ambiental. Estes projetos têm como premissas promover a cultura da inovação e estimular a geração de conhecimento no setor elétrico, intensificando suas parcerias com os principais centros de excelência do Brasil e no exterior para resolver ou mitigar, pelo uso da pesquisa, os problemas crônicos do setor, melhorar a eficiência operacional e disponibilidade das usinas no Brasil.

Entre os principais investimentos da companhia em P&D está o projeto de Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant ou drone) para o monitoramento remoto de reservatórios de usinas hidrelétricas, desenvolvido pela CTG Brasil, que conquistou em 2017 o primeiro lugar em duas categorias das três premiações do Congresso de Inovação Tecnológica em Energia Elétrica (Citenel): Melhor Produto em Exposição e Melhor Trabalho Técnico em Pesquisa e Desenvolvimento.

Outro projeto de destaque é o Revegetação, que tem como objetivo possibilitar o desenvolvimento de novas tecnologias para a avaliação de serviços ecossistêmicos, melhorando o conhecimento dos aspectos estruturais e funcionais de faixas de revegetação em corredores ecológicos, como a presença e a diversidade de fauna, bem como sua funcionalidade em promover o trânsito das espécies.

Os investimentos foram feitos pelas quatro geradoras de energia da CTG Brasil – Rio Paranapanema, Rio Paraná, Rio Verde e Rio Canoas. “Para definir uma destinação adequada desse montante, realizou-se um mapeamento de processos e sistemas adotados pelas geradoras, com o objetivo de identificar as diferenças, possíveis sinergias e implementação de melhorias no curto prazo”, afirma a CTG Brasil em seu relatório.

Os demais investimentos da CTG Brasil em Pesquisa & Desenvolvimento foram destinados a Planejamento de Sistemas de Energia (23%), Gestão de Bacias e Reservatórios (14%), Fontes Alternativas de Energia (6%) e Supervisão, Controle e Operação (4%). Investimentos em outras áreas totalizaram 19%.

O relatório de sustentabilidade também aborda a questão da integração dos funcionários, após as aquisições realizadas entre 2014 e 2016, mostrando que as ações de integração foram o foco da Diretoria de Recursos Humanos em 2017, com o objetivo de quebrar qualquer tipo de barreira entre os colaboradores e disseminar os valores da Companhia.

Para conhecer o Relatório de Sustentabilidade 2017 da CTG Brasil, acesse http://www.ctgbr.com.br/relatorioanual2017.