×

CCR Metrô Bahia leva oficinas culturais a instituições públicas de Salvador

Rede Aberje

A fotografia não serve somente para retratar momentos e realidades, ela também é um instrumento capaz de transformar pessoas e fazê-las enxergar com outros olhos o espaço onde vivem. Ela é arte e educação ao mesmo tempo. Para ampliar a percepção de alunos de instituições públicas em Salvador, o Ministério da Cidadania, o Instituto CCR e a CCR Metrô Bahia, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, trazem para a capital baiana o projeto FotoArte, da ONG ImageMagica. As ações educativas e culturais serão realizadas entre os dias 16 e 20 de setembro em duas escolas da rede estadual em Pirajá e Mussurunga. A CCR e o CCR Metrô Bahia são associados da Aberje.

Há cinco anos, o Instituto CCR contribui para o desenvolvimento sociocultural, econômico e sustentável da região onde atua. Neste período, a entidade incentivou dezenas de projetos baianos e também contemplou o estado com ações que percorreram todo o país. “O nosso propósito é fomentar projetos socioculturais beneficiando as comunidades do entorno de onde atuamos. Uma das missões do Instituto CCR é promover a transformação de crianças, jovens e adultos, e, assim, nos tornarmos agentes de mudanças na vida de cada um deles”, destaca Luana Xavier, posto avançado do Instituto CCR na Bahia.

Educadores da organização ensinam técnicas de fotografia para crianças e jovens com a proposta delas serem aplicadas de forma crítica e reflexiva, desenvolvendo um olhar mais sensível e empático em relação ao mundo. Parte da aula acontece dentro do caminhão da fotografia, no qual os alunos entram em uma grande câmera escura, que simula o interior de uma câmera fotográfica. Após aprenderem sobre a formação das imagens, eles são convidados a fotografar e fazer uma legenda sobre o tema “caminhos para o futuro”. A produção ficará em exposição na escola ao final do projeto. A mostra é construída em formato de lambe-lambe ou varal com as imagens criadas e fica aberta para a visitação de toda a comunidade, aumentando o impacto das fotografias e das mensagens criadas. “O impacto do projeto nas escolas é incrível! No momento da exposição, os alunos percebem o quanto é importante a mensagem que eles passaram em suas fotografias, a importância do que eles pensam e o tamanho do valor da opinião deles dentro da escola”, conta Andreza Portela, coordenadora de projetos educacionais da ImageMagica.

Com todo esse novo conhecimento em mãos e um celular, cada participante fotografa o que representa o futuro para si, utilizando o aplicativo Camino, desenvolvido pela ImageMagica. Eles também produzem uma legenda sobre o tema. As imagens são impressas e entregues aos novos fotógrafos. Não são só os alunos que aprendem com as oficinas do FotoArte, mas os professores das escolas também. Há também uma ação exclusiva para eles, que são capacitados e aprendem a usar a fotografia como ferramenta de ensino dentro da sala de aula para suas próprias disciplinas. O trabalho é mantido através da Lei de Incentivo à Cultura com realização da  ImageMagica, Secretaria Especial da Cultura, e Ministério da Cidadania do Governo Federal.