×

Colunas

Preparo, prazer e propósito

Estar preparado para o que vem pela frente faz com que o sucesso aconteça naturalmente. Mas o que vem pela frente exatamente? Nem tudo que vem pela frente está obscuro em uma bola de cristal; algumas coisas estão claras.

Você é um profissional, e a comunicação tem e terá um papel fundamental durante toda sua carreira. Um segundo ou até um terceiro idioma para que seja capaz de se comunicar com diferentes países e culturas, dificilmente deixará de fazer parte de seu futuro à medida que você for crescendo em sua carreira corporativa.

A lista pode continuar, mas vamos nos ater à comunicação no segundo idioma mais falado no planeta e o mais importante corporativamente: o Inglês. Por que uns aprendem e outros não?

A aprendizagem ou o desenvolvimento de uma habilidade de qualquer pessoa depende de alguns fatores primordiais. Aprendemos algo, principalmente adultos, por prazer, necessidade, conveniência ou propósito. Muitas pessoas com quem caminhei no processo de orientação, logo no início da primeira sessão me disseram que odiavam o Inglês, e minha pergunta sempre foi: O que ele fez de tão ruim para levar você ao ponto de despertar um sentimento tão negativo? Normalmente recebo um olhar de interrogação ao invés de uma resposta.

Dizer que você odeia, ou ama um idioma, na minha cabeça faz tanto sentido quanto dizer que odeia uma chave de fenda ou um martelo. O idioma é uma ferramenta e como tal ele é útil ou não, fora disto, ele é totalmente inócuo. Pensando assim, o seu relacionamento com seu aprendizado deve sempre manter isto em mente: idioma não é um fim em si, mas sim, um meio para atingir seus objetivos. Como qualquer outra ferramenta, seja uma chave de fenda ou Excel, você não aprende para usar, você usa para aprender. A aprendizagem é muito prática e pouco teórica.

O primeiro passo para aprender algo novo é responder à pergunta: Para quê? Na questão idioma pode ser:

Necessidade – Fazer apresentações, escrever e-mails, participar/liderar reuniões, defender a empresa perante os acionistas, vender, comprar.

Prazer – compreender letras de música, assistir filmes no original, leitura, viagens.

Conveniência – Não precisar de tradutores ou intérpretes.

Respondendo à pergunta: Por que alguns aprendem e outros não?

Aqueles que focam no propósito aprendem, aqueles que focam no idioma… nem tanto. Uma boa escola, com uma metodologia bem estruturada e adequada ao seu estilo de aprendizagem, sem dúvida vai ajudar você a praticar, orientar e acelerar seu desenvolvimento de forma direcionada a seus propósitos. Mas o seu envolvimento com o idioma fora da sala de aula é que vai fazer a grande diferença.

Rolf Helmuth Goldberg
Rolf Helmuth Goldberg
Sócio e Chief Operations officer Paradigm Language Support. Sua empresa já orientou executivos em mais de 500 empresas com necessidades multiculturais. Iniciou seus estudos sobre andragogia em 1986 quando ainda estava na Faculdade de Psicologia na Universidade Gama filho. Desde 1994 trabalhando na área de educação executiva, como palestrante e consultor responsável pelo desenho da política e gestão de programas de treinamento, assessment e orientação de executivos.

Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.

string(6) "Aberje"

Os ODS e a Educação para a Sustentabilidade

Conheça as cinco tendências aparecem no Gartner Hype Cycle para tecnologias emergentes

A primeira infância em pauta

Entendendo como os jovens consomem notícias: é pessoal, diz a Reuters Institute