fbpx
×

Colunas

Uma década de SCGÁS: Como a comunicação ajuda a empresa a ser melhor

Quando estudamos administração e marketing somos levados, considerando esse modelo econômico vigente e globalizado, pela falsa sensação que o objetivo principal de uma organização é dar lucro, gerar necessidades de consumo para seu público alvo, conquistar e manter mercado, vender mais. Uma grande e doce (ou amarga) ilusão até para as mais consagradas e teimosas bibliografias contemporâneas do setor.

Qualquer mecanismo vivo, feito de gente, vive do seu propósito. E quase sempre esse propósito tem como função nuclear construir um mundo melhor para se viver. Uma capacidade de transformar condições de vida limitadas, subjugadas e separadas ou levar progresso e desenvolvimento à condição humana.

De 2009 até hoje, percorremos um longo caminho para compreender muita coisa no setor de energia, assim como da realidade do papel cabível à uma concessionária pública que opera por meio de monopólio natural. Entre elas, a de que o gás natural é muito mais que uma energia altamente eficiente e que gera resultados produtivos, operacionais e ambientais melhores em relação aos seus principais concorrentes, estando disponível também em larga escala.

Esse produto é um instrumento de melhoria de vida, promove competitividade, comodidade, saúde para as pessoas, melhoria da mobilidade urbana e inicia um processo de protagonismo como principal ponte para a necessária transição que percorremos em direção às energias renováveis.  O gás natural melhora e, em alguns casos, salva vidas.

Os conceitos da administração de Ford e Fayol ou da mais modernas teorias insurgentes seguem com importante papel na nossa vida, afinal o planejamento e controle são fundamentais, o marketing permanece vivo porque nos cabe sempre surpreender e atender o consumidor em qualquer circustância. Mas, ao longo dessa estrada, sofremos influência de outras escolas, como a comunicação pública que tem como princípio contribuir com o papel de atendimento social, como o branding, que empresta uma coragem descomunal de provocar a empresa para assumir sua real identidade e fazer dela um diferencial para o comprimento do seu propósito, criando um território sólido e defensável.

Como a gestão e prevenção de crises, que muito mais do que blindar a reputação e imagem das organização, suas economias, deve proteger pessoas e patrimônios. Como a sociologia urbana, que além de analisar os números da migrações do meio rural ao urbano, procura entender fenômenos como o isolamento e compreender como os espaços urbanos são imateriais.

De abril de 2009 até hoje militamos no marketing e comunicação da SCGÁS, empresa responsável pela entrega do gás natural ao mercado de consumo de Santa Catarina desde o ano 2000. Baseados na memória, nos cabe registrar alguns dos principais resultados e realizações desse período, mais afeito às nossas tarefas, atividades, equipes, processos, projetos e metas.

Produzimos a Política de Comunicação da empresa; formamos mais de 50 profissionais, pouco mais um terço da empresa, para o relacionamento com a mídia preparando porta-vozes para atender à sociedade; saltamos de índices de cerca de 300 matérias veiculadas na mídia impressa e online por ano para mais de 2.000 notícias sendo cerca de 90% delas classificadas como positivas ou neutras; vimos centenas de rádios propagar nossos assuntos levando informações de interesse social a cada canto de Santa Catarina; disseminamos a cultura da comunicação por meio de eventos internos como o Comunicar é Natural; nos relacionamos com o mercado com diversas edições itinerantes do Troca de Ideias, introduzimos a primeira pesquisa de clima organizacional que hoje afeta nossas ações em comunicação interna; adentramos às redes sociais com coragem e hoje definimos junto com parceiros o posicionamento e os formatos adequados para servir o cidadão catarinense nos diversos meios disponíveis na difícil era do conhecimento, opinião e “textão”; disseminamos a cultura da transparência e disponibilidade e não deixamos de assumir os nossos deslizes; e passamos a usar muito mais o ouvido. Ouvimos muito por meio de diversas pesquisas, encontros e análises e permanecemos tentando compreender tudo que nos falaram até aqui.

E o que os nossos principais stakeholders disseram nesse tempo todo? Nas duas pesquisas de auditoria de imagem e opinião realizadas em 2014 e 2017, atingimos índices de 90% de aceitação com resultados crescentes em todos os atributos de imagem; nos diversos ciclos de análise da qualidade dos serviços aos consumidores chegamos a 85% de avaliação positiva; neste ano, segundo pesquisa comparativa com os principais servidores públicos do estado, entramos na zona de excelência na visão de dois mercados, o industrial e comercial, liderando em 16 dos 17 quesitos a frente de grandes empresas e corporações que sempre tiveram a simpatia da sociedade.

Não podemos esquecer que mesmo com investimentos muito bem controlados, também fizemos boa propaganda. Fomos premiados com o Top de Marketing da ADVB em 2011, ganhamos o Top One no mesmo ano, levamos o Prêmio Catarinense de Propaganda em 2012, colocando na prateleira dois “gorilas” de ouro e dois de prata e fomos o Anunciante do Ano em Santa Catarina em duas oportunidades.

Completamos 10 anos na SCGÁS na certeza de que essa empresa cumprirá, até 2044, o papel de entregar o mais excelente serviço público disponível para os catarinenses, porque entendeu também que a arte da comunicação está em ouvir muita mais do que em falar, embora às vezes se expressar seja necessário e uma exigências dos nossos públicos. Ela fará isso transformando e melhorando a sociedade, desenvolvendo a economia e avançando no atendimento a cidades, regiões e mercados ainda desabastecidos.

Hoje presente em 63 municípios de Santa Catarina, ela atende mais de 15.000 clientes, atinge 100.000 consumidores finais, ultrapassou no último exercício receita de R$ 1,3 bi, mantém alta rentabilidade e resultado, aplica projetos de inovação e vê seu viés de interiorização da oferta do gás natural se consolidar. Faz tudo isso com um pequeno apoio e suporte da nossa humilde comunicação que vem contribuindo de forma protagonista em 50% do tempo de operação dessa organização que é exemplo de tecnologia e resultado para o nosso país.

Leonardo Mosimann Estrella
Leonardo Mosimann Estrella
Contribui com a comunicação da SCGÁS. Administrador pela UFSC, se especializou em marketing e gestão empresarial (UFSC), comunicação pública (Tuiuti) e gerenciamento de crises (Unylea). Cursa mestrado em planejamento territorial, social, econômico e espacial pela UDESC e especialização em gestão estratégica de pessoas pela HSM. Lidera área de comunicação corporativa, com participação em diversos comitês na área editorial, planejamento estratégico e projetos de infraestrutura. Apaixonado pela área de sociologia, atua no terceiro setor e acredita que por meio da pesquisa e do diálogo é possível construir uma sociedade melhor.

Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.

string(23) "Redação Portal Aberje"

A covid-19 e sua relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Reputação, Coronavírus e pós-crise: o que mudou e vai mudar

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e logística reversa

ODSs no Brasil: entraves, avanços e caminhos.