Em tempos de ânimos exaltados, vale conhecer mais o trabalho da psicóloga Susan David

lance-grandahl-435209-unsplash_agilidade_emocional

A quatro meses das eleições, o cenário político provoca emoções intensas nas redes sociais e nas ruas. A expectativa é que a temperatura suba ainda mais, já que pesquisa da Ipsos Mori feita para a BBC em 27 países mostra que 45% dos participantes brasileiros proclamaram-se menos tolerantes – resultado superior à média global, de 39%. Como não dá para desabafar e dizer publicamente a todo e qualquer desafeto que ele é “a mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia“, é mais sensato investir no que a PhD sul-africana Susan David chama de Agilidade Emocional.

Susan apresentou suas ideias sobre Agilidade Emocional em um artigo na Harvard Business Review. Após a publicação do artigo, ela seguiu ampliando esse conceito em um livro, que finalmente ganhou versão em português, e em um TED. A psicóloga defende que é preciso distanciar-se de pensamentos e emoções para reagir ao mundo como ele é e não como gostaríamos que fosse, com consciência e dentro de nossas crenças.

De acordo com a especialista, a agilidade emocional ajuda a:

> lidar melhor com a baixa autoestima, a ansiedade, a depressão e a procrastinação, ao criar um espaço entre o que sentimos e o que fazemos com esses sentimentos;

> ter mais dinamismo nesse mundo VUCA (volátil, incerto, complexo e ambíguo), uma vez que há mais abertura e receptividade às inevitáveis mudanças;

> agir de acordo com seus valores e a com sua visão de mundo. Experiências ruins, que geram raiva e tristeza, são trabalhadas com curiosidade, auto-compaixão e aceitação;

> reciclar a forma de pensamento, respondendo aos desafios da vida de forma diferente, com mais sensibilidade e conexão com o contexto;

> manter um espírito permanente de desafio, crescimento e bem-estar com a própria vida.

 No TED e, principalmente, no livro, Susan David mostra como trilhar esse caminho.

 


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.