fbpx
×

Colunas

Tempos de pandemia: como a Comunicação Interna se tornou essencial para as organizações

São inúmeros exemplos de como a Comunicação é essencial em tempos de crise em qualquer organização. Passar a mensagem correta para os diversos públicos, de maneira rápida e simples é fundamental no gerenciamento de possíveis e de grandes crises.

E nos tempos da pandemia atual, a Comunicação tem sido ponto chave para muitas empresas. A diferença é que dessa vez o mundo inteiro está em crise. E o que está sendo afetado não é a reputação das empresas e sim o que elas têm de mais valioso: seus funcionários.

Por isso, o momento tem sido de repensar em todas as estratégias de Comunicação (externa e interna) para o ano. Nesse cenário, a Comunicação Interna (CI) se tornou peça fundamental. Algo que sabemos que nem sempre acontece. Muitas vezes comunicar para fora da organização parece mais importante do que comunicar para o público interno. Na Intel, dividimos em três grandes áreas a Comunicação: Corporativo, Produto e Funcionários.

Ter uma boa comunicação dentro da empresa se tornou necessidade para qualquer organização. Afinal, são os empregados que fazem a empresa funcionar. Os ganhos em ter uma área interna estruturada são grandes, a Comunicação Interna mantém todos informados, aumenta o engajamento, dá voz aos funcionários, alinha mensagens e estratégias de negócios, fortalecendo a cultura organizacional.

Mas a Comunicação não executa nada sozinha. É imprescindível trabalhar de mãos dados com alta liderança, RH e time de riscos para funcionar e trazer os ganhos mencionados. Durante a crise, é normal que o clima seja de insegurança, muitas mudanças e em pouco tempo acontecendo. E aí que entra o papel da CI.

Assim, o primeiro passo é criar um plano de Comunicação Interna que faça com que a informação circule rapidamente, com clareza e transparência. Sempre apoiado pelo RH e liderança da empresa – em tempos difíceis, é fundamental que os líderes estejam mais perto do que nunca de suas equipes trazendo mais tranquilidade ao ambiente corporativo.

Além da gestão da crise no momento da pandemia, também é importante pensar no plano estratégico ao final dela. Pouco se sabe como será o mundo após COVID-19, ou quanto tempo ainda a crise vai durar. São muitas dúvidas e riscos que vamos enfrentar, e sem uma comunicação clara, a aflição se apresenta e muitas informações incorretas podem circular. Então, o trabalho da CI precisa ser frequente e ininterrupto.

As organizações precisam assumir a responsabilidade e tomar medidas eficientes que mostrem sua preocupação não apenas com o futuro do negócio, mas também com seus colaboradores – afinal empresas são feitas de pessoas.

Carolina Prado
Carolina Prado
Apaixonada por comunicar! Conta com mais de 10 anos de experiência na área de comunicação corporativa – trabalhando com comunicação externa e interna, marketing digital, endomarketing, marketing de influência e gerenciamento de crises. Além disso, possui experiência em vários segmentos da indústria como tecnologia, jogos, turismo, entretenimento, empresas, startups, energia, saúde e consumo. Além de gerenciar a área de Comunicação da Intel no Brasil, também é parte de duas organizações dentro da empresa: WIN (Mulheres na Intel Network) e Intel Involved (equipe de voluntários). No WIN, lidera a área de relacionamento externo e coordena eventos e atividades fora da empresa relacionados à equidade de gênero. No Intel Involved, lidera a equipe de voluntariados da Intel Brasil e conduz o planejamento e coordenação de atividades de voluntariado corporativo no país.

Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.

string(23) "Redação Portal Aberje"

Um espaço valioso de diálogo sobre sustentabilidade

O papel da integridade para a reputação das organizações

Principais impressões da sexta edição do ‘State of Marketing’ da Salesforce

A covid-19 e sua relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável